Uma visão dos nossos históricos anos sessenta e um pouco antes

Voltar  para  Página Inicial

Ir  para  "Lendas e histórias"

Aguinaldo de Goes Aldo Costa Alfredo Santilli Amauri Mesquita Antonio Carlos
Aguiar
Arlindo Aguiar Aroldo Louzada Bica Votnamis
Bird Clemente Bob Sharp Breno Fornari Caetano Damiani Camillo Christofaro Celso Lara Barberis Christian Bino Heins Ciro Cayres
Domingos Papaleo Eduardo Celidonio Emerson Fittipaldi Emilio Zambello Ênio Garcia Eugênio Martins Francisco Lameirão Fritz D'Orey
Graziela Fernandes Jan Balder Jayme Pistili Jayme Silva Jorge Lettry José Tôco Martins Luiz Americo
Margarido
Luiz Carlos Valente
Luiz Pereira Bueno Luiz Valente Marinho Miguel Crispim Nelson Brizzi Nicola Papaleo Nilo de Barros
Vinhaes
Norman Casari
Orlando Menegaz Paschoal
Nastromagario
Pedro Carneiro
Pereira
Piero Gancia Raphael Gargiulo Ricardo Rodrigues
de Moraes
Roberto Gallucci Roberto Gomez
Salvador Cianciaruso Toni Bianco Toninho Martins Victor Losacco Victorio Azzalin Vitório Andreatta Waldemar Santilli Zoroastro Avon
Pioneiros:
Benedicto Lopes Chico Landi Chico Marques Gino Bianco Hermano da Silva Ramos Irineu Correa Manuel de Teffé Nascimento Junior
Norberto Jung Villafranca            

Página acrescentada em 18 de outubro de 2005.
 

Domingos Papaleo
por Paulo Roberto Peralta

Clique aqui e veja uma entrevista ao vivo com esse ex-piloto, em 2013

 

1965

Dezembro 2005

Nasceu em São Paulo (SP) no bairro da Bela Vista em 11 de abril de 1937, filho primogênito de Biagio Papaleo.
Começou cedo a trabalhar na oficina do pai, Biagio, (ver abaixo) e como gostava do ofício, ainda trabalhou, depois, em uma concessionária Ford e mais algumas outras oficinas, até sentir-se seguro o suficiente para abrir a sua própria, o que aconteceu em 1962, com 25 anos de
idade, no bairro da Bela Vista, o famoso "Bexiga".
Casou-se em 1960 com quase 23 anos de idade, e nesse mesmo ano fez sua corrida de estréia com um carro Volvo, diz que foi primeiro classificado na categoria. O pai aceitou, mas como já era casado, preteria o Domingos em favor de seu irmão Nicola, ainda solteiro, e para ele foram os primeiros apoios. Domingos, também, sempre acompanhou, colaborou e apoiou o irmão Nicola, e com isso ganhou muita experiência de pista, para então a  partir de 1965 passar a correr regularmente, já tinha à essa época uma filha, depois nasceram mais três filhos. Seu início coincidiu com a parada de Nicola: "-
pura coincidência", diz ele.

Fiat Stanguelini

Ferrari Testarossa

 

  Maserti 300S
com carenagem modificada
XII 500 Quilômetros/1971

Comprou uma Ferrari Testarossa de Alberto Carrara, fez duas provas e vendeu o carro para comprar em sociedade com Salvador Cianciaruso a carreteira Fiat Stanguellini 1300cc de Luciano Bonini e que após 3 provas venderam e compraram uma Maserati 300S, biposto, do também piloto Ubaldo Cesar Lolli, onde aplicaram uma carenagem nova. Depois desse carro, comprou um chassi Maserati de Antonio Versa e o montou com um motor Corvette entre eixos, mas vendeu após participar de uma única prova.
 

Chassi Maserati preparado

Era o próprio preparador de seus carros, e o fez em toda sua carreira e em diversas categorias: Esporte, Mec. Nacional, Turismo e Fórmula VW.
Em 1975, os dois irmãos fizeram sua única parceria ao volante, foi na 25 Horas de Interlagos de 1975, dividiram um Ford Maverick com Uribrando Silveira e conquistam o 9º lugar na categoria Turismo acima de 3000cc. No ano seguinte passou a correr na categoria
Fórmula VW 1300, mas não o fazia de forma regular, era mais pelo prazer de pilotar. Depois de parar transformou seu Kaimann F-Vê em um Fórmula Fiat e montou uma equipe para pilotos dispostos a começar nessa nova fórmula.
 

Domingos em 1976 com Pati FVê 1300cc.

Encerrou de vez em 1980, após 15 anos de pista, passando a dedicar-se à sua oficina na Rua Rocha, 405 no bairro do "Bexiga", onde ainda hoje trabalha ativamente atendendo carros diversos, nacionais e importados, além de receber simpaticamente muitos amigos daquelas épocas.


 

Preparando a Maserati 300S para os XII 500 Quilômetros de Interlagos/1971

Clique aqui e veja uma entrevista dele ao vivo em 2013.

Domingos - Participações em provas (Com a colaboração de Napoleão Ribeiro)

10/10/1965 - I Festival Interclubes - Interlagos/SP - Ferrari Testarossa nº 14 - 1.995cc -
4º na geral e 4º na cat. Esporte
31/10/1965 - VIII 500 Quilômetros de Interlagos/SP - Ferrari Testarossa nº 14 - 1.995cc  - 15º na geral 4º na cat. Esporte
19/11/1966 - VIII Mil Milhas Brasileiras - Interlagos/SP - Com Salvador Ciancaruso  - Fiat Stanguelini n° 85 - 1.221cc -
cat. T-1.3 - Abandono
19/03/1967 - IV 12 Horas de Interlagos/SP - Com Salvador Ciancaruso - Fiat Stanguelini n° 85 - 1.221cc - 18º na geral e 4º na cat. TFL
03/12/1967 - IX Mil Milhas Brasileiras - Interlagos/SP - Com Salvador Ciancaruso - Fiat Stanguelini n° 85 - 1.221cc -
20º na geral e 11º na cat. TFL
08/03/1970 - II 1500 Quilômetros de Interlagos/SP - Com Salvador Ciancaruso  - Maserati 300S nº 95 - 2.989cc - cat. D-4 - Abandono
21/03/1971 - V 12 Horas de Interlagos/SP - Com Salvador Ciancaruso - Maserati 300S  nº 95 - 2.989cc -
cat. D-6 - Abandono
07/09/1971 - XII 500 Quilômetros de Interlagos/SP - Com Salvador Ciancaruso  - Maserati 300S nº 95 - 2.989cc - cat. D-6 - Abandono
30/01/1972 - Festival de Recordes Base Aérea de Cumbica/SP - Maserati/Corvette nº 95 - 4.500cc -
7º na geral e 3º na cat. D6
13/12/1975 - 25 Horas de Interlagos/SP - Com Nicola Papaleo/Uribrando Silveira - Ford Maverick nº 20 - 4.950cc - 25º na geral e 9º na cat. T+3.0
21/03/1976 - Brasileiro de F-VW 1300 - 1ª Etapa - Interlagos/SP - Pati F-Vê nº 14 - 1.285cc -
14º Lugar
23/05/1976 - Brasileiro de F-VW 1300 - 3ª Etapa - Interlagos/SP - Pati F-Vê nº 14 - 1.285cc - 10º Lugar
11/09/1976 - Brasileiro de F-VW 1300 - 7ª Etapa - Interlagos/SP - Pati F-Vê nº 14 - 1.285cc -
12º Lugar
29/10/1978 - Brasileiro de F-VW 1300 - 9ª Etapa - Jacarepaguá/RJ - Kaimann F-Vê nº 50 - 1.285cc - ND
20/07/1980 - Brasileiro de F-VW 1300 - 5ª Etapa - Interlagos/SP - Kaimann F-Vê nº 50 - 1.285cc -
13º Lugar

Biagio Papaleo

Filho de imigrantes italianos, trabalhou como mecânico na Ford, Cassio Muniz e depois na oficina de João Santo Mauro, o "Jaburu", onde construiu, em 1939, um Ford V8 adaptado para o "Jaburu" correr a prova de inauguração do autódromo de Interlagos em 1940, depois abriu oficina própria na Al. Barão de Campinas, centro de São Paulo, onde além dos consertos comuns para clientes comuns, atendia também os carros, preparando e dando manutenção, e ajudando o amigo Raphael Gargiulo e outros menos famosos.
Teve quatro filhos: Domingos, José, Nicola e João, todos seguiram a carreira do pai e dois se dedicaram ao automobilismo: Nicola e Domingos.
 Era um entusiasta do automobilismo, apesar de não correr foi um dos fundadores da APVC (Associação  Paulista de Volantes de Competição).
 


VOLTAR AO TOPO DA PÁGINA
ou
VOLTAR À PÁGINA INICIAL