Uma visão dos nossos históricos anos sessenta e um pouco antes

Voltar  para  Página Inicial

Ir  para  "Lendas e histórias"

Pilotos:
Agnaldo de Goes Aldo Costa Alfredo Santilli Amauri Mesquita Antonio C. Aguiar Arlindo Aguiar Aroldo Louzada Bica Votnamis
Bird Clemente Bob Sharp Breno Fornari Caetano Damian Camillo Christofaro Carlos Sgarbi Catharino Andreatta Celso L. Barberis
Christian Bino Heins Ciro Cayres Domingos Papaleo Eduardo Celidonio Emerson Fittipaldi Emilio Zambelo Ênio Garcia Eugênio Martins
Francisco Lameirão Fritz D'Orey Graziela Fernandes Haroldo Vaz Lobo Henrique Casini Jan Balder Jaime Pistili Jayme Silva
José Tôco Martins Júlio Andreatta Luiz A. Margarido Luiz Carlos Valente Luiz Pereira Bueno Luiz Valente Marinho Nicola Papaleo
Nilo de Barros Vinhaes Norman Casari Orlando Menegaz Nastromagario Pedro C. Pereira Piero Gancia Raphael Gargiulo Ricardo Rodrigues de Moraes
Roberto Gallucci Roberto Gomez Salvador Cianciaruso Toninho Martins Victorio Azzalin Vitório Andreatta Waldemar Santilli Zoroastro Avon
Preparadores e/ou construtores:
Anísio Campos Jorge Lettry Miguel Crispim Nelson Brizzi Toni Bianco Victor Losacco    
Pioneiros:
Ângelo Juliano Benedicto Lopes Chico Landi Chico Marques Gino Bianco Hermano da Silva Ramos Irineu Correa João R. Parkinson
Manuel de Teffé Nascimento Junior Norberto Jung Sylvio A. Penteado Villafranca      

 

Página acrescentada em 19 de janeiro de 2006.  -  Atualizado em dezembro de 2020
 
Norman Casari
por Paulo Roberto Peralta
 
Anos 60 e anos 2000

Filho do industrial italiano Antônio Casari e de Dna. Sílvia Barbosa, Norman nasceu em São Paulo (SP) no dia 2 de março de 1936.
Começou a dirigir aos dez anos de idade quando deu umas voltas no Ford no colo de seu pai, o "velho" Casari, que apesar de orgulhoso do filho não se distraia do volante e do freio.
Seu pai era amigo do ex-piloto Nascimento Junior, vencedor, entre outras, da prova inaugural de do Autódromo de Interlagos em 1940. Aos 12 anos, sentindo que já dominava o carro do pai, chamou um amigo e deu uma "voltinha" no bairro. Ganhou uma “baita” bronca do "seu" Casari e “dona” Sílvia, mas seu sonho de ser um grande automobilista ficou inabalado.

Por volta de 1950, com 14 anos, pouco depois de mudar-se para o Rio de Janeiro, participou de uma corrida de bicicletas motorizadas, mas não gostou da experiência.

Dizia que sua primeira corrida foi em 1960, aos 24 anos, com um Volkswagen, na inauguração de Brasília. Depois comprou um DKW-Vemag e correu a “II 24 Horas de Interlagos” em 1961 formando dupla com o amigo Carlos Erimá, e a partir das “I 3 Horas de Velocidade” em 1962 passou a adotar o número 96:
”- É meu numero de sorte. Dizia ele, sem explicar por que.

Sorte que não o acompanhou na “I 500 Quilômetros de Interlagos” (63), quando seu parceiro, Luiz Paulo Polastri, parou para abastecer e os mecânicos o fizeram com o motor ligado, o que era proibido, foram desclassificados.
Uma semana antes havia participado, dentro da Semana da Velo
cidade, da prova "II 3 Horas de Velocidade" com DKW Vemag e foi 10º na geral e 8º na categoria T-1.3.

Em 1963 começou a participar do Campeonato Carioca, sempre com seu DKW-Vemag nº 96, exceção da prova “I 12 Horas de Brasília” onde correu em dupla com o DKW nº 20 de Nilo de Barrps Vinhaes.

1964 - Conversando com Marazzi

Em 1964, no "III Circuito da Barra da Tijuca" ele travou um duelo que mereceu destaque nos jornais:
“Norman Casari travou um duelo roda-a-roda de 30 voltas com o 1093 de Chiquinho Lameirão. Guiou maravilhosamente bem o representante das Vemag. Seu carro foi preparado por Jorge Lettry.” (O Globo - 23/03/1964)
Nesse ano deu assistência e dicas para o jornalista e piloto Expedito Marazzi na prova para cronistas esportivos, preliminar do "500 Km da Guanabara", prova em que competiu fazendo dupla com Eduardo Scuracchio.

Seus bons desempenho nesses anos iniciais fez com que fosse convidado por Jorge Lettry a pilotar os carros da equipe oficial da Vemag em fins de 1964, quando correu em dupla com Eduardo Scuracchio a prova “I 500 Quilômetros da Guanabara” (RJ).

Em 1965 Jorge Lettry, Chefe do Departamento de Competições da Vemag, criou o plano de construir um carro (streamlined) para estabelecer um recorde brasileiro de velocidade absoluta em linha reta, que foi desenhado por Anisio Campos e construído por Rino Malzoni, Recebeu o nome de “Carcará”.

Depois de várias corridas fez dupla com Mario César de Camargo Filho, o “Marinho”, no DKW nº 10 da equipe Vemag na “III 24 Horas de Interlagos” em 1966 e nesse mesmo ano, na prova seguinte estreou seu novo carro, um GT DKW-Malzoni que também recebeu o número 96.

1966 - Norman, Lettry, Anisio e Rino conversam ao lado do Carcará

E finalmente após 8 meses de trabalho em segredo, o "Carcará" ficou pronto, e em 29 de junho de 1966 era o dia de sorte de Norman, a Equipe Vemag tinha ido ao Rio de Janeiro com o carro para estabelecer o recorde de velocidade, e Norman Casari estava no lugar certo e na hora certa, pois na última hora Mario César, o “Marinho,” piloto escolhido para bater o recorde, não sentindo muita confiança no bólido, desistiu de guiar o streamlined.
"- O bicho “passarinhava” demais, parecia incontrolável". Explicou Marinho.

1966 - Norman ao volante do Carcará

Jorge Lettry então o convidou Casari e ele aceitou o desafio, mas antes foi colocado um volante de madeira com diâmetro maior para minimizar as reações, tornando a direção mais lenta, pois o recorde seria tentado em linha reta. A equipe trocou também os pneus radiais por diagonais com menos aderência e reação mais lenta, deixando o carro mais dirigível do que os radiais, e então ele estabeleceu o primeiro recorde brasileiro de velocidade absoluta pelos padrões da FIA: 212,9 Km/h no início da Rio-Santos, hoje Avenida das Américas. Depois do recorde batido, Casari entrou para a história do automobilismo brasileiro.
Na noite do mesmo dia do recorde, inaugurou a Cota, oficina autorizada DKW-Vemag, em sociedade com seu amigo Mauro de Sá Motta Filho.
"- Muita emoção para um brasileiro só". - foi o que disse, ao final de tudo.
Recorde batido, o Carcará voltou para a fábrica Vemag que depois o doou ao Norman Casari, ficando em exposição na sua concessionária "Cota" em Botafogo.
Foi uma fase de ouro da carreira do volante nascido em São Paulo e radicado no Rio de Janeiro.

1966 - GP IV Aniversário APVC - DKW Malzoni

1967 - DKW Malzoni em Jacarepaguá 1967 - 5ª do Campeonato Carioca 1968 - Jacarepaguá - BRV-Vê

Em 1966 conquistou o título carioca depois de ganhar quatro das cinco corridas válidas, três delas com o DKW Malzoni, e a outra com um DKW Vemag. Campeão do ano anterior, Norman era o franco favorito à conquista do Campeonato Carioca de 1967, e foi o que aconteceu tornando-se bicampeão carioca.
Norman vendeu a Cota em maio de 1967 para os irmãos Eduardo e Maurício Ribeiro juntos com o amigo Bob Sharp.
Depois Norman comprou um Fitti Vê e participou dos Campeonatos Carioca e Brasileiro de Fórmula Vê em 1967 e 68, ano em que fez sua última corrida com o DKW-Malzoni, vendido depois para o piloto Neuder Motta de Goiás.
Em 68 correu uma vez com uma Alfa Romeu GTZ, a “IV 3 Horas da Guanabara” e depois o “I 500 Quilômetros de Salvador” (BA) no Puma/VW de Lulu Geladeira, para finalmente em meados de 1969 experimentar o fraco protótipo “Geraldes/DKW”.

Em fevereiro de 1969 foi à Europa junto com Luiz Pereira Bueno, Milton Amaral e Ricardo Achcar,tentar uma chance de participar do Campeonato de Fórmula Ford e para isso fizeram um teste na equipe “SMART” de Stirling Moss, todos foram bem, mas chance mesmo só para dois deles: Luizinho e Achcar, então voltou ao Brasil.

Em 1970 já morava em Petrópolis (RJ) e havia iniciado a construção de um protótipo que tinha o chassi herdado do Carcará, motor Ford V8 de Galaxie com coletor de admissão e tampa da corrente do comando feitos em alumínio pelo próprio Norman, a carenagem frontal Norman usou uma do AC, pois achava ser mais fácil e econômico a adaptação do que criar uma frente totalmente nova, que foi dada como cortesia por Anísio Campos como contribuição para o sucesso do projeto do amigo, recebeu o nome Casari/Ford A1. O Carcará foi desmontado para aproveitar seu chassi e depois sua carroceria foi cedida à Glaspac, empresa fabricante de bugues e réplicas de carros em plástico reforçado com fibra de vidro. Ficou jogado num galpão por um tempo, até que a empresa precisou esvaziar a área, e como ninguém sabia o que era aquele estranho carro que não servia para nada, o venderam como sucata de alumínio.

No Brasil só voltou a correr no “Torneio BUA de Fórmula Ford” no início de 1970 com um Merlyn, depois, em maio de 1970 voltou para a Inglaterra e participou de três corridas de Fórmula Ford com um Titan Mk-6 alugado do piloto Valentino Musetti. Apesar dos bons resultados, voltou ao Brasil.

1970 - Copa Brasil - Lola T70 Mk3A/Chevy

Seu protótipo foi estreado por Bob Sharp e Milton Amaral na prova “VI Mil Quilômetros de Brasília”, pois Norman tinha ido à Inglaterra participar de corridas de F-Ford, retornando estreou uma Lola T70 Mk3A/Chevy 4999cc e 430 cv, recém-adquirida dos irmãos De Paoli, em Interlagos e em seguida pilotou pela primeira vez o protótipo Casari/Ford A1 em Pinhais (PR), mas abandonou. Por essa época Norman conheceu o empresário Marcelo Aguinaga e juntos montaram uma equipe com o patrocínio da Brahma que estreou na “X Mil Milhas Brasileiras” em 1970, correu com a Lola T70 em dupla com Jan Balder e como sempre usou o nº 96, inscreveram também o protótipo Casari/Ford A1 que foi pilotado por Bob Sharp e Milton Amaral.

Em 1971 Norman, já separado, casou-se com a modelo e atriz Tânia Schercom quem teve uma filha e de quem, por volta de 1986, se separou.

Na prova “GP Internacional de Tarumã” (RS), em 30 de maio de 1971, a Casari-Brahma inscreveu a Lola T70, com Norman, e o Casari/Ford A1 com Jan Balder, Norman abandonou por problemas elétricos e Jan chegou em 4º Lugar.

Participou em dupla com Jan Balder, ou melhor, tentaram participar de uma prova em Angola, a “6 Horas de Nova Lisboa” (1971), mas o carro quebrou ainda nos treinos.

1971 - Recorde para carros da antiga Divisão 4

Em setembro daquele ano, no dia 4, Norman programou um evento onde tentaria bater o recorde de velocidade estabelecido no Festival de Recordes na Marginal do Rio Pinheiros em São Paulo, com Camillo Christofaro marcando 236.74 Km/h
Eram três carros da Equipe Brahma-Casari, comandada por Norman Casari, piloto que já batera um recorde de velocidade naquela mesma reta, em 1966, com o DKW-Carcará.
O primeiro a correr foi o protótipo Casari 230 A1, com motor V8 de Ford Galaxie com Norman ao volante (244,08km/h). Depois, foi a vez do protótipo Repe 227, com motor 1.6 de Ford Cortina com Renato Peixoto (185km/h). O único carro importado no evento foi a Lola T70 Mk3. com Norman ao volante (225km/h), recorde para carros da antiga Divisão 4 de corridas. (ver mais em https://bit.ly/3fNN9O3

A prova seguinte, “XII 500 Quilômetros de Interlagos”, marcou o fim da equipe que durou dois anos, em um acidente nos treinos a Lola se incendiou e Norman correu então em dupla com Jan Balder no protótipo Casari/Ford A1, abandonaram, por problemas mecânicos. A equipe Casari-Brahma do Rio de Janeiro foi quem iniciou o movimento de grandes patrocinadores no automobilismo brasileiro.

Após essa prova passou a se dedicar à F-Ford participando do Campeonato Brasileiro de 1971, sem muito sucesso, no início de 1972 participou da “Copa Paraná” para protótipos nacionais com o Casari/Ford A1, com vitória, foi a terceira e ultima vez que pilotou esse carro. Em meados dos anos 70 Norman desmontou o carro e partes significativas dele ficaram com um engenheiro seu amigo, até que nos anos 2000 o próprio Norman fez com que os restos do carro fossem para Passo Fundo (RS) onde Paulo Afonso Trevisan, do Museu do Automobilismo Brasileiro, restaurou o protótipo.

1971 - Campeonato Brasileiro de F-Ford - Merlyn F-Ford 1972 - Copa Paraná - Casari A-1/Ford

1972 - Norman a bordo de um Opala Stock Car

Foi dono de pistas de kart no Rio de Janeiro e em Itaipava (RJ) e também fabricou karts.

Em 1972 foi um dos participantes da primeira corrida de Stack Car do Brasil.
Em 1973 não correu, fez só uma corrida de Auto Cross.

Em 1974 começou fazendo dupla em duas provas com o Chevrolet/Chevette de Francisco Gabriel até começar a correr com o Ford/Maverick V8 de Mauro de Sá Motta em agosto, experimentou fazer uma corrida com o Fórmula Super Vê ao volante de um Polar/Vê, mas ficou só na primeira prova.
Em 1975 continuou a parceria com Mauro,no Maverick V8, e também participou, a convite, do “Torneio Sulamericano de Maverick”, provas realizadas para promover o lançamento do modelo 4 cilindros daquele carro, os carros eram sorteados antes das provas, não conseguiu boas classificações.

1975 - 200 Milhas de Brasília - Vitória 1975 - 200 Km de Goiânia - Vencedor 1975 - IV 500 Km de Brasília - Maverick 1975 - 3 Horas de Brasília - Maverick V8

Em 1976 correu com um FNM/2300 em dupla com Murilo Piloto a “XII Mil Quilômetros de Brasília”, que foi sua última corrida, encerrou a carreira automobilística aos 40 anos de idade.
“- Foi o mais dedicado e profissional piloto do Rio.” - Paulo Scali, historiador de automobilismo.

Em abril de 1979 Norman tomou posse como diretor do Autódromo Internacional do Rio de Janeiro e ficou impressionado com os muitos problemas de infra estrutura que encontrou.
“- Até a minha vinda, o administrador do autódromo era tratado como um simples capataz de obra. Agora é considerado cargo de gerencia. Fico contente em saber também que tanto a imprensa quanto os pilotos receberam com satisfação minha indicação para o cargo.”

Sobre os GP’s de F-1 marcados para 1980 e 81 Casari dizia que:
“- O Autódromo deve ficar ativo durante o ano inteiro e não apenas nas corridas de Fórmula 1 quando o local é preparado como se fosse uma noiva às vésperas do casamento.”  (O Globo - 26/04/1979)

Em 2005 foi construída por Toni Bianco uma réplica do Carcará para a "Associação Cultural Museu do Automobilismo Brasileiro" de Paulo Afonso Trevisan em Passo Fundo (RS), visando uma homenagem em 2006 aos 40 anos do recorde e Norman seria um dos homenageados, mas ele faleceu dia 31 de dezembro de 2005 em Petrópolis (RJ) de insuficiência respiratória (provocada por um câncer descoberto três semanas antes). Tinha 69 anos e 10 meses, divorciado (duas vezes), deixou três filhos, dois do primeiro casamento, Antônio e Cecília, e uma do segundo casamento, Isadora.



Participações em provas
(colaboração de Ricardo Cunha e complementação de Napoleão Ribeiro)


03/06/1961 - III 24 Horas de Interlagos/SP - Com Carlos Erimá - DKW Vemag nº 23 - 981cc - 24º na geral e 13º na cat. T-1.3
07/10/1961 - I Cem Milhas da Guanabara - Aterro da Glória/RJ - DKW Vemag nº 11 - 981cc -
T-1.3  9º Lugar
25/01/1962 - I 12 Horas de Interlagos/SP - Com Sérgio Carvalho - DKW Vemag nº 23 - 981cc - T-1.3  ND
10/06/1962 - Quilômetro de Arrancada - Rio de Janeiro/RJ - Maserati nº 81 -
Força Livre 1º lugar
02/09/1962 - I 3 Horas de Velocidade - Interlagos/SP - DKW Vemag nº ?? - 981cc -
10º na geral e 6º na cat. T-1.3
10/03/1963 - II 12 Horas de Interlagos/SP - Com ?? - DKW Vemag nº 96 - 981cc -
22º na geral e 13º na cat. T-1.3
28/04/1963 - I 12 Horas de Brasília/DF - Circ. Trampolim do Eixo - Com Nilo de Barros Vinhaes - DKW Vemag nº 20 - 981cc -
8º na geral e 2º na cat. B
01/09/1963 - II 3 Horas de Velocidade - Interlagos/SP - DKW Vemag nº 96 - 981cc - 10º na geral e 8º na cat. T-1.3
10/11/1963 - I 1500 Quilômetros de Interlagos/SP - Com Luiz Paulo Polastri - DKW Vemag nº 96 - 981cc -
T-1.6  DQ
24/11/1963 - I Quilômetro de Arrancada da Estrada do Caniço/RJ - DKW Vemag nº 96 - 981cc - 10º na geral e 3º na cat. T-1.3
16/02/1964 - Campeonato Carioca  I Etapa- Ilha do Fundão/RJ - DKW Vemag nº 96 - 981cc -
5º na geral e 2º na cat. T-1.3
22/03/1964 - III Circuito da Barra da Tijuca/RJ - DKW Vemag nº 96 - 981cc - 6º na geral e 4º n cat. T-1.3
12/04/1964 - Campeonato Carioca  II Etapa - Ilha do Fundão/RJ DKW Vemag nº 96 - 981cc -
T-1.3  2º Lugar
10/05/1964 - I 3 Horas da Barra da Tijuca/RJ - DKW Vemag nº 96 - 981cc - 12º na geral e 4º n cat. T-1.3
18/10/1964 - I 500 Quilômetros da Guanabara - Barra da Tijuca/RJ - Com Eduardo Scuracchio - DKW Vemag nº 11 - 1080cc -
12º na geral e 8º na cat. T-1.3
27/03/1965 - II 1600 Km de Interlagos Interlagos/SP - Com Anísio Campos - DKW Vemag nº 12 - 1080cc - 15º na geral e 10º na cat. T-1.6
16/05/1965 - II 500 Km da Guanabara - Barra da Tijuca/RJ - Com Anísio Campos - DKW Malzoni nº 17 - 1080cc -
12º na geral e 2º na cat. PT
05/06/1965 - Campeonato Carioca  II Etapa - Ilha do Fundão/RJ - DKW Vemag nº 96 - 981cc - 2º na geral e 1º na cat. T-1.3
05/06/1965 - Campeonato Carioca  II Etapa - G I e II - Ilha do Fundão/RJ - DKW Vemag nº 96 - 981cc -
13º na geral e 7º na cat. T-1.3 - DQ
08/08/1965 - Campeonato Carioca  III Etapa - G I e II - Ilha do Fundão/RJ DKW Vemag nº 96 - 981cc - T-1.3  1º Lugar
08/08/1965 - Campeonato Carioca  III Etapa - Ilha do Fundão/RJ - DKW Vemag nº 96 - 981cc -
8º na geral e 7º na cat. T-1.3
08/09/1965 - I Circuito de Vitória/ES - DKW Vemag nº 96 - 981cc - 8º na geral e 4º na cat. T-1.3
27/11/1965 - VII Mil Milhas Brasileiras - Interlagos/SP - Com Carlos Erimá - DKW Vemag nº 96 - 1080cc -
T-1.3  AB
11/12/1965 - II 6 Horas de Curitiba/PR - DKW Vemag nº 16 - 1080cc - 18º na geral e 3º na cat. PT
28/05/1966 - III 24 Horas de Interlagos/SP - Com Marinho Camargo - DKW Vemag nº 10 - 981cc -
10º na geral e 5º na cat. T-1.3
12/06/1966 - GP IV Aniversário APVC - Interlagos/SP - DKW Malzoni nº 96 - 1080cc - 5º na geral e 4º na cat. PT
29/06/1966 - Recorde Brasileiro de Velocidade - Rod. BR-2 Rio-Santos - Carcará 1.100cc - 212,903 km/h
28/08/1966 - II 3 Horas do Rio de Janeiro - Jacarepaguá/RJ - Com Mauro Sá Mota - DKW Vemag nº 96 - 981cc - 14º na geral e 1º na cat. T-1.3
25/09/1966 - Campeonato Carioca  I Etapa - Jacarepaguá/RJ - DKW Vemag nº 96 - 981cc -
T-1.3  1º Lugar
09/10/1966 - Campeonato Carioca  II Etapa - Jacarepaguá/RJ - DKW Malzoni nº 96 - 1080cc - PT/GT  1º Lugar
29/10/1966 - Campeonato Carioca  III Etapa - Jacarepaguá/RJ - DKW Malzoni nº 96 - 1080cc -
PT/GT  1º Lugar
19/11/1966 - VIII Mil Milhas Brasileiras - Interlagos/SP - Com Carlos Erimá - DKW Malzoni nº 4 - 1080cc - 4º na geral e 3º na cat. PT/GT
27/11/1966 - Campeonato Carioca  IV Etapa - Jacarepaguá/RJ DKW Malzoni nº 96 - 1080cc -
PT/GT  1º Lugar
04/12/1966 - Campeonato Carioca  V Etapa - Jacarepaguá/RJ DKW Malzoni nº 96 - 1080cc - 15º na geral e 6º na cat. PT/GT
18/12/1966 - I Mil Km da Guanabara - Jacarepaguá/RJ - Com Carlos Erimá - DKW Malzoni nº 96 - 1080cc -
7º na geral e 6º na cat. PT
09/04/1967 - III 3 Horas da Guanabara - Jacarepaguá/RJ - DKW Malzoni nº 96 - 1080cc - ND na geral e 5º na cat. PT
30/04/1967 - Campeonato Carioca  I Etapa - Jacarepaguá/RJ - DKW Malzoni nº 96 - 1080cc -
PT/GT  1º Lugar
28/05/1967 - Campeonato Carioca F-Vê  I Etapa - Jacarepaguá/RJ - Fitti-Fê nº 96 - 1192cc - 1º Lugar
04/06/1967 - Campeonato Carioca  II Etapa  - Jacarepaguá/RJ - DKW Malzoni nº 96 - 1080cc -
PT  1º Lugar
18/06/1967 - Campeonato Brasileiro F-Vê  II Etapa - Jacarepaguá/RJ - Fitti-Vê nº 96 - 1192cc - 13º Lugar
30/07/1967 - X Circuito de Petrópolis Petrópolis - RJ DKW Malzoni nº 96 - 1080cc -
5º na geral e 3º na cat. PT
06/08/1967 - Campeonato Carioca  III Etapa - Jacarepaguá/RJ - DKW Malzoni nº 96 - 1080cc - PT  2º Lugar
21/08/1967 - Campeonato Brasileiro F-Vê  IV Etapa - Jacarepaguá/RJ - Fitti-Vê nº 96 - 1192cc -
4º Lugar
03/09/1967 - Campeonato Carioca  IV Etapa - Jacarepaguá/RJ - DKW Malzoni nº 96 - 1080cc - PT  2º
17/09/1967 - Prova Costa e Silva - Jacarepaguá/RJ - Fitti-Vê nº 96 - 1192cc -
6º Lugar
29/10/1967 - I Circuito de Niterói/RJ - Praia de Icaraí - Fitti-Vê nº 96 - 1192cc - 5º Lugar
12/11/1967 - III Etapa Campeonato Carioca de F-Vê - Jacarepaguá/RJ - Fitti-Vê nº 96 - 1192cc -
DQ
03/12/1967 - IX Mil Milhas Brasileiras - Interlagos/SP - Com Celso Gerbassi - DKW Malzoni nº 95 - 1080cc - 14º na geral e 5º na cat. PT/GT
10/12/1967 - Campeonato Carioca  V Etapa - Jacarepaguá/RJ DKW Malzoni nº 96 - 1080cc -
PT  1º Lugar
17/12/1967 - Prova Almirante Tamandaré - Jacarepaguá/RJ - Com Celso Gerbassi - DKW Malzoni nº 96 - 1080cc - 6º na geral e 5º na cat. PT
17/12/1967 - Campeonato Brasileiro F-Vê  VI Etapa - Jacarepaguá/RJ Fitti nº 96 - 1192cc -
8º Lugar
17/12/1967 - Prova Luso Brasileira - Jacarepaguá/RJ - Fitti-Vê nº 96 - 1192cc - 4º Lugar
                                Reformas em Interlagos - 1968/69
10/03/1968 - Torneio Carioca de F-Vê - Jacarepaguá/RJ - AC-Vê nº 96 - 1192cc -
4º Lugar
24/03/1968 - Campeonato Carioca  I Etapa - Jacarepaguá/RJ - DKW Malzoni nº 96 - 1080cc - 2º na geral e 1º na cat.PT/GT/TFL
28/04/1968 - IV 3 Horas do Rio de Janeiro - Jacarepaguá/RJ - Com Wilson Marques - Alfa Romeo GTZ nº 96 - nº 1570cc -
GT  ND
05/05/1968 - Circuito da Centenário F-Vê - Av. Centenário - Salvador/BA Fitti-Vê nº 96 - 1192cc - 2º Lugar
26/05/1968 - Campeonato Carioca F-Vê  I Etapa - Jacarepaguá/RJ - Fitti-Vê nº 96 - 1192cc -
19º Lugar 
18/08/1968 - Campeonato Nacional F-Vê  I Etapa - Jacarepaguá/RJ - Fitti-Vê nº 96 - 1192cc - 6º Lugar 
25/08/1968 - I 500 Km de Salvador/BA - Av. Centenário - Com Lulu Geladeira - Puma VW nº 17 - nº 1584cc -
TFL  15º - DQ
15/09/1968 - Campeonato Carioca F-Vê  III Etapa - Jacarepaguá/RJ - BRV-Vê nº 96 - 1192cc - 3º Lugar
27/10/1968 - Prova de Fórmula Vê - Jacarepaguá/RJ - BRV-Vê nº 96 - 1192cc -
5º Lugar
24/11/1968 - Campeonato Nacional F-Vê  II Etapa - Jacarepaguá/RJ - BRV-Vê nº 96 - 1192cc - 2º Lugar
22/12/1968 - Campeonato Carioca F-Vê   V Etapa - Jacarepaguá/RJ - BRV-Vê nº 96 - 1192cc -
3º Lugar
15/06/1969 - Campeonato Carioca F-Vê  I Etapa - Jacarepaguá/RJ - BRV-Vê nº 96 - 1192cc - 4º Lugar
15/06/1969 - Campeonato Carioca  I Etapa - Jacarepaguá/RJ - Geraldes/DKW nº 96 - 1080cc -
11º na geral e 5º na cat. PT
01/02/1970 - Torneio BUA de F-Ford  I Etapa - Jacarepaguá/RJ - Merlyn F-Ford nº 96 - 1600cc - 6º Lugar
08/02/1970 - Torneio BUA de F-Ford  II Etapa - Autódromo de Pinhais/PR - Merlyn F-Ford nº 96 - 1600cc -
6º Lugar
22/02/1970 - Torneio BUA de F-Ford  IV Etapa - Jacarepaguá/RJ - Merlyn F-Ford nº 96 - 1600cc -  3º Lugar
01/03/1970 - Torneio BUA de F-Ford  V Etapa - Interlagos/SP - Merlyn F-Ford nº 96 - 1600cc -
15º Lugar
03/05/1970 - Prova Extra Campeonato de F-Ford - Lydden Hill - Inglaterra - Titan Mk-6 - 3º Lugar
17/05/1970 - Prova Extra Campeonato de F-Ford
- Aintree - Inglaterra - Titan Mk-6 - 3º Lugar
31/05/1970 - Prova Extra Campeonato de F-Ford - Snetterton - Inglaterra - Titan Mk-6 - 6º Lugar
11/10/1970 - 2 Horas de Velocidade - Autódromo de Pinhais/PR - Casari A-1/Ford nº 96 - 4440cc -
Div.4  AB
22/11/1970 - X Mil Milhas Brasileiras - Interlagos/SP - Com Jan Balder - Lola T70 Mk3A/Chevy nº 96 - 4999cc - 10º na geral e 7º na cat. Div.4
29/11/1970 - Torneio Ford Corcel  I Etapa - Interlagos/SP - Ford Corcel - 1372cc -
ND
27/12/1970 - Copa Brasil  IV Etapa - Interlagos/SP - Lola T70 Mk3A/Chevy nº 96 - 4999cc - AB
23/05/1971 - Corrida dos Campeões - Interlagos/SP - Lola T70 Mk3A/Chevy nº 96 - 4999cc -
Div.6  3º Lugar
31/05/1971 - GP Internacional de Tarumã/RS - Lola T70 Mk3A/Chevy nº 96 - 4999cc - Div.6  10º Lugar
20/06/1971 - Torneio União e Disciplina - Interlagos/SP - Lola T70 Mk3A/Chevy nº 96 - 4999cc -
Div.6  AB
07/09/1971 - XII 500 Km de Interlagos/SP - Com Jan Blder - Casari A1/Ford nº 98 - 4440cc - Div.4  AB
19/09/1971 - Campeonato Brasileiro de F-Ford  I Etapa - Tarumã/RS - Merlyn F-Ford nº 15 - 1440cc -
8º Lugar
31/10/1971 - Campeonato Brasileiro de F-Ford  II Etapa - Interlagos/SP - Merlyn F-Ford nº 15 - 1440cc - ND
07/11/1971 - Campeonato Brasileiro de F-Ford  III Etapa - Interlagos/SP - Merlyn F-Ford nº 15 - 1440cc -
Lugar
28/11/1971 - Campeonato Brasileiro de F-Ford  IV Etapa - Tarumã/RS - Merlyn F-Ford nº 15 - 1440cc - 8º Lugar
26/03/1972 - Copa Paraná - Autódromo de Pinhais/PR - Casari A-1/Ford nº 96 - 4440cc -
Div.4  1º Lugar
23/07/1972 - Prêmio de Stock Car - Jacarepaguá/RJ - Chevrolet Opala nº 2 - 4098cc - 6º Lugar
21/01/1973 - Autocross no Leme - Praia do Leme/RJ - Bugre - nº ?? 1584cc -
BUG  1º Lugar
31/03/1974 - VII Mil Km de Brasília/DF - Autódromo - Com Francisco Gabriel - Chevette nº 42 - 1398cc - 28º na geral e  8º na cat. T-1.6
25/05/1974 - II 25 Horas de Interlagos/SP - Com Francisco Gabriel/Rubens Succar - Chevette nº 44 - 1398cc -
17º na geral e 11º na cat. T-1.6
28/07/1974 - I 12 Horas de Goiânia/GO - Com Mauro Sá Mota - Ford Maverick nº 9 - 4998cc - T+3.0  7º Lugar
04/08/1974 - 3 Horas de Velocidade Brasília/DF - Com Mauro Sá Mota - Ford Maverick nº 1 - 4998cc -
T+3.0  2º Lugar
06/10/1974 - 6 Horas de Tarumã/RS - Com Mauro Sá Mota - Ford Maverick nº 96 - 4998cc - T+3.0  9º Lugar
16/03/1975 - 1ª Etapa do Brasileiro de F-Super Vê (1ª Paulista) - Interlagos/SP - Polar nº 96 - 1584cc -
9º Lugar
23/03/1975 - 200 Milhas de Brasília/DF - Autódromo - Com Mauro Sá Mota - Ford Maverick nº 26 - 4950cc - T+3.0  3º Lugar
30/03/1975 - 120 Milhas de Goiânia/GO - Com Mauro Sá Mota - Ford Maverick nº 26 - 4950cc -
T+3.0  2º Lugar
20/04/1975 - XI Mil Km de Brasília/DF - Autódromo - Com Mauro Sá Mota - Ford Maverick nº 3 - 4950cc - 40º na geral e 18º na cat. T+3.0
04/05/1975 - 200 Km de Goiânia/GO - Ford Maverick nº 96 - 4950cc -
T+3.0  1º Lugar
01/06/1975 - Goiânia 200 - Goiânia/GO - Ford Maverick nº 96 - 4950cc - T+3.0  1º Lugar
27/07/1975 - II 12 Horas de Goiânia/GO - 3ª do Brasileiro de Div.1 - Com Mauro Sá Mota/Reginldo Bufaiçal - Ford Maverick nº 15 - 4950cc -
T+3.0  8º Lugar
10/08/1975 - Imprensa Nacional Brasília/DF - Autódromo - Com Paulo Cesar Lopes - Ford Maverick nº 43 - 4950cc - T+3.0  8º Lugar
14/09/1975 - 1ª Etapa do Torneio Sulamericano de Maverick - Interlagos/SP - Ford Maverick nº 39 - 2301cc -
30º Lugar
Estas duas provas foram disputadas com carro fornecido pela Ford (Maverick 4 cilindros) igual para todos.
21/09/1975 - 2ª Etapa do Torneio Sulamericano de Maverick - Brasília/DF - Ford Maverick nº 6 - 2301cc -
31º Lugar
28/09/1975 - IV 500 Km de Brasília/DF - Autódromo - 4ª Etapa do Brasileiro de Div.1 - Com Mauro Sá Mota - Ford Maverick nº 12 - 4950cc - T+3.0  10º Lugar
26/10/1975 - 3 Horas de Brasília/DF - Autódromo - Com Mauro Sá Mota - Ford Maverick nº 1 - 4950cc -
T+3.0  4º Lugar
xx/xx/1975 - 200 Milhas Noturnas de Fortaleza/CE - Com Paulo Cesar Lopes - Ford Maverick - 4950cc - T+3.0 1º Lugar
25/04/1976 - XII Mil Km de Brasília/DF - Autódromo - 1ª Etapa do Brasileiro de Div.1 - Com Murilo Piloto - Alfa Romeo 2300 nº 27 - 2310cc -
52º na geral e 4º na cat. T-3.0


VOLTAR AO TOPO DA PÁGINA
ou
VOLTAR À PÁGINA INICIAL