Uma visão dos nossos históricos anos sessenta e um pouco antes

Voltar  para  Página Inicial

Ir  para  "Lendas e histórias"

Pilotos:
Agnaldo de Goes Aldo Costa Alfredo Santilli Amauri Mesquita Antonio C. Aguiar Arlindo Aguiar Aroldo Louzada Bica Votnamis
Bird Clemente Bob Sharp Breno Fornari Caetano Damian Camillo Christofaro Carlos Sgarbi Catharino Andreatta Celso L. Barberis
Christian Bino Heins Ciro Cayres Domingos Papaleo Eduardo Celidonio Emerson Fittipaldi Emilio Zambelo Ênio Garcia Eugênio Martins
Francisco Lameirão Fritz D'Orey Graziela Fernandes Haroldo Vaz Lobo Henrique Casini Jan Balder Jaime Pistili Jayme Silva
José Tôco Martins Júlio Andreatta Luiz A. Margarido Luiz Carlos Valente Luiz Pereira Bueno Luiz Valente Marinho Nicola Papaleo
Nilo de Barros Vinhaes Norman Casari Orlando Menegaz Nastromagario Pedro C. Pereira Piero Gancia Raphael Gargiulo Ricardo Rodrigues de Moraes
Roberto Gallucci Roberto Gomez Salvador Cianciaruso Toninho Martins Victorio Azzalin Vitório Andreatta Waldemar Santilli Zoroastro Avon
Preparadores e/ou construtores:
Anísio Campos Jorge Lettry Miguel Crispim Nelson Brizzi Toni Bianco Victor Losacco    
Pioneiros:
Ângelo Juliano Benedicto Lopes Chico Landi Chico Marques Gino Bianco Hermano da Silva Ramos Irineu Correa João R. Parkinson
Manuel de Teffé Nascimento Junior Norberto Jung Sylvio A. Penteado Villafranca      

 

Página acrescentada em 12 de outubro de 2007.  Atualizado em dezembro de 2020

Luiz Pereira Bueno (o Peroba)
por Paulo Roberto Peralta

Clique e veja a bonita homenagem que o MG Clube prestou ao Luizinho em 2008

Bueno e Peralta em 2007

Filho caçula entre três irmãos, Sylvia a mais velha, depois Vasco e Luiz que nasceu no bairro de Higienópolis em São Paulo (SP) no dia 16 de janeiro de 1937. Em 1944, com 7 anos os pais o levaram à Interlagos num passeio dominical, foram ver uma corrida de carros movidos a gasogênio.
Em Higienópolis Bueno morava na Rua Aracaju, muito próximo da Rua Pernambuco onde moravam os irmãos Ari e Ciro Caíres, e que;
“-...andavam feito doidos...ficavam passando para lá e para cá...” Relembra.
Cláudio Daniel Rodrigues logo após dar baixa na Força Aérea (em 1947) se casou com Sylvia (irmã de Luizinho), tempos depois importou um carro MG e o desenvolveu com informações conseguidas na Inglaterra e mais seu conhecimento sobre aviões, o carro ficou tão bom que passou a ir à Interlagos para andar.

Tinha também um primo de sua mãe, Ico Ferreira, corredor e que morava na mesma região.

Em 1948 voltou à Interlagos, desta vez com seu cunhado e seu irmão, e aí Bueno naturalmente se apaixonou por corridas, mas tinha apenas 11 anos. E depois de ter feito um ótimo curso primário e entrado direto para o ginásio no Colégio Rio Branco, foi reprovado, então seu pai o chamou e disse:
“- Não é castigo mas você vai para Campinas, colégio interno, para pegar disciplina e aprender a estudar, gostar de corrida, gostar de motor, gostar de automóvel, tudo bem, mas o mínimo que você precisa é estudar.” E assim foi em 1949 e ficou 2 anos no Ateneu Paulista (Rua Barreto Leme, bairro Cambuí), passou a ser o primeiro da classe e voltou, mas durante o tempo que ficou lá vinha para São Paulo nos finais de semana e sempre ia assistir aos treinos do cunhado, terminou o ginásio já em São Paulo.

Quando voltou, Cláudio havia aberto uma oficina mecânica e seu irmão Vasco o ajudava, Cláudio já corria e Vasco também, e em 1951 vão, ele, o cunhado, a irmã e o irmão assistir ao “XI GP Cidade do Rio de Janeiro” (Circuito da Gávea), chegaram na véspera, escolheram um lugar com boa visibilidade e para guardar o lugar escolhido dormiram nos carros. Chico Landi, seu ídolo, chegou em segundo lugar, o argentino Froilán Gonzalez venceu.

Passou então a dividir seu tempo entre os estudos e a oficina, onde ia “-...aprender a lavar peças”, diz, mas na verdade queria aprender muito mais, a preparação, o desenvolvimento e aprendeu também o esquema para amaciamento de motores, um processo que exigia muita disciplina em respeitar as faixas de rotação do motor, e ficou craque nisso, então após as aulas ia com sua pequena moto até Interlagos e lá passava a tarde toda dando voltas e assentando o motor, com isso ficou conhecendo o circuito como poucos.

Vasco havia comprado um Fiat Stanguelini que Emílo Comino, um grande entusiasta do automobilismo e dono de uma oficina de carburadores, havia importado, modelo esportivo de alumínio, leve, e que Ciro Cayres havia corrido representando o Comino, patrocinado por ele.

1957 - Fiat - Cinquentenario do ACB

Aos 19 anos (1956) Bueno resolveu começar a correr, seus pais deram outro carro ao Vasco e o Fiat ficou para as corridas, por essa época estava cursando o Científico no Colégio Paes Leme, que depois concluiu no Liceu Eduardo Prado.

Começou a correr e continuou ajudando na oficina de Cláudio que havia se tornado um ponto de encontro de pilotos e aficionados, e foi lá que conheceu Bird Clemente, entre outros. Bird queria começar a correr e tinha um amigo, João Batista Carneiro, dono de uma retífica, que propôs uma troca para Bueno, ele dava um Simca Huit, e Bueno montava o seu motor e cambio no carro, em troca Luiz dava seu Fiat sem motor e cambio, e assim foi feito, com esse carro ele e Bird se inscreveram na “III Mil Milhas Brasileiras” em 1958, mas o carro quebrou logo no início da prova.

1958 - 500 Quilômetros de Interlagos

1958 - 500 Quilômetros de Interlagos

1958 - Mil Milhas Brasileiras 1958  Prova Crônica Esportiva Paulista

Em 1959, aos 22 anos, atendendo anuncio da Willys (fabricante de automóveis) fez fila na porta da fábrica e conseguiu vaga para trabalhar na unidade de eixos e transmissões mas ficou poucos meses, só até aprender a parte de transmissões, saiu e logo em seguida entrou para uma concessionária, a Agromotor, trabalhou um pouco com a linha de Jipe e Rural Willys e pouco antes do lançamento do Renault Dauphine, que era fabricado sob licença pela Willys, foi para a fábrica e faz um estágio especializando-se nesses carros.

Em 1960, aos 23 anos se casou, e desse casamento nasceram 3 filhos: Luiz Junior, Eduardo e Maria Alice. Em 59 e 60 fica sem correr.

Já em 1961 voltou a correr, desta vez se inscreveu em dupla com Danilo de Lemos com um Dauphine na prova “II 24 Horas de Interlagos”, foram bem no índice performance e conheceram Mauro Salles que também havia corrido e este os apresentou para a diretoria da Willys, e convidados, conheceram um projeto sigiloso para o qual Bueno foi convidado a trabalhar, mas num departamento novo que estava para se iniciar, o Departamento de Carros Esporte. Admitido foi para a França fazer um estágio na fábrica do Alpine, de Jean Redelé, o Alpine foi fabricado no Brasil pela Willys e recebeu o nome de Willys Interlagos. Retornando ao Brasil, Christian Heins já havia sido admitido como chefe e pouco tempo depois foi criado o Departamento de Competições para desenvolver os carrinhos, e Bueno também estava nele.

Com o inicio do Departamento de Competições, vendo não ser possível conciliar o lado esportivo com o lado profissional, se desligou da fábrica, ficando apenas como piloto de competição.

Em 1962 abriu, com um amigo de infância, Franklin Martins, uma oficina onde preparava carros da linha Renault, a Oficina Torke na Rua Jesuíno Pascoal.

Em 1962 corria pela Equipe Willys, que não ia participar da prova “V 500 Quilômetros de Interlagos” reservada aos carros de fórmula, e nos boxes pouco antes da prova foi convidado a fazer dupla pelo amigo Waldimir Fakri numa Ferrari/Lancia V6 de Mecânica Nacional, fez inscrição na própria pista e participou, chegaram em sétimo lugar.

Na equipe “ficou de castigo” por mais de um ano, pois Christian dizia precisar de alguém firme para pilotar os Gordini, até que em 1963 correu com o Fórmula Junior Landi/Bianco/Gordini em Araraquara e foi tão bem que já na corrida seguinte passou para o Willys Interlagos.

No “VI 500 Quilômetros de Interlagos” em 1963 voltou a pilotar o F-Jr, mas a caixa de direção quebrou, se soltou, e corria de um lado para o outro quando girava o volante, então as rodas não viravam. Desistiu.

1963 - II 3 Horas de Velocidade 1963 - I 1500 Quilômetros de Interlagos - Com Wilsinho 1964 - Outubro -  Recorde do Gordini.

Em 1964, aos 27 anos de idade, correu em dupla com Chico Landi, seu ídolo desde a adolescência, que havia entrado como consultor na equipe, na prova “II 500 Milhas de Porto Alegre” (RS), em seguida, ainda com Landi fez sua primeira prova internacional, a “200 Milhas de Montevidéu”, no Autódromo de “El Pinar”, mas o carro apresentou problemas obrigando a seis paradas no box.
No mês de outubro, véspera da tentativa da Willys de estabelecer o recorde de resistência com o carro Gordini, foi escalado para ir e voltar ao Rio de Janeiro durante a madrugada para amaciar o motor, afinal era um craque nisso.

Ganhou a prova “IX 500 Quilômetros de Interlagos” em 1966, com o Alpine A110 Renault desenvolvido por Toni Bianco. No “XI Circuito de Petrópolis” (RJ) também chamada de “3 Horas de Velocidade de Pertopolis” ele foi envolvido num acidente onde atropelou Cacaio (Joaquim Carlos Telles de Matos) que naquela prova não participava. Houve um acidente com Carol Figueiredo e Cacaio entrou na pista para sinalizar que o caminhão de bombeiros havia entrado na pista:
“Luiz que completava a quarta volta vê o caminhão de bombeiros, desvia-se para a esquerda, e nesse momento aparece Cacaio à sua frente. Bueno tenta frear, mas é tarde: Cacaio é atingido, bate no pára-brisa do carro, é jogado para o alto. Cai e fica imóvel, ... A prova é suspensa e os carros vão parando, Luizinho chega ao boxe. Seu rosto está ensanguentado e ele desce do carro quase gritando: - Peguei o Cacaio! Peguei o Cacaio!”
(4 Rodas - Agosto/1968)

Ficou na equipe e correu até novembro de 1968, quando já se chamava Equipe Ford-Willys, durante esse tempo fez parcerias com diversos pilotos, Bird Clemente, Wilson Fittipaldi Junior, José Carlos Pace, Luiz Fernando Terra Smith, Francisco Lameirão, enfim todos que passaram pela equipe.

27/03/1965 - II 1600 Quilômetros de Interlagos com José Carlos Pace

31/10/1965 - VIII 500 Quilômetros de Interlagos

1966 - Recebendo premiação
500 Km. de Interlagos

17/12/1967 - Prova Almirante Tamandaré Willys Mark I

1967 - IX Mil Milhas Brasileiras -Willys Mark I 1967 - Largada - Prova Almirante Tamandare 1968 - 500 Km. da Guanabara - Bino Mark II

Fora da Equipe Ford-Willys Bueno fez a última corrida de 1968, o “II Mil Quilômetros da Guanabara”, com uma BMW 2000TI da Equipe CBE de Eugenio Martins, em dupla com Jan Balder, mas um erro dos mecânicos fez trincar o bloco do motor e tiveram que parar (no pit-stop a equipe completou a água com o motor desligado).

1969 - Estado em que ficou a BMW

Em 1969 essa equipe foi comprada por Aguinaldo de Góes Filho e passou a se chamar CEBEM, e Bueno foi correr em Curitiba (PR), Autódromo dos Pinhais, com uma BMW “Schnitzer”, mas nos treinos capotou e não participou da prova:
”- A capotagem com o BMW foi terrível porque fui envolvido num ambiente de afobação, e a pior coisa que pode haver é de ficar afobado, não só para guiar, mas também na preparação.” Explicou.

No mês seguinte, novamente em dupla com Jan Balder participou com uma BMW da Equipe CEBEM do “V Mil Quilômetros de Brasília”, mas não concluíram a prova.

Em seguida, Bueno e Ricardo Achcar foram à Inglaterra correr de Fórmula Ford pela equipe SMART (Stirling Moss Racing Team), chegaram em maio com o campeonato já iniciado e foi preciso muita conversa para Moss aceitar a dupla, afinal deveriam ter chegado em março:
”- Deveríamos ter ido no comecinho do ano, mas demorou muito para conseguir patrocínio”. Disse.

1969 - Londres - com Stirling Moss, Achcar e Norman Casari

Diz a lenda que um teste havia sido conseguido pelo Ricardo Achcar quando Moss esteve no Brasil para a entrega do Prêmio Victor da revista 4Rodas, a promessa de um teste para quatro pilotos brasileiros na F-Ford, a ser feito na Inglaterra em fevereiro de 69.
"- O Moss veio para o Brasil a convite de uma revista e o Ricardo o levou para o Rio de Janeiro onde, após passarem por algumas festas, conseguiu convencê-lo a nos receber para um treino na categoria", contou Bueno.
Dessa forma, Ashcar, Bueno, Milton Amaral e Norman Casari se prepararam, e como não tinham verba suficiente, conseguiram com Amadeu Girão, dirigente da Federação Carioca, passagens na TAP para Londres, mas só de ida. A volta seria num navio da Marinha do Almirante Dantas Torres, então presidente da Federação Carioca de Automobilismo.

Chegando em Londres apresentaram-se à Stirling Moss, este, já sóbrio, não se entusiasmava muito a contratar dois pilotos brasileiros, totalmente desconhecidos. Ashcar já tinha uma vitória na F-Ford em Oulton Park no ano anterior, mas os outros eram completamente desconhecidos no circuito internacional, mas, cumprindo a promessa feita no Brasil marcou o teste em Brands Hatch.

1969 - Mallory Park - com Achcar e Ferreirinha

Os pilotos brasileiros alugaram um Triumph esporte e treinaram algumas voltas no circuito. Nesse meio tempo, Ray Allen, campeão inglês de F-Ford em 68, fazia os acertos necessários no F-Ford e fazia tempo para referências no teste.

O teste foi cada um dar cinco voltas, sendo três cronometradas. Os avaliadores, Moss, Lanfranchi e Allen, ficaram instalados na torre, que permitia uma boa visão da pista. Microfones espalhados por todo o circuito captavam o som do motor a cada curva. Norman Casari foi o primeiro a andar, mas rodou na segunda volta. Milton Amaral foi o segundo, mas sem marcar um bom tempo. Bueno assumiu e logo na segunda e terceira volta virou mais rápido que Ray Allen. Por último, Ricardo Ashcar, virou muito bem, mas também rodou. Ray Allen, inconformado com o tempo de Bueno tentou superá-lo e acabou batendo numa curva e destruindo o carro.

Moss empolgou-se com Bueno e ainda o encarregou de escolher seu companheiro, escolha que recaiu em Ashcar por ter sido quem conseguiu o teste. Após alguns dias em Londres foram para Lisboa, a fim de embarcar no navio do Almirante de volta para o Brasil.
Lá chegando, foram recepcionados pelo Almirante que os informou que não poderiam embarcar, pois como era um navio de guerra não era permitido o transporte de civis.

Já sem “grana” recorreram à Amadeu Girão que fez gestões com as autoridades portuguesas que forneceram documentos para que os quatro fossem repatriados, só assim poderiam embarcar num navio de guerra brasileiro. Dessa forma, doze dias depois, embarcaram de volta ao Brasil.
Bueno e Ashcar só voltaram à Europa em maio com patrocínio garantido da Renner, Tergal e Shell, com a temporada de F-Ford inglesa já em andamento.

Aceitos na equipe, logo na primeira prova Bueno sofreu um grave acidente e destruiu o carro. Reconstruído, retornou às competições, mas nas duas provas seguintes só conseguiu resultados ruins, até que um mecânico da fábrica do chassi passando pelo box da equipe percebeu que o carro estava desalinhado, feitos os ajustes passou a obter resultados excelentes, inclusive seis vitórias e terminando o ano como vice-campeão.

Retornando ao Brasil participou do “Torneio BUA” de F-Ford, com cinco provas em quatro autódromos. Como as provas aconteciam uma vez a cada final de semana e a etapa de Fortaleza (CE) acontecia em seguida à de Curitiba (PR) e os carros eram transportados em carretas, só chegaram ao Autódromo do Euzébio tarde da noite de sexta-feira, os mecânicos viraram a noite montando e regulando os carros e o treino só foi realizado no sábado. Bueno que não havia conseguido bons resultados nas etapas anteriores, foi segundo nessa e venceu a seguinte, em Jacarepaguá (RJ).

Com a promessa de um diretor da fábrica Lola Cars, que viera ao Brasil para o Torneio de F-Ford, de que cederia um carro da Fórmula 5000 para ele correr a temporada de 1970, saiu em busca de patrocínio e nesse meio tempo fez duas provas para em seguida, ele, o Greco, e mais um diretor da “Standard Propaganda” irem à Inglaterra, mas o tal diretor não sustentou a promessa, já havia acertado com outro piloto. Aí os três conversaram com o dono da Brabham, Bernie Ecletone, e também com o dono da March, Max Mosley, mas nada foi conseguido.
“- Na época houve até a idéia, o Grego até sugeriu a possibilidade de comprar a Brabham que estava sendo ofertada. Era pequena, não era grande, artesanal. Mas aqui o Greco não conseguiu levantar patrocínio, então fiquei mais um pouco e vim. Relembrou.

1970 - XI 500 Quilômetros de Interlagos
 Bino Mark II

Voltando ao Brasil passou a correr pela equipe Greco quando venceu pela segunda vez o “XI 500 Quilômetros de Interlagos”, com um Bino Mark II, se tornando bicampeão, até que no final de 1970 o publicitário Walter Uchoa de Mendonça teve a idéia de montar uma nova equipe em moldes profissionais, conversou com Anísio Campos, José Carlos Pace, Chico Rosa e Bueno.

Enquanto as coisas se ajustavam participou do Torneio de Fórmula 3 em Janeiro de 1971 em mais uma promoção do Antonio Scavone, antes havia vencido uma das etapas de um torneio realizado pela Ford, para lançar o carro Corcel, e ganhou uma perua modelo Belina da linha do Corcel, como prêmio. Vendeu a Belina e mais o dinheiro recebido dos organizadores do Torneio de F-3 investiu tudo na nova equipe.
Foi feito um contrato, aberta e registrada uma empresa: Equipe “Z”, tudo de forma profissional, ele, Anísio Campos e José Carlos Pace, compraram um Porsche 908/2 e tinham também dois F-Ford, além de outro Porsche, um 910 que Lian Abreu Duarte comprou.
“- O Lian comprou do Mário Oliveti de Petrópolis (RJ), mas tinha problemas no motor e nós nos encarregamos de dar manutenção, o Lian passou a fazer parte da equipe, mas não da sociedade.”

1971 - GP General San Martin - Equipe Z
Las Flores Argentina

A estréia do Porsche 908/2 foi no “Torneio União e Disciplina” em Interlagos, a revisão total do carro só terminou na véspera impedindo Bueno de treinar e fazer a tomada de tempo. Sem tempo saiu no último lugar do grid, mas para surpresa geral já na Curva 1 (da pista antiga) estava em primeiro e assim terminou as duas baterias da prova.
Fizeram três provas como “Equipe Z” até que Achcar telefonou chamando Bueno para um almoço no Rio de Janeiro junto com um diretor da Souza Cruz e lá explicou que havia feito um contrato com a empresa para trazer dois carros para participar do Campeonato Brasileiro, mas a coisa não saiu, não vieram os carros, não seria possível cumprir o acordo e uns 25% do acordo já haviam sido gasto nas tentativas, então ficou acertado de a “Equipe Z” comprar a equipe de Achcar e dessa forma ficar com o patrocínio da Souza Cruz. Para divulgar o cigarro Hollywood, a equipe passou a se chamar Hollywood, depois veio também o patrocínio da Shell.

Nessa época seu primeiro casamento já se havia desfeito e estava casado com uma moça do Rio de Janeiro, mas morando em São Paulo, após uns três anos, nova separação e outro casamento, mas esse duraria uns 20 anos.

Com o Porsche 908/2 venceu em 1971 o “XII 500 Quilômetros de Interlagos”, tornando-se o segundo tricampeão da prova, aos 34 anos e 7 meses de idade (1966, 1970 e 1971). O primeiro tricampeão da prova foi Celso Lara Barberis (1957, 1960 e 1961)

1971 - XII 500 Quilômetros de Interlagos 1972 - XIII 500 Quilômetros de Interlagos  1972 - 100 Milhas de Interlagos

Bueno diz que o carro era excepcional, mas segundo Anísio Campos o cuidado dele com o carro era fora-de-série, coava a gasolina usando como filtro um pedaço de camurça, e chegava a fazer esse trabalho duas a três vezes.
“- Ele cumpria rigorosamente as orientações da fábrica, não acelerava forte enquanto o óleo e o motor não atingissem a temperatura ideal e recomendada.” Relembra Anísio, chefe de equipe na época.

Quando da realização da primeira prova de Formula 1 no Brasil em 30 de março de 1972, a Hollywood alugou um carro March 711 para participar com as cores da equipe, já nos treinos de classificação Bueno conseguiu o décimo tempo e na prova foi o sexto colocado. Em sua primeira participação já teria marcado um ponto (pelos critérios da época) se a prova não fosse extra campeonato.

1972 - GP Brasil de Formula 1 - Participou com um March 711 Ford (prova extra campeonato)
 
1972 - Mil Quilômetros da Áustria

Pelas recomendações da Porsche, o motor do 908/2 deveria passar por uma revisão completa a cada 50 horas de funcionamento. Em junho de 1972, Anísio aproveitou uma pausa no calendário nacional e enviou o Porsche 908/2 à Stuttgart para uma revisão na fábrica. O carro ficaria pronto antes dos Mil Quilômetros da Áustria, disputada no autódromo de Zeltweg. Inscreveram o carro e Bueno fez dupla com José Renato “Tite” Catapani. A surpresa: Bueno/Tite conseguiram o 7º tempo entre 27 carros, ficando atrás apenas de um Mirage M6-Ford, de um Lola T280-Ford e de quatro Ferrari 312PB oficiais, uma delas pilotada pela dupla Helmut Marko/José Carlos Pace. Mas o objetivo da equipe era apenas terminar.
Bueno iniciou a corrida e chegou à primeira curva em 5º lugar, caindo depois para 7º, e estava nessa posição quando, ao fim da primeira hora de corrida, Marko se aproximou para dar uma volta sobre o brasileiro.
“- Dei passagem para ele ficando pelo lado externo de uma curva à esquerda, mas a traseira do carro do Marko deu uma escorregada e acabou esbarrando na minha lateral dianteira esquerda. Saí da pista e tive que abandonar porque o carro teve a suspensão danificada. Foi uma pena”.
Ironia, foi o carro de Pace, um dos sócios da equipe, que os tirou da corrida. No fim, Marko/Pace terminaram em 2º lugar, atrás de seus companheiros Jacky Ickx/Brian Redman.

Em novembro de 1972, aconteceu a última corrida dos carros importados no Brasil e Bueno sagrou-se campeão da categoria Esporte-Protótipo com o Porsche 908/2. Mas por motivos nunca bem explicados, a CBA (Confederação Brasileira de Automobilismo) decidiu que a partir de 1973 seriam admitidos somente protótipos nacionais, os importados só poderiam correr se fossem equipados com um motor de fabricação nacional. Sem possibilidade de continuar usando o Porsche 908/2, Bueno e Anísio Campos decidiram vender o carro, que foi comprado por um colecionador.

No GP de F-1 de 1973, novamente a Hollywood alugou um carro para participar, dessa vez um Surtees TS9B, aí nos treinos, após duas voltas, Bueno parou nos boxes e disse para John Surtees que o carro estava inguiável. Surtees disse que talvez ele não tivesse o “dom” necessário para pilotar um Formula 1. Feitas mais duas voltas, novamente Bueno questionou Surtees, então José Carlos Pace, que era piloto oficial da Surtees, experimentou o carro e nem completou a volta, retornou ao box e disse a Surtees, que o carro estava sem condições de pilotagem.
“- Constatou-se então, que na montagem apressada os mecânicos tinham invertido um dos triângulos dianteiros e com isso o carro tinha uma medida diferente para cada lado do entre-eixos. De imediato, Surtees me pediu mil desculpas”.

Na corrida uma pane elétrica cortou o motor na subida da junção e ele conseguiu chegar aos boxes só no embalo, aí após trocarem a caixa preta, voltou à corrida, mas sem chance nenhuma de disputar posições, terminou em décimo segundo lugar.

1973 - I GP Brasil de Formula 1 - Participou com um Surtees TS9B Ford

Então a partir de 1973, Bueno passou a correr com um Chevrolet Opala 4.100cc da Divisão 3, que pilotou por 4 ocasiões, mas só conseguia resultados medianos, até que na metade da temporada mudou para um Ford Maverick desenvolvido pelo argentino Orestes Berta.

Em 1974 não correu, mas a Hollywood trouxe novidade para o ano de 1975, um protótipo Divisão 4, feito pelo argentino Oreste Berta, equipado com motor Ford Maverick V8 nacional que foi a sensação da temporada, Bueno foi campeão na categoria, mas ao final do ano a Hollywood anunciou que não ia mais patrocinar a equipe, então os sócios encerram as atividades


1973 - 25 Horas de Interlagos  - Maverick Berta 1975 -Protótipo Berta Hollywood Ford 2007 - Maverick no Museu do Automobilismo Brasileiro

Bueno morava em frente a “Bantec” (Banco Técnico) na Rua João Cachoeira no bairro do Itaim-Bibi e ia sempre lá, pois era de seu amigo Franklim Martins, quando a equipe fechou este o chamou e passou uma procuração de plenos poderes e ele entrou como sócio para a “Bantec”:
“- Ele me convidou quando havíamos acabado de fechar a equipe, na verdade ele me convidou quando a firma estava abaixo de zero, quase falida, quando a coisa caiu ele voltou para o sul, continuou na concessionária e hoje ele tem 3. Eu comecei e em 1 ano e pouco deixei a empresa legal. Tinha um sócio que era um craque na mão de obra, um verdadeiro alfaiate de banco.”

1978 - Opala - Torneio Rio/S.Paulo Divisão1

Em 1978 voltou às pista, desta vez pilotando um Chevrolet Opala 4.1 numa corrida do Torneio Rio-São Paulo de Divisão 1 em Jacarepaguá (RJ), ele quase não conseguiu participar pois o caminhão quebrou na Via Dutra e chegou com muito atraso, impedindo Bueno de treinar. Foi apenas essa corrida. Só retornou às competições em 1982, aos 45 anos e 9 meses para correr de Stock Car, obteve resultados medianos e parou de correr, ficou 1983 sem participar de nenhuma corrida e em 1984, a convite do amigo Lian Duarte fez, aos 47 anos e 9 meses, sua prova de despedida, a “XIV Mil Quilômetros de Brasília”, a bordo de um Ford Escort classificaram-se em oitavo lugar.

No começo dos anos 90, após mais uma separação, Bueno se mudou para a cidade de Atibaia (SP) e  casou novamente, ficou afastado do automobilismo, mas sempre que convidado participava de eventos e encontros, principalmente de antigomobilismo, como por exemplo o evento “Clássicos de Competição” realizado em Interlagos em janeiro de 2007, onde junto com os amigos Bird Clemente e Mario “Marinho”. MarioCésar de Camargo Filho proferiu uma palestra, conduzida por outro amigo, Jan Balder, sobre o automobilismo dos anos 60.
Luizinho faleceu em Atibaia, onde morava, em 8 de fevereiro de 2011, depois de uma longa batalha contra um câncer no pulmão.

 

Principais participações em provas (Com a colaboração de Napoleão Ribeiro)

06/04/1957 - II Prova Cinqüentenário do ACB - TFL - Interlagos/SP -   Fiat 1.089cc nº 113ª - 9º na geral e 3º na T-2.0

23/06/1957 - III Prova Cinqüentenário do ACB - TFL - Interlagos/SP -  Fiat 1.089cc nº 113A - 8º na geral e 3º na T-2.0

25/08/1957 - IV Prova Cinqüentenário do ACB - TFL - Interlagos/SP - Simca 1.221cc nº 89A - 7º na geral e 3º na T-2.0

07/09/1957 - I 500 Quilômetros de Interlagos/SP - Totem Fiat 1.221cc nº 89A - C/José Silva (José George Borba) - 19º Lugar

30/11/1957 - VI Prova Cinqüentenário do ACB - TFL - Interlagos/SP - Fiat 1.089cc nº 89A - 7º na geral e 5º na T-2.0

23/02/1958 - Prova Crônica Esportiva Paulista - Interlagos/SP - Fiat 1.089cc nº 89A - 3º na geral e 2º na T-2.0

20/04/1958 - Prova Sulamericana - TFL - Interlagos/SP - Simca 1.221cc nº 89A - 8º na geral e 5º na T-2.0

21/06/1958 - Cinqüentenário da Imigração Japonesa TFL - Interlagos/SP - Fiat 1.089cc nº 89A - 7º na geral e 5º na T-2.0

07/09/1958 - II 500 Quilômetros de Interlagos /SP - Totem Simca 1.221cc nº 89A - C/José George Borba - 13º na geral e 2º na MN-2.5

22/11/1958 - III Mil Milhas Brasileiras - Interlagos/SP - Simca Huit - 1.089cc nº 98 - C/Bird Clemente - TFL - AB (29º  Lugar)

30/11/1958 - Prêmio Adhemar de Barros - TFL - Interlagos/SP - Simca 1.221cc nº 98 - 5º na geral e 3º na T-2.0

03/06/1961 - II 24 Horas de Interlagos/SP - Renault Dauphine 845cc nº 26 - C/Danilo de Lemos - 22º na geral e 11º na T-1.3

25/01/1962 - I 12 Horas de Interlagos/SP - Renault Dauphine 845cc nº 21 - C/Renato Freire - 39º na geral e ND na T-1.3

25/02/1962 - Festival de Recordes - Renault - Interlagos/SP - Renault Gordini 845cc nº 14 - Renault - 3º Lugar

25/05/1962 - Prêmio Victor Losacco - Interlagos/SP - Renault Gordini 845cc nº 14 - 9º na geral e 8º na T-1.3

19/08/1962 - I Circuito de Araraquara - Grupo I - Araraquara/SP - Renault Gordini 845cc nº 38 - 14º na geral e 5º na T-850

02/09/1962 - I 3 Horas de Velocidade - Interlagos/SP - Renault Gordini 845cc nº 38 - 16º na geral e 2º na T-850

07/09/1962 - V 500 Quilômetros de Interlagos - Ferrari/Lancia 2.451cc nº 74 - C/Waldimir Fakri - 7º Lugar

08/12/1962 - I 500 Milhas de Interlagos - Renault Gordini 845cc nº 42 - C/Ettore Beppe - 7º na geral e 1º na T-850

10/03/1963 - II 12 Horas de Interlagos - Renault Gordini 845cc nº 17 - C/Chiquinho Lameirão/José Armando Ricard - 16º na geral e 8º na T-1.3

28/04/1963 - I 12 Horas de Brasília - Trampolim do Eixo/DF - Renault Gordini 845cc nº 40 - C/Chiquinho Lameirăo/Christian Heins - 3º na geral e 1º na TA

28/04/1963 - I 12 Horas de Brasília - Trampolim do Eixo/DF - Renault Gordini 845cc nº 41 - C/Chiquinho Lameirão/Luiz Carlos Fagundes - 5º na geral e 2º na TA

25/08/1963 - II Circuito de Araraquara/SP - Gr. III - Araraquara/SP - Renault Gordini 845cc nº 41 - 6º na geral e 1º na T-850

25/08/1963 - II Circuito de Araraquara/SP - MN - Araraquara/SP - Landi/Bianco/Gordini 998cc nº 33 - 3º na geral e 1º na MN-1.1

01/09/1963 - II 3 Horas de Velocidade - Interlagos/SP - Willys Interlagos 998cc nº 12 - 2ºna geral e 2º na T-1.0

07/09/1963 - VI 500 Quilômetros de Interlagos/SP - Landi/Bianco/Gordini 998cc nº 33 - MN-1.1 - AB

06/10/1963 - 500 Quilômetros de Recife/PE - Cid. Universitária - Willys Interlagos 998cc nº 21 - C/Rodolfo Olival Costa - T-1.3 - 2º Lugar

13/10/1963 - I 100 Milhas de Interlagos/SP - Willys Interlagos 998cc nº 21 - 4º na geral e 3º na T -1.0

10/11/1963 - I 1500 Quilômetros de Interlagos/SP - Renault 1093 845cc nº 40 - C/Wilson Fittipaldi Jr. - 4º na geral e 1º na T-850

24/11/1963 - I 1600 Quilômetros de Interlagos/SP - Renault Gordini 998cc nº 46 - C/Wilsinho Fittipaldi - T-1.6 -ND

02/02/1964 - 200 Milhas de Montevideu - El Pinar - Uruguai - Willys Interlagos 998cc nº 21 - C/Chico Landi - G - AB

14/03/1964 - Prêmio Amilcar Laurindo Ribas - G-I - Interlagos/SP - Willys Interlagos 998cc nº 12 - T-1.3 - 1º Lugar

14/03/1964 - Prêmio Amilcar Laurindo Ribas - G-III - Interlagos/SP - Willys Interlagos 998cc nº 21 - T-1.3 - 1º Lugar

22/03/1964 - III Circuito da Barra da Tijuca/RJ - Gr. III - Willys Interlagos 998cc nº 21 - T-1.3 - 1º Lugar

03/05/1964 - Circuito de Recife/PE - Cid. Universitária - Carretera Gordini 998cc nº 47 - TFL - 1º Lugar

10/05/1964 - I 3 Horas da Barra da Tijuca/RJ - Willys Interlagos 998cc nº 22 - T-1.3 - AB

24/05/1964 - II 12 Horas de Brasília/DF - Trampolim do Eixo - Willys Interlagos 998cc nº 12 - C/Bird Clemente/Wilson Fittipaldi Jr. - T-1.3 - 1º Lugar

24/05/1964 - II 12 Horas de Brasília/DF - Trampolim do Eixo - Willys Interlagos 998cc nº 22 - C/Bird Clemente/Wilson Fittipaldi Jr. - T-1.3 - 2º Lugar

07/06/1964 - GP Estado da Guanabara - Ilha do Fundão/RJ - Willys Interlagos 998cc nº 12 - T-1.3 - 1º Lugar

26/07/1964 - III 100 Milhas da Guanabara - Barra da Tijuca/RJ - Willys Interlagos 998cc nº 21 - 2º na geral e 1º na T-1.3

15/08/1964 - 1000 Quilômetros de Interlagos/SP - Willys Interlagos 998cc nº 12 - C/Bird Clemente - 9º na geral e 1º na GT-1.3

30/08/1964 - III 3 Horas de Velocidade - Interlagos/SP - Willys Interlagos 998cc nº 22 - 4º na geral e 2º na T-1.3

07/09/1964 - VII 500 Quilômetros de Interlagos/SP - Willys Interlagos 998cc nº22 - 2º na geral e 1º na T-1.3

13/09/1964 - Grande Prêmio do Ceara - Fortaleza/CE -  Carretera Gordini 1.108cc nº 47 - TFL - 2º Lugar

18/10/1964 - I 500 Quilômetros da Guanabara - Barra da Tijuca/RJ - Willys Interlagos 998cc nº 22 - 18º na geral e 10º na T-1.3

27/03/1965 - II 1600 Quilômetros de Interlagos/SP - Carretera Gordini 1.108cc nº 47 - C/José Carlos Pace - T-1.6 - 1º Lugar

11/04/1965 - I Etapa - Camp. Carioca - Ilha do Fundão/RJ - Willys Interlagos 998cc nº 21 - T-1.3 - 2º Lugar

26/04/1965 - III 12 Horas de Brasília/DF - Trampolim do Eixo/DF - Alpine A110 Renault 1.108ccnº 43 - C/Wilson Fittipaldi Jr/Bird - 6º na geral e 2º na PT

26/04/1965 - III 12 Horas de Brasília/DF - Trampolim do Eixo/DF - Willys Interlagos 998cc nº 22 - C/Wilson Fittipaldi Jr/Bird/Pace - 5º na geral e 2º na T-1.3

26/04/1965 - III 12 Horas de Brasília/DF - Trampolim do Eixo/DF - Willys Interlagos 998cc nº 21 - C/Wilson Fittipaldi Jr/Bird/Pace - 2º na geral e 1º na T-1.3

16/05/1965 - II 500 Quilômetros da Guanabara - Barra da Tijuca/RJ - Willys Interlagos 998cc nº 21 - 3º na geral e 1º na T-1.3

23/05/1965 - III 12 Horas de Interlagos/SP - Willys Interlagos 998cc nº 21 - C/Carol Figueiredo/Marivaldo Fernandes/Bird Clemente - 17º na geral e 8º na T-1.6

23/05/1965 - III 12 Horas de Interlagos/SP - Alpine A110 Renault 1.296ccnº 47 - C/José Carlos Pace - 25º na geral e 4º na PT

20/06/1965 - II 6 Horas de Velocidade - Interlagos/SP - Willys Interlagos 998cc nº 21 - 3º na geral e 1º na T-1.0

08/09/1965 - I Circuito de Vitória/ES - Vitória/ES - Alpine A110 Renault 1.296ccnº 47 -  na geral e 2º na PT

19/09/1965 - GP IV Centenário Rio de Janeiro - Barra da Tijuca/RJ - Alpine A110 Renault 1.296cc nº 46 - 16º na geral e 6º na PT

26/09/1965 - II Circuito Força Livre - Cidade Universitária/PE - Carretera Gordini 1.296cc nº 46 - TFL - 1º Lugar

24/10/1965 - III 500 Km de Recife - Cidade Universitária/PE - Willys Interlagos 998cc nº 21 - T-1.3 - 1º Lugar

31/10/1965 - VIII 500 Quilômetros de Interlagos/SP - Alpine A110 Renault 1.296ccnº 47 - 3º na geral e 2º na PT/GT

08/05/1966 - 100 Milhas de El Pinar - El Pinar/URU - Willys Interlagos 998cc nº 21 - GT - 2º Lugar

28/05/1966 - III 24 Horas de Interlagos/SP - Renault R-8 1.108cc nº 22 - C/Bird Clemente - 30º na geral e 19º na T-1.3

03/07/1966 - Prova de Aniversário do ACESP - Interlagos/SP - Alpine A110 Renault 1.296ccnº 47 - TFL - 2º Lugar

10/07/1966 - Prêmio Prefeito Negrão de Lima - Jacarepaguá/RJ - Alpine A110 Renault 1.296ccnº 46 - PT – ND (Inauguração do Autód. de Jacarepaguá )

17/08/1966 - II 3 Horas da Guanabara - Jacarepaguá/RJ - Alpine A110 Renault 1.296ccnº 46 - PT - 3º Lugar

04/09/1966 - V 3 Horas de Velocidade - Interlagos/SP - Alpine A110 Renault 1.296ccnº 46 - PT/GT - 1º Lugar

07/09/1966 - IX 500 Quilômetros de Interlagos/SP - Alpine A110 Renault 1.296ccnº 47 - PT/GT - 1º Lugar

25/09/1966 - IV Etapa do Campeonato Paranaense - Tarumã/PR - Willys Interlagos 998cc nº 100 - GT - 1º Lugar

13/11/1966 - 12 Horas de Lajes/SC - Lajes/SC - Willys Interlagos 998cc nº 100 - C/Luiz Fernando Terra Smith - 2º na geral e 1º na GT

19/11/1966 - VIII Mil Milhas Brasileiras - Interlagos/SP - Alpine A110 Renault 1.296ccnº 47 - C/Luiz Fernando Terra Smith - 7º na geral e 5º na PT/GT

04/12/1966 - I 300 Milhas de Cascavel/PR - Parque S. Paulo - Renault 1093 845cc nº 2 - TFL - 14º Lugar

18/12/1966 - I Mil Quilômetros da Guanabara - Jacarepaguá/RJ - Alpine A110 Renault 1.296ccnº 47 - C/Bird Clemenrte - PT - 5º Lugar

29/01/1967 - Camp. Bras. de Subida de Montanha - Serra da Graciosa/PR - Alpine A110 Renault 1.296ccnº 47 - PT - 1º Lugar

19/03/1967 - IV 12 Horas de Interlagos/SP - Alpine A110 Renault 1.296cc  nº 47 - C/Bird Clemenrte - 11º na geral e 4º na PT/GT

09/04/1967 - III 3 Horas da Guanabara - Jacarepaguá/RJ - Alpine A110 Renault 1.296cc nº 47 - PT - 3º Lugar

23/04/1967 - III Mil Quilômetros de Brasília/DF - Eixo Monumental - Alpine A110 Renault 1.296ccnº 47 - C/Bird Clemenrte - 22º na geral e 6º na PT/GT

11/06/1967 - III 6 Horas de Velocidade - Interlagos/SP - Alpine A110 Renault 1.296ccnº 46 - C/Luiz Fernando Terra Smith - 12º na geral e 3º na PT/GT

19/11/1967 - Camp. Bras. de Subida de Montanha - Estr. Petrópolis-Teresópolis/RJ - Willys Mark I Renault 1.296cc nº 21 - PT -  1º Lugar (estréia do Mark I)

03/12/1967 - IX Mil Milhas Brasileiras - Interlagos/SP - Willys Mark I Renault 1.296cc nº 21 - C/Luiz Fernando Terra Smith - PT/GT - 1º Lugar

17/12/1967 - Prova Almirante Tamandaré - Jacarepaguá/RJ - Willys Mark I Renault 1.296cc nº 21 - PT/GT - ND

                   Reformas em Interlagos /1968 /69                        
04/02/1968 - GP Rodovia do Xisto - Rodovia do Xisto/PR - Willys Mark I Renault 1.296cc  nº 21 -
TE/PT - 2º Lugar

11/02/1968 - XIII Prova Antoninho Burlamaque/RS - Willys Mark I Renault 1.296cc nº 2 - TFL - 1º Lugar

24/03/1968 - Prova Omar Sabbage - Autódromo de Pinhais - Renault 1093 845cc nº 147 - 9º na geral e 3º na T-850

13/04/1968 - IV Mil Quilômetros de Brasília/DF - Eixo Monumental - Bino Mark II Renault 1.296ccnº 47 - C/José Carlos Pace  - PT - 1º Lugar  (estréia do MkII)

30/06/1968 - I 500 Milhas da Guanabara - Jacarepaguá/RJ - Bino Mark II Renault 1.296ccnº 47 - C/José Carlos Pace - 5º na geral e 2º na PT

20/07/1968 - 3 Horas de Velocidade - Petrópolis/RJ - Bino Mark II Renault 1.296ccnº 47 - Interrompida por acidente - PT

04/08/1968 - III 500 Quilômetros da Guanabara - Jacarepaguá/RJ - Bino Mark II Renault 1.296ccnº 47 - C/Bird Clemente - 2º na geral e 1º na PT

27/10/1968 - Prova Santos Dumont - Jacarepaguá/RJ - Bino Mark II Renault 1.296ccnº 47 - C/José Carlos Pace - PT - 1º Lugar

17/11/1968 - Prova Deputado Levi Neves - Jacarepaguá/RJ - Bino Mark II Renault 1.296ccnº 47 - C/José Carlos Pace - PT - 1º Lugar

08/12/1968 - II Mil Quilômetros da Guanabara/RJ - Jacarepaguá/RJ - BMW 2000 TI 1.990cc nº 3 - C/Jan Balder - 16º na geral e 4º na TM

23/03/1969 - Presid. Artur da Costa e Silva - Autódromo de Pinhais - BMW Schnitzer- Capotou nos treinos e AB 

20/04/1969 - V Mil Quilômetros de Brasilia - Eixo Monumental - BMW 2002 1.990cc  nº 7 - C/Jan Balder -  TM - AB

25/05/1969 - Torneio Britânico de F-Ford - Snetterton/ING - Merlyn Mk 11A 1.588cc - F-Ford - AB

15/06/1969 - Torneio Britânico de F-Ford - Silverstone/ING - Merlyn Mk 11A 1.588cc - F-Ford - 12º Lugar

22/06/1969 - Torneio Britânico de F-Ford - Snetterton/ING - Merlyn Mk 11A 1.588cc - F-Ford - 21º Lugar

12/07/1969 - Torneio Britânico de F-Ford - Croft/ESC - Merlyn Mk 11A 1.588cc - F-Ford - 2º Lugar

13/07/1969 - Torneio Britânico de F-Ford - Croft/ESC - Merlyn Mk 11A 1.588cc - F-Ford - 4º Lugar

03/08/1969 - Torneio Britânico de F-Ford - Brands Hatch/ING - Merlyn Mk 11A 1.588cc - F-Ford - AB

10/08/1969 - Torneio Britânico de F-Ford - Snetterton/ING - Merlyn Mk 11A 1.588cc - F-Ford - 1º Lugar

17/08/1969 - Torneio Britânico de F-Ford - Brands Hatch/ING - Merlyn Mk 11A 1.588cc - F-Ford - 1º Lugar

01/09/1969 - Torneio Britânico de F-Ford - Mallory Park/ING - Merlyn Mk 11A 1.588cc - F-Ford - 4º Lugar

08/09/1969 - Torneio Britânico de F-Ford - Brands Hatch/ING - Merlyn Mk 11A 1.588cc - F-Ford - 2º Lugar

14/09/1969 - Torneio Britânico de F-Ford - Croft/ESC - Merlyn Mk 11A 1.588cc - F-Ford - 1º Lugar

29/09/1969 - Torneio Britânico de F-Ford - Oulton Park/ING - Merlyn Mk 11A 1.588cc - F-Ford - 1º Lugar

28/09/1969 - Torneio Britânico de F-Ford - Brands Hatch/ING - Merlyn Mk 11A 1.588cc - F-Ford - 1º Lugar

05/10/1969 - Torneio Britânico de F-Ford - Snetterton/ING - Merlyn Mk 11A 1.588cc - F-Ford - 2º Lugar

12/10/1969 - Torneio Britânico de F-Ford - Mallory Park/ING - Merlyn Mk 11A 1.588cc - F-Ford - 3º Lugar

02/11/1969 - Torneio Britânico de F-Ford - Brands Hatch/ING - Merlyn Mk 11A 1.588cc - F-Ford - 1º Lugar

23/11/1969 - Torneio Britânico de F-Ford - Brands Hatch/ING - Merlyn Mk 11A 1.588cc - F-Ford - 5º Lugar

18/01/1970 - 500 Quilômetros de Belo Horizonte/MG - Mineirão/MG - Bino Mark II Renault 1.440ccnº 47 - C/Fernando Pereira - 3º na geral e 2º na D4

01/02/1970 - Torneio BUA de F-Ford - 1ª Etapa - Jacarepaguá/RJ Merlyn F-Ford 1.588cc nº 11 - F-Ford - 17º Lugar

08/02/1970 - Torneio BUA de F-Ford - 2ª Etapa - Curitiba/PR          Merlyn F-Ford 1.588cc nº 11 - F-Ford - 16º Lugar

15/02/1970 - Torneio BUA de F-Ford - 3ª Etapa - Fortaleza/CE       Merlyn F-Ford 1.588cc nº 11 - F-Ford - 2º Lugar

22/02/1970 - Torneio BUA de F-Ford - 4ª Etapa - Jacarepaguá/RJ Merlyn F-Ford 1.588cc nº 11 - F-Ford - 1º Lugar

01/03/1970 - Torneio BUA de F-Ford - 5ª Etapa - Interlagos/SP     Lola T-200 F-Ford 1.588cc nº 11 - F-Ford - 7º Lugar

08/03/1970 - 1500 Quilômetros de Interlagos/SP - Bino Mark II Renault 1.440ccnº 47 - C/Wilsinho Fittipaldi Jr. - 15º na geral e 13º na D4

15/03/1970 - Festival Brasileiro de Velocidade - Monop - Interlagos/SP - Merlyn/Ford 1.588cc nº 47 - F-Ford - 1º Lugar

15/03/1970 - Festival Brasileiro de Velocidade - Div. 4 - Interlagos/SP - Bino Mark II Renault 1.440ccnº 47 - D4 - 1º Lugar

14/06/1970 - IV 12 Horas de Interlagos/SP - Bino Mark II Renault 1.440ccnº 47 - C/Lian Abreu Duarte - D4 - 1º Lugar

19/07/1970 - 2 Horas de Interlagos/SP - Bino Mark II Renault 1.584ccnº 47 - D4 - 1º Lugar

07/09/1970 - XI 500 Quilômetros de Interlagos/SP - Bino Mark II Renault 1.584ccnº 47- D4 - 1º Lugar (BI-Campeão na prova)

25/10/1970 - GP Mackenzie - Interlagos/SP - Bino Mark II Renault 1.584ccnº 47 - D4 - 2º Lugar

08/11/1970 - Inauguração do Autódromo - Tarumã/RS - Bino Mark II Renault 1.584ccnº 47 - D4 - 2º Lugar

14/11/1970 - Festival de Recordes - Marginal Pinheiros/SP - Ford Galaxie 7.016cc nº 47 - 3º Lugar - 198,192 Km/h

22/11/1970 - X Mil Milhas Brasileiras - Interlagos/SP - Bino Mark II Renault 1.584ccnº 47 - C/Lian Abreu Duarte - D4 - ND

29/11/1970 - Torneio Nacional Ford Corcel - 1ª Etapa - Interlagos/SP - Ford Corcel 1.372cc nº 8 - 1º Lugar

06/12/1970 - Torneio Nacional Ford Corcel - 2ª Etapa - Jacarepaguá/RJ - Ford Corcel 1.372cc nº 3- ND

03/01/1971 - 100 Milhas de Tarumã - F-Ford - Tarumã/RS - Royale F100 Ford 1.588cc nº 2 - 4º Lugar

10/01/1971 - I Torneio Bras. De Fórmula 3 - 1ª Etapa - Interlagos/SP - Chevron B-15 Holbay 1.588cc nº 11 - F-3 - 2º Lugar

17/01/1971 - I Torneio Bras. De Fórmula 3 - 2ª Etapa  - Interlagos/SP - Chevron B-15 Holbay 1.588cc nº 11 - F-3 - 14º Lugar

25/01/1971 - I Torneio Bras. De Fórmula 3 - 3ª Etapa  - Interlagos/SP - Chevron B-15 Holbay 1.588cc nº 11- F-3 - 20º Lugar

10/02/1971 - Troféu Cidade de Porto Alegre - Tarumã/RS - Chevron B-15 Holbay 1.588cc nº 11 - F-3 - AB

20/06/1971 - Torneio União e Disciplina - Interlagos/SP - Porsche 908/2 2.997cc nº 11 - D6 - 1º Lugar (Equipe Z)

27/06/1971 - Premio Ciudad de Vicente Lopez - Buenos Aires/ARG - Porsche 908/2 2.997cc nº 1 - SP - 2º Lugar (Equipe Z)

04/07/1971 - IV 6 Horas de Interlagos - Porsche 908/2 2.997cc nº 11 - C/Anisio Campos - 11º na geral e 2º na D6 (Equipe Z)

01/08/1971 - 300 Quilômetros de Tarumã/RS - Porsche 908/2 2.997cc nº 11 - C/Anisio Campos - D6 - 2º Lugar (Hollywood)

08/08/1971 - GP General San Martin - Las Flores/ARG - Porsche 908/2 2.997cc nº 11 - SP - 2º Lugar

15/08/1971 - 250 Milhas de Interlagos/SP - Porsche 908/2 2.997cc nº 11 - D6 - 1º Lugar

07/09/1971 - XII 500 Quilômetros de Interlagos - Porsche 908/2 2.997cc nº 11 - C/Lian Abreu Duarte - D6 - 1º Lugar (sagrou-se Tri-campeão na prova)

24/10/1971 - GP de San Juan - San Juan/ARG - Porsche 908/2 2.997cc nº 11 - SP - 1º Lugar

14/11/1971 - 3ª Etapa do Torneio Brasileiro de F2 - Tarumã/RS - March 712M - FVA 1.930cc nº 11 - F-2 - 17º Lugar

21/11/1971 - 4ª Etapa do Torneio Brasileiro de F3 - Cordoba/ARG - March 712M - FVA 1.930cc nº 11 - F-2 - 5º Lugar

11/12/1971 - Copa Brasil - 1ª Etapa - Interlagos/SP - Porsche 908/2 2.997cc nº 1 - D6 - 1º Lugar

18/12/1971 - Copa Brasil - 2ª Etapa - Interlagos/SP - Porsche 908/2 2.997cc nº 1 - D6 - 1º Lugar

30/01/1972 - Festival de Recordes - Base Aérea de Cumbica - Porsche 908/2 2.997cc nº 1 - D6 - 2º Lugar

30/03/1972 - GP do Brasil de F-1 (Extra-Camp.) - Interlagos/SP - March 711 Ford 2.993cc nº 1 - F1 -6º Lugar

23/04/1972 - Prêmio Aniversário de Brasília - Estádio Pelezão/DF - Porsche 910 1.991cc nº 1 - C/Alex Dias Ribeiro - 1º Lugar

30/04/1972 - Festival de Roncos e Motores - Interlagos/SP - Porsche 908/2 2.997cc nº 11 - D6 - 1º Lugar

07/05/1972 - 1ª Etapa do Brasileiro de D-6 - Tarumã/RS - Porsche 908/2 2.997cc nº 11 - D6 - 1º Lugar

14/05/1972 - Corrida dos Campeões  - Interlagos/SP - Porsche 908/2 2.997cc nº 11 - D6 - 1º Lugar

25/06/1972 - Mil Km de Zeltweg - Zeltweg/AUT - Porsche 908/2 2.997cc nº 12 - C/Tite Catapani - SP+2.0 - AB

27/08/1972 - Camp. Bras. Viaturas Turismo (DIV 3) - Tarumã/RS - Chevrolet Opala 4.098cc nº 11 - 8º na geral e 5º na T+3.0

03/09/1972 - XIII 500 Quilômetros de Interlagos/SP - Porsche908 /2 2.997cc nº 11 - D6 - 2º Lugar

17/09/1972 - 100 Milhas de Interlagos/SP (CBVT) Div.3 - Chevrolet Opala 4.098cc nº 111 - T+3.0 - 4º Lugar

15/10/1972 - 4ª Etapa do Brasileiro de Turismo D-3 - Interlagos/SP - Chevrolet Opala 4.098cc nº 11 - T+3.0 - 1º Lugar  
04/11/1972 - Revanche do Desafio dos Valentes - Buenos Aires (ARG) - Fiat 125 1.608cc - Turismo - 6º Lugar

12/11/1972 - Camp. Bras. Viat. Esporte - Interlagos/SP - Porsche 908/2 2.997cc nº 11 - D6 - 1º Lugar

11/02/1973 - I GP Brasil de F1 - Interlagos/SP - Surtees TS9B Ford 2.993cc nº 23 - F1 - 12º Lugar

20/05/1973 - Camp. Bras. Viaturas Turismo (DIV 3) - Tarumã/RS - Chevrolet Opala 4.098cc nº 1 - 33º na geral e 7º na T+3.0

03/06/1973 - Camp. Bras. Viaturas Turismo (DIV 3) - Pinhais/PR - Chevrolet Opala 4.098cc nº 1 - 16º na geral e 10º na T+3.0

29/07/1973 - Camp. Bras. Viaturas Turismo (DIV 3) - Cascavel/PR - Chevrolet Opala 4.098cc nº 1 - T+3.0 - ND

05/08/1973 - Camp. Bras. Viaturas Turismo (DIV 3) - Interlagos/SP - Chevrolet Opala 4.098cc nº 1 - 43º na geral e 9º na T+3.0

25/08/1973 - II 25 Horas de Interlagos/SP - Ford Maverick 4.950cc nº 11 - C/Tite Catapani/Alex D. Ribeiro - T+3.0 - 5º Lugar

09/09/1973 - XIV 500 Quilômetros de Interlagos/SP - Ford Maverick 4.950cc nº  - C/José Renato "Tite" Catapani - T+3.0 - 2º Lugar

28/10/1973 - 200 Milhas de Interlagos/SP - Ford Maverick 4.950cc nº 11 - C/José Renato "Tite" Catapani - T+3.0 - 1º Lugar

16/12/1973 - Camp. Bras. Viaturas Turismo (DIV 3) - Interlagos/SP - Chevrolet Opala 4.098cc nº 11- 13º na geral e 5º na T+3.0

02/03/1975 - I Etapa - Camp. Brasileiro Div. 3 - Interlagos/SP - Ford Maverick 4.950cc nº 11 - T+3.0 - 1º Lugar

16/03/1975 - I Etapa - Camp. Brasileiro Div. 4 - Interlagos/SP - Berta/Ford 4.950cc   nº 11 - D4+2.0 - 1º Lugar

26/04/1975 - II Etapa - Camp. Brasileiro Div. 3 - Tarumã/RS - Ford Maverick 4.950cc nº 1 - 32º na geral e 4º na T+3.0

15/06/1975 - IV Etapa - Camp. Brasileiro Div. 3 - Goiânia/GO - Ford Maverick 4.950cc nº 1 - 18º na geral e 7º na T+3.0

06/07/1975 - II Etapa - Camp. Brasileiro Div. 4 - Tarumã/RS - Berta/Ford 4.950cc nº 11 - 3º na geral e 2º na D4+2.0

10/08/1975 - III Etapa - Camp. Brasileiro Div. 4 - Brasília/DF - Berta/Ford 4.950cc nº 11 - D4+2.0 - 1º Lugar

31/08/1975 - V Etapa - Camp. Brasileiro Div. 3 - Tarumã/RS - Ford Maverick 4.950cc nº 11 - 24º na geral e 6º na T+3.0

14/09/1975 - 1ª do Torneio Sulamericano  Maverick - Interlagos/SP - Ford Maverick (4 cil) 2.301ccnº 23 - Maverick - 31º Lugar

05/10/1975 - 4ª Etapa do Paulista de Turismo D-3 - Interlagos/SP - Ford Maverick 4.950cc nº 11 - T+3.0 - 1º Lugar

19/10/1975 - IV Etapa - Camp. Brasileiro Div. 4 - Goiânia/GO - Berta/Ford 4.950cc nº 11 - D4+2.0 - 1º Lugar

26/10/1975 - VI Etapa - Camp. Brasileiro Div. 3 - Interlagos/SP - Ford Maverick 4.950cc nº 1 - T+3.0 - 1º Lugar

16/11/1975 - V Etapa - Camp. Brasileiro Div. 4 - Cascavel/PR - Berta/Ford 4.950cc nº 11 - 13º na geral e 5º na D4+2.0

07/12/1975 - VI Etapa - Camp. Brasileiro Div. 4 - Interlagos/SP - Berta/Ford 4.950cc nº 11 - D4+2.0 - 1º Lugar

19/03/1978 - 1ª Etapa Torneio Rio/S.Paulo de D1 classe C - Jacarépagua/RJ - Chevrolet Opala 4.098cc nº 5 - T+3.0 - 11º Lugar

12/09/1982 - 4ª Etapa do Brasileiro de Stock Car - Interlagos/SP - Chevrolet Opala 4.098cc nº 90 - SC - ND

26/09/1982 - 5ª Etapa do Brasileiro de Stock Car - Jacarepaguá/RJ - Chevrolet Opala 4.098cc nº 90 - SC - 10º Lugar

24/10/1982 - 7ª Etapa do Brasileiro de Stock Car - Tarumã/RS - Chevrolet Opala 4.098cc nº 90 - SC - 9º Lugar

20/11/1982 - 9ª Etapa do Brasileiro de Stock Car - Jacarepaguá/RJ - Chevrolet Opala 4.098cc nº 90 - SC - 10º Lugar

09/09/1984 - XIV Mil Quilômetros de Brasilia/DF - Brasília/DF - Ford Escort 1.555cc nº 46 - C/Lian Duarte - MP - 8º Lugar


VOLTAR AO TOPO DA PÁGINA
ou
VOLTAR À PÁGINA INICIAL