Uma visão dos nossos históricos anos sessenta e um pouco antes

Voltar  para  Página Inicial

Ir  para  "Lendas e histórias"

Pilotos:
Agnaldo de Goes Aldo Costa Alfredo Santilli Amauri Mesquita Antonio C. Aguiar Arlindo Aguiar Aroldo Louzada Bica Votnamis
Bird Clemente Bob Sharp Breno Fornari Caetano Damian Camillo Christofaro Carlos Sgarbi Catharino Andreatta Celso L. Barberis
Christian Bino Heins Ciro Cayres Domingos Papaleo Eduardo Celidonio Emerson Fittipaldi Emilio Zambelo Ênio Garcia Eugênio Martins
Francisco Lameirão Fritz D'Orey Graziela Fernandes Haroldo Vaz Lobo Henrique Casini Jan Balder Jaime Pistili Jayme Silva
José Tôco Martins Júlio Andreatta Luiz A. Margarido Luiz Carlos Valente Luiz Pereira Bueno Luiz Valente Marinho Nicola Papaleo
Nilo de Barros Vinhaes Norman Casari Orlando Menegaz Nastromagario Pedro C. Pereira Piero Gancia Raphael Gargiulo Ricardo Rodrigues de Moraes
Roberto Gallucci Roberto Gomez Salvador Cianciaruso Toninho Martins Victorio Azzalin Vitório Andreatta Waldemar Santilli Zoroastro Avon
Preparadores e/ou construtores:
Anísio Campos Jorge Lettry Miguel Crispim Nelson Brizzi Toni Bianco Victor Losacco    
Pioneiros:
Ângelo Juliano Benedicto Lopes Chico Landi Chico Marques Gino Bianco Hermano da Silva Ramos Irineu Correa João R. Parkinson
Manuel de Teffé Nascimento Junior Norberto Jung Sylvio A. Penteado Villafranca      

 

Página acrescentada em 19 de março de 2005.  -  Atualizada em janeiro de 2021
 
Eugênio Martins
por Paulo Roberto Peralta

1956 - Mil Milhas

Nasceu em São Paulo, capital, no dia 19 de julho de 1932.

Formado em engenharia dedicou sua vida profissional à construção civil. É obra de sua construtora o "Central Parque Lapa" em São Paulo e o conjunto "Jardim Satélite" em São José dos Campos (SP), milhares de residências, além de muitas outras obras.

No automobilismo começou em 1954 com 22 anos e 2 dias de idade a bordo de um MG na categoria Esporte até 2.000 cc. A seguir, gostou tanto que comprou um chassi de Maserati 4CL e mandou para Nelson Enzo Brizzi equipar com um motor Jaguar e preparar o carro, estreando na "100 Milhas do IV Centenário" também em 1954, quando correu com o pseudônimo de “I.A.C.” com a Maserati/Jaguar e, é claro: 1° Lugar na categoria.
Depois disso desenvolveu uma vitoriosa carreira.

1954 - Nelson Brizzi preparando o carro

1954 - Com Nelson Brizzi e outros

1954 - 100 Milhas do IV Centenário

1954 - 100 Milhas do IV Centenário

Em 1955 fez apenas uma corrida, "II Prova Prefeitura de São Paulo" em Interlagos, era uma prova de turismo abaixo de 1.1, como seu Simca Huit estava com motor de 1.221cc, fora de regulamento, portanto não poderia correr, mas pediu para correr mesmo que sem classificação, e foi atendido, correria só por correr:
"... logo de inicio Leone Bracali, com seu Fiat-Bracali tomou a dianteira, para ser ultrapassado em seguida por Eugenio Martins, com Simca, correndo este ultimo sem direito a classificação, por ser seu carro equipado com motor de 1.200cc quando o motor certo para esse tipo de Simca é o de 1.100cc... Eugenio Martins, repetimos, que correu fora de classe, cobriu as vinte voltas do percurso em 39'18"3..." - A Gazeta Esportiva (12/12/1955)

Pilotou todo tipo de carro, Mecânica Nacional, Esporte, Carretera e Turismo nacional em todas as categorias, foi campeão da categoria "Mecânica Nacional" nas temporadas de 1957 e 1958.

Em 1956 na prova em comemoração do 49º aniversário do ACB ele vinha liderando a prova quando foi obrigado a parar:
" O favorito Eugenio de Andrade Martins, não obstante ter ponteado a corrida até a 8ª volta, viu-se na contingência de abandonar a pista em virtude do rompimento do radiador de seu "Jaguar-Maserat". - Correio Paulistano (18/09/1956)

Naquele ano ainda, na primeira edição da "Mil Milhas Brasileiras", conseguiu aquele que foi seu grande feito: segundo lugar fazendo dupla com Christian "Bino" Heins a bordo de um VW/Porsche 1500cc. preparado por Jorge Lettry,  que seguindo o regulamento "Força Livre" (veículo e bloco do motor da mesma marca), preparou um Volkswagen 1200cc (ano 1952) usando o bloco de motor original mas com todas as peças internas de um motor Porsche 1.5 super, elevando a potencia para 74 cv. A maior novidade foi o sistema de carter seco que exigiu um radiador de óleo dianteiro e para isso foi construído um capô especial em fibra de vidro (novidade na época).
Correram contra as famosas "carreteras" (principalmente as do RS) equipadas com motores de 4000, 4500cc. e mais que o dobro de potência, foi um vice com sabor de vitória.

1956 - Mil Milhas Brasileiras
Em ação com o VW/Porsche
1956 - Mil Milhas Brasileiras - Premiação
À esquerda,.Christian Heins

1956 - Mil Milhas Brasileiras
Passando em frente às arquibancadas

1956 - Motor Jaguar de seu Measerati

1957 - II Mil Milhas Brasileiras - Box
















Em 1956 a mecânica Jaguar foi tranferida para uma Maserati 4CLT/48, com a qual Eugenio venceu o “Grande Prêmio Benedito Lopes” e o “Grande Premio Santos Dumont“, sagrando-se campeão Paulista da categoria.

Em 1957 vendeu seu mecânica Nacional Maserati/Jaguar para José Gimenez Lopes:
"Por uns tempos o automobilismo paulista ficará privado de uma de suas grandes figuras com o afastamento do conhecido e estimado piloto Eugenio Martins que vai se afastar temporariamente, pois "Eugeninho", como é conhecido nas rodas automobilisticas de São Paulo, acaba de vender o seu carro, um dos melhores da Mecânica Nacional, para o antigo piloto e conhecido industrial do Brás, José Gimenez... adquiriu um ótimo carro. A máquina de Eugenio Martins é uma das mais temidas " - A Gazeta Esportiva (01/04/1957)

1957 - Premiação do 500 Km das mãos de Ademar de Barros

1958 - Mil Quilômetros de Buenos Aires
com Celso Lara Barrberis

Na primeira edição do "500 Quilômetros de Interlagos" em 1957, outro feito: como era prova de revezamento e o regulamento não proibia, inscreveu-se em dois carros, um em parceria com Godofredo Vianna Filho e no outro com Antonio Mendes de Barros, filho do então prefeito Ademar de Barros. E classificou os dois! Um em 3º lugar e o outro em 4º lugar, respectivamente.

Na edição a “II Mil Milhas Brasileiras”, em 1957, participou com um DKW F-91 em dupla com Ciro Cayres, mas estavam tão mal que Ciro abandonou a prova antes do término, Eugenio então a concluiu sozinho e em função das quebras e desistências ainda classificou em 19º lugar. Completou 172 voltas das 201 previstas.

Participou também de duas provas Internacionais do "World Sports Car Championship" em Buenos Aires no Autodromo Costaneva Norte, o “Mil Quilômetros de Buenos Aires”, em parceria com Celso Lara Barbéris na categoria "Sports 3.0", por duas vezes: em 1957 (Acidente na volta 92 quando estavam na 6ª colocação - Pelo número de voltas: 13° Lugar na geral e 5° na Cat. Sports 3.0) e em 1958 (quebra de motor na volta 57, pelo número de voltas: 14° Lugar na geral e 6° na Cat. Sports 3.0), ambas com a Ferrari 750 Monza de Celso.

1959 - Mil Milhas Brasileriras - Turtismo TFL

Em 1959 participou da criação da equipe Vemag junto com seu amigo Jorge Lettry, ainda não uma equipe oficial mas uma equipe de testes, onde corriam sob o nome da concessionária "Serva Ribeiro".
Nesse ano participou da "IV Mil Milhas Brasileiras" em Interlagos fazendo dupla com Christian Heins no DKW Vemag nº 18, na categoria TFL, mas não terminaram a prova, o carro quebrou.

1960 - GP Juscelino Kubitschek - Brasília
Fotograma de um filme

Em 1960 aconteceu o "II Torneiro Sulamericano", uma prova internacional, onde na véspera aconteceram duas provas: Turismo até 2 litros e Turismo Força Livre, corridas simultaneamente mas com classificação em separado, ele, Christian Heins e Mario Cesar de Camargo Filho fizeram inscrição para as duas categorias, então a sua classificação foi: em 5º na TFL e em 3º na T-2.0, correndo a mesma prova.

Foi o primeiro vencedor de uma corrida em Brasília, a nova capital federal, foi no “GP Juscelino Kubitschek“ disputada em 1960 no Eixo Rodoviário Sul e que usava a estação rodoviária como box, venceu a primeira prova, foram quatro, reservada para veículos nacionais até 2.000 cc. com preparo, a bordo de um DKW Vemag carreterizado.
Em 1960 na "V Mil Milhas Brasileiras” ia correr em dupla com Christian Heins, mas após uma discussão de Christian com o chefe de equipe, Jorge Lettry, ele abandonou a equipe. Com sua desistência Eugenio passou a fazer dupla com o amigo Bird Clemente que assim fez sua primeira corrida com a futura equipe Vemag. (Christian acabou fazendo dupla com Chico Landi em um FNM/JK e venceram a prova)

Em 1961/62 fez quatro corridas com o FNM/JK, participou da "I Premio Aniversário de Brasilia" (ND); "24 Horas de Interlagos" com Álvaro Varanda (2º lugar); "VI Mil Milhas Brasileiras" fazendo dupla com o amigo Aguinaldo de Goes Filho num  FNM/JK 2000 (11º lugar) e começou 1962 participando com o FNM/JK da prova "12 Horas de Interlagos" em parceria com Roberto Gallucci mas abandonaram por acidente.

1961 - II 24 Horas de Interlagos
Largada com FNM/JK nº 1

1961 - Com o amigo Aguinaldo de Goes

1961 - VI Mil Milhas
com Aguinaldo de Goes

1962 - 12 Horas de Interlagos
com Roberto Gallucci

 

1962 - Quilômetro de Arrancada (RJ)

Meses depois com a criação da equipe Willys chefiada por seu amigo Christian Heins, Eugênio passou a competir pela marca, estreando com Berlineta Interlagos no “I Mil Quilômetros de Brasília”, prova em que participou em dois carros, um com Luiz Antonio Greco (Dauphine), 1º colocado na categoria, e o outro com Rodolfo Olival Costa (Berlineta), abandonaram por quebra mecânica.
Sua ultima participação na equipe foi um prova de arrancada no Rio de Janeiro "Quilômetro de Arrancada" Foram, ele, Christian Heins e Luiz Antonio Greco, com um Renault Gordini de 845cc conseguiu o 2º Lugar.

Em 1963 acabou fazendo apenas 1 corrida, a “II 12 Horas de Interlagos” em março, ao lado de Chico Landi e Budy Loureiro ao volante de um FNM/JK, não terminaram, e essa foi sua ultima corrida como piloto, pois depois do falecimento de dois amigo: Christian Heins (junho) e Celso Lara Barberis (setembro), em acidentes de corrida, ambos em 1963, e mais questões familiares, levou Eugênio Martins a tomar a decisão de parar de pilotar e assumir o cargo de Chefe da Divisão de Relações Públicas da Willys Overland do Brasil.

1074 - Eugenio patrocinando Ciro Cayres

Mas Eugênio não se afastou do automobilismo, nunca abandonou totalmente o automobilismo, continuou sempre colaborando com vários pilotos e equipes.

Em 1966 Mario César de Camargo Filho, o “Marinho”, havia aberto a Marinho Veículos, e pouco tempo depois Eugenio se associou e conseguiram uma concessão de revenda Volkswagen.

Em 1968 abriu, com Chico Landi, a CBE (Companhia Brasileira de Empreendimentos) representante da marca BMW no Brasil. Como não podia deixar de ser os sócios montaram uma equipe de Competição com carros BMW e que não deu outra, a dupla Jan Balder e Pedro Victor Delamare venceu a “I 500 Milhas da Guanabara”, e depois Jan Balder em dupla com Chico Landi, venceu a “VI 500 Quilômetros de Porto Alegre”, essa empresa durou um ano e em 1969 foi vendida para o amigo e empresário Aguinaldo de Goes Filho que a rebatizou como CEBEM (Companhia Brasileira de Empreendimentos Mercantis).  

Chico Landi correndo com um carro Chevrolet Opala da equipe de Eugênio Martins, que tinha uma revenda da marca, venceu a prova “Governador Paulo Pimentel” no Autódromo de Pinhais (PR) em março de 1969 para carros nacionais e realizada no aniversário de Curitiba (PR) foi a primeira vitória de um carro Opala em pistas brasileiras.

Foi casado com Dna. Nilza e teve uma filha, Mariângela, após enviuvar, casou-se mais duas vezes e teve mais um filho.
Uma doença o derrotou em 1° de março de 2005 com quase 73 anos de idade.

 

Nota do autor:

Comecei a freqüentar Interlagos em setembro de 1963 e nunca o vi correr, sua última prova havia sido uns meses antes. Anos depois, (entre 09/1970 e 02/1973) trabalhei, a convite do meu professor de desenho do curso técnico, como desenhista na construtora Regional São Paulo onde Eugênio era sócio de seu irmão Tito Livio, além de outros. Mas na empresa ele era o “Dr. Eugênio”, engenheiro civil, diretor, jamais falava de automobilismo, pelo menos com os funcionários. Eu, em véspera de casamento tinha minha cabeça centrada em outros assuntos, nunca "caiu a ficha" que ele era o "Gêninho" das pistas. Isso até o dia, já depois de quase dois anos, quando ao chegar encontrei na recepção ninguém menos que Chico Landi. Conversamos rapidamente e fiquei sabendo de um carro que eles estavam preparando na oficina da fábrica de blocos, e fui lá ver, se não me engano era o Meta 20. O ano, tenho certeza, era 1972, pois pouco depois voltei a encontrar o Chico numa festa junina da empresa e ele carregou meu filho recém nascido no colo, coisa que nunca se esquece.

 

Principais participações em provas (Com a colaboração de Napoleão Ribeiro)

11/07/1954 - 1ª Etapa do Campeonato Paulista - Interlagos/SP - MG nº 5 -
4º Lugar na geral e 2º na cat. Sport até 1250 cc
28/11/1954 - 100 Milhas do IV Centenário - Interlagos/SP - Maserati4CL/Jaguar nº 10 - 3º Lugar na geral e 1º na MN
11/12/1955 -
II Prova Prefeitura de São Paulo - Interlagos/SP -  Turismo - Simca 8 nº 46 - T-1.0 S/Classificação 
08/04/1956 - Temporada do Automóvel Clube do Brasil -
Interlagos/SP - Maserati4CL/Jaguar nº 12 - 2º Lugar na geral e 1º na MN
17/06/1956 - 2 Horas de Velocidade - Aniversário do Centauro - Interlagos/SP - Maserati4CL/Jaguar nº 12 - ND
12/08/1956 - I Prêmio Benedicto Lopes - Interlagos/SP - Maserati4CL/Jaguar nº 8 - 1º Lugar - Melhor volta
07/09/1956 - I Prêmio Juscelino Kubitischek - Eng, Passos/RJ-Caxambu/MG - Simca - 6º lugar
16/09/1956 - Prova 49° Aniversário do ACB - Interlagos/SP - Maserati4CL/Jaguar nº 8 - MN - AB
24/11/1956 - I Mil Milhas Brasileiras -
Interlagos/SP - Com Christian Heins - VW/Porsche 1500 cc. nº 18 - 2º Lugar
16/12/1956 - Prêmio Santos Dumont - Mec. Nac. - Interlagos/SP - Maserati4CL/Jaguar - 1º Lugar - Melhor volta
20/01/1957 - Mil Quilômetros Ciudad de Buenos Aires - ARG - Com Celso Lara Barbéris - Ferrari 750 Monza n° 38 - 13° na geral e 5° na Cat. Sports 3.0
07/09/1957 - I 500 Quilômetros de Interlagos/SP - Com Godofredo Vianna Filho - Ferrari/Studebaker 4200 cc nº 14 - 3º Lugar
07/09/1957 - I 500 Quilômetros de Interlagos/SP - Com Antônio Mendes Barros - Maserati/Ford Edelbrock 3.800 cc nº 90 -
4º Lugar
23/11/1957 - II Mil Milhas Brasileiras - Interlagos/SP - Com Ciro Cayres - DKW Vemag nº 8 - 19º Lugar
26/01/1958 - Mil Quilômetros Ciudad de Buenos Aires - ARG - Com Celso Lara Barbéris - Ferrari 750 Monza n° 24 - 14° Lugar na geral e 6° na Cat. Sports 3.0
07/09/1958 - II 500 Quilômetros de Interlagos/SP - Com Antônio Mendes Barros - Maserati/Corvette nº 84- 20º Lugar
Não terminou a corrida, classificação pelo número de voltas Completadas.
22/11/1958 - III Mil Milhas Brasileiras - Interlagos/SP - Com Antônio Mendes Barros - Carretera/Ford nº 84 -
8º lugar
21/11/1959 - IV Mil Milhas Brasileiras - Interlagos/SP - Com Christian Heins - DKW Vemag nº 18 - 981cc - AB  
09/01/1960 - Preliminar do Torneiro Sul-Americano - Interlagos/SP - DKW Vemag - 3º na T-2.0
09/01/1960 - Preliminar do Torneiro Sul-Americano - Interlagos/SP - DKW Vemag - 5º na TFL-2.0

17/01/1960 -
GP Cidade do Rio de Janeiro - Barra da Tijuca/RJ - DKW Vemag 981cc - 4º na geral e 2º na T-2.0
13/03/1960 - II Circuito de Piracicaba/SP - DKW Vemag nº 33 -
10º Lugar
23/04/1960 - I G. P. Juscelino Kubitschek - Eixo Rodoviário Sul - Brasília/DF - DKW Vemag nº 34 A-
T-2.0 (preparados) - 1º Lugar  
Foram realizadas três provas nesse dia, participou de duas.

23/04/1960 - I G. P. Juscelino Kubitschek - Eixo Rodoviário Sul - Brasília/DF - DKW Vemag nº 20 B - Turismo -
8º na geral e  5º na T-1.3
12/06/1960 - Prova ACB - Interlagos/SP - DKW Vemag - 6º Lugar na geral e 2º na Turismo até 1300.
03/07/1960 - I 24 Horas de Interlagos - GEIA - SP - Com Christian Heins - DKW Vemag n° 18 -
7º na geral e 2º T-1.3
27/11/1960 - V Mil Milhas Brasileiras - Interlagos/SP- Com Bird Clemente - DKW Vemag nº 18 - AB
14/01/1961 - Preliminar do Torneio Sul-Americano - Interlagos/SP - DKW Vemag -
1º Lugar
23/04/1961 - Prêmio Aniversário de Brasília/DF - FNM/JK 2000 - 1.975cc - 2º Lugar
14/05/1961 - III Circuito de Piracicaba/SP - Turismo 1300 cc - DKW Vemag -
9º Lugar
03/06/1961 - II 24 Horas de Interlagos/SP - Com Álvaro Varanda - FNM/JK 2000 nº 1 - 1.975cc -
2º Lugar
26/11/1961 - VI Mil Milhas Brasileiras - Interlagos/SP- Com Aguinaldo de Goes Filho - FNM/JK 2000 nº 23 - 1.975cc - 11º Lugar
25/01/1962 - 12 Horas de Interlagos/SP - Com Roberto Gallucci - FNM/JK 2000 nº 47 - 1.975cc - 
AB 
29/04/1962 - Mil Quilômetros de Brasília/DF - Com Rodolfo Olival Costa - Willys Interlagos nº 12 - AB
Nessa prova novamente participou em dois carros.
29/04/1962 - Mil Quilômetros de Brasília/DF - Com Luiz Antônio Greco - Renault Dauphine -
8º Lugar na geral e 1º na categoria
20/05/1962 - Festival Automobilístico ACESP - Interlagos/SP - Willys Interlagos - 3º Lugar na geral e 2º na categoria
10/06/1962 - Quilômetro de Arrancada - Rio de Janeiro/RJ - Renault Gordini - 845cc nº 42 A -
2º Lugar
10/03/1963 - 12 Horas de Interlagos/SP - Com Chico Landi - FNM/JK 2000 - 1975cc - AB


VOLTAR AO TOPO DA PÁGINA
ou
VOLTAR À PÁGINA INICIAL