Uma visão dos nossos históricos anos sessenta e um pouco antes

Voltar  para  Página Inicial

Ir  para  "Lendas e histórias"

Aguinaldo de Goes Aldo Costa Alfredo Santilli Amauri Mesquita Antonio Carlos
Aguiar
Arlindo Aguiar Aroldo Louzada Bica Votnamis
Bird Clemente Bob Sharp Breno Fornari Caetano Damiani Camillo Christofaro Celso Lara Barberis Christian Bino Heins Ciro Cayres
Domingos Papaleo Eduardo Celidonio Emerson Fittipaldi Emilio Zambello Ênio Garcia Eugênio Martins Francisco Lameirão Fritz D'Orey
Graziela Fernandes Jan Balder Jayme Pistili Jayme Silva Jorge Lettry José Tôco Martins Luiz Americo
Margarido
Luiz Carlos Valente
Luiz Pereira Bueno Luiz Valente Marinho Miguel Crispim Nelson Brizzi Nicola Papaleo Nilo de Barros
Vinhaes
Norman Casari
Orlando Menegaz Paschoal
Nastromagario
Pedro Carneiro
Pereira
Piero Gancia Raphael Gargiulo Ricardo Rodrigues
de Moraes
Roberto Gallucci Roberto Gomez
Salvador Cianciaruso Toni Bianco Toninho Martins Victor Losacco Victorio Azzalin Vitório Andreatta Waldemar Santilli Zoroastro Avon
Pioneiros:
Benedicto Lopes Chico Landi Chico Marques Gino Bianco Hermano da Silva Ramos Irineu Correa Manuel de Teffé Nascimento Junior
Norberto Jung Villafranca            

Página acrescentada em 15 de maio de 2008.
 

Bica Votnamis
por Paulo Roberto Peralta
 
Nota: Existe sempre o "criador e a criatura", mas algumas vezes a criatura se destaca tanto que ofusca o criador. 
Esse é o caso de Bica Votnamis e seu protótipo "Caçador de Estrelas", vamos aqui resgatar a carreira do criador e mostrar que ela é muito mais do que só o "Caçador de Estrelas".

 

Ficha ACESP
1964

Nasceu na Romênia, país do leste europeu, em 27 de setembro de 1943. Tinha 11 anos de idade quando em 1954 sua família veio para o Brasil em busca de melhores oportunidades pois a Europa pós-guerra enfrentava tempos difíceis e a Romênia, além disso, havia passado para o bloco comunista. Fixaram-se no bairro do Bom Retiro, São Paulo, foi lá também que seu pai abriu oficina mecânica e onde Bica aos 13 anos começou a ajudar a consertar os carros e tomou muito gosto. Assim que pode Bica se naturalizou brasileiro.
Em 1963, com pouco mais de 19 anos, se casou, e nesse mesmo ano nasceu sua primeira filha. Morava na Rua Helvetia no Bairro de Santa Cecília e abriu oficina mecânica na Rua Jaraguá no bairro
do Bom Retiro.

500 Km/64

No ano seguinte, 1964, começou a correr, fez uma prova de estreantes com um Renault 1093 e já na semana seguinte correu novamente, agora com um Renault Gordini, mês e meio depois, novamente, agora com um Simca Chambord V8, chegou em  5º lugar. Só voltou a correr 4 meses depois quando fez dupla com Augusto Lolli em sua carretera Ford V8 no “1000 Quilômetros de Interlagos”. Quinze dias depois, na “Semana da Velocidade”, promovida em comemoração à Semana da Pátria, participou das duas provas: “3 Horas de Velocidade” e 500 Quilômetros de Interlagos”, com um Simca modelo Rallye. Na “3 Horas” não concluiu e no “ 500 Quilômetros ”, realizado pelo circuito completo devido aos acidentes fatais na prova do ano anterior (perderam a vida Edmundo “Dinho” Bonotti e Celso Lara Barberis), também não foi muito bem. Comprou então uma Maserati/Corvette da categoria Mecânica Nacional e estreou o carro na prova “250 Milhas” (64), depois participou da “Prova John F. Kennedy”, mas não conseguiu os bons resultados esperados, a partir de então não participou mais com carros nacionais.
Começou 1965 fazendo dupla com “Zé Peixinho” (José dos Santos Filho) em sua carretera Ford V8 na prova "1600 Quilômetros de Interlagos” mas uma quebra na suspensão os fez ficarem em 30º lugar. Voltou então  a correr com a “velha” Maserati/Corvette, fez duas provas e já mais adaptado ao carro conseguiu resultados razoáveis.

Mil Milhas/1965
Bica apoiado no carro

Na “Mil Milhas Brasileiras”, de 1965, fez dupla com Caetano Damiani em sua carretera Chevrolet/Corvette # 34 e foram muito bem, estavam  em primeiro lugar quando tiveram um problema na embreagem, pararam por três voltas, caíram para o 4º lugar e numa corrida de recuperação conseguiram ainda chegar em 2º lugar.  
Fez a corrida de encerramento da temporada, a prova “250 Milhas”, realizada em sentido contrário, favorável aos ponteiros do relógio, novamente em dupla com Caetano e outra vez chegaram em 2º lugar.

Começou o ano de 1966 correndo com o Mecânica Nacional Maserati/Corvette e conseguiu seu melhor resultado com esse carro, 3º lugar, mas a categoria estava decadente e pouco depois, em junho, teve sua última prova e da qual não participou.

Mil Milhas/1966

Como Caetano estava decidido a parar de correr e até já havia vendido sua carretera para o Justino de Maio, Bica construiu então, em 1966, na sua oficina que ficava na Rua Jaraguá (Bom Retiro), a sua própria carretera, a partir de um Oldsmobile “Ninety-Eight”, do qual aproveitou o chassi e diferencial, rebaixou e adaptou a carroceria, era “quadradão, longo e baixo”, descrição em um jornal da época. Estreou essa carretera na “Mil Milhas” de 1966, em dupla com Caetano, mas não terminaram a prova, quebrou a caixa de direção. Em 1967 fez nova parceria com Caetano na “12 Horas de Interlagos” (21º lugar), foi a última corrida do Caetano, correu também nesse ano a prova do 18º aniversário do Centauro Motor Clube (10º lugar). 

 

Foto de João Saboia

Reprodução de jornal

       Treino da Mil Milhas/1967 - Caçador de Estrelas, visto de lado e de frente      

Como não conseguia bons resultados Bica resolveu então inovar e em junho desenhou na parede da oficina um carro estranho, revolucionário, inspirado num avião de caça, o "Star Fighter" (Lockheed XF104), e em cinco meses seus mecânicos e funileiros construíram o carro que se chamou  “Caçador de Estrelas" (tradução do nome do avião). Fizeram primeiro o chassi tubular treliça, como se fosse um monoposto, motor Corvette central, caixa de cambio 4 marchas e um cardã curtinho ligando ao eixo traseiro rígido, suspensão independente nas quatro rodas, freio a disco nas rodas dianteiras, comprimento de 3,80m, entre eixos de 2,00m, altura de 1,13m, bitola dianteira de 2,00m e bitola traseira de 1,95m, as rodas dianteiras de 5,5” em  magnésio e as traseiras de 8” raiadas, e o mais estranho, o banco do piloto estava à frente do eixo dianteiro, comprometendo bastante a segurança do piloto, Bica até comprou um Kombi para treinar pois o “Caçador” também tinha a coluna de direção vertical. Fez os treinos, mas na véspera seu carro não foi homologado e a organização da “Mil Milhas” o eliminou da lista de inscritos e não pode largar. 

Cockpit do "Caçador de Estrelas"

"Caçador de Estrelas"
Vista traseira 

Inconformado Bica comprou uma carretera e os mecânicos passaram o motor do “Caçador” para ela, mas no embarque para Interlagos a carretera caiu da rampa do caminhão e entortou a suspensão e não pode assim fazer as tomadas de tempo, novamente sua participação não foi  permitida. Desolado Bica desmontou  totalmente o “Caçador”, mas já pensando num novo protótipo.


 

Em 1968 com Interlagos fechado para reformas Bica pegou sua Corvette e em fevereiro foi ao Rio Grande do Sul participar da prova “Antoninho Burlamague” em Porto Alegre, Bica tinha parentes lá, chegou em 4º lugar numa disputa acirrada com Breno Fornari e seu protótipo Regente. (veja filme da prova).

 

1969 - Caçador II  - Prova Presid.
Arthur da Costa e Silva (PR)

Concluiu rapidamente o novo protótipo, agora chamado de “Caçador II” e fez dupla com Roberto “Argentino” Gomez no “Mil Quilômetros de Brasília”, mas pela madrugada “Argentino” após uma quebra na suspensão bateu no muro da Rodoviária, que servia como box, fim de prova para eles.
Em 1969 com Interlagos ainda fechado só voltou a correr na prova “Presidente Arthur 
da Costa e Silva” no Autódromo de Pinhais no Paraná com o “Caçador II”. Na largada estilo Indianápolis, feita com os carros em movimento, Bica se adiantou e acelerou 
antes da bandeirada de largada, paralisada a prova, a direção o penalizou em três 
voltas. Após nova largada chegou em 3º lugar com o mesmo número de voltas do vencedor, Emilio Zambello com Alfa Romeo GTA, mas descontadas as três voltas
caiu para o 4º lugar.

1969 - Caçador III - Prova
Namorados no Autódromo (PR)

Bica partiu então para a construção de um novo e mais convencional protótipo, o “Caçador III” e o estreou em julho, novamente no Autódromo de Pinhais, prova “Namorados no Autódromo” onde chegou em 3º lugar.  

1975 - Caçador III
Tarumã (RS)

Depois dessa prova parou de correr, tinha 26 anos apenas, e passou a se dedicar apenas à sua oficina. Por meados de 1973 mudou-se para Porto Alegre (RS) abriu uma oficina e levou o protótipo para lá, até que em 1975 depois de seis anos sem correr participou de uma prova no Autódromo de Tarumã (RS), seu protótipo agora era enquadrado como Divisão 4 (chassi nacional, motor importado), mas já estava defasado. Apesar disso chegou em 8º lugar, e aos 32 anos de idade encerrou definitivamente sua carreira automobilística, ano seguinte mudou-se para Cidreira, cidade no litoral do Rio Grande do Sul, abriu oficina mecânica, o que mais gostava de fazer, mas vendeu o carro.
Descobriu ser cardíaco em 1990 e em 1994, aos 51 anos, após uns pequenos infartos, fez cirurgia de ponte de safena e em 1987 mudou-se de volta para Porto Alegre (RS), sempre com oficina, até que em 2000 ao levar a mãe para embarcar num vôo para São Paulo, em
 pleno Aeroporto Salgado Filho, sofreu um infarto, socorrido por seu filho que o reanimou, sofreu outro infarto e faleceu antes da chegada da equipe de socorro do aeroporto, tinha quase 57 anos de idade. Bica teve 3 filhos, um casal com a primeira esposa e um filho com a segunda esposa.

Fases da construção do "Caçador de Estrelas" - Chassi, carroceria e pronto para os treinos da "Mil Milhas" de 1967

Participações em provas

01/03/1964 - Estreantes e Novatos da APVC - Interlagos/SP - Renault 1093 845cc nº 237 - 12º na geral e 10º na T-1.3
08/03/1964 - GP Rogê Ferreira - Interlagos/SP - Renault Gordini 845cc - 12º na geral e ND na T-1.3
26/04/1964 - Prova Constantino Cury - Interlagos/SP - Simca Chambord 2.432cc - 5º na geral e 4º na T+1.3
15/08/1964 - 1000 Quilômetros de Interlagos/SP - Carretera Ford V-8 3.917cc nº 37- c/Augusto C. Lolli - 18º na geral e 6º na T+1.6
30/08/1964 - III 3 Horas de Velocidade - Interlagos/SP - Simca Rallye 2.505cc nº 27 - 16º na geral e 4º na T+1.3
07/09/1964 - VII 500 Quilômetros de Interlagos/SP - Simca Rallye 2.505cc nº 27 - 15º na geral e 3º na T+1.3
27/09/1964 - I 250 Milhas de Interlagos/SP - Maserati Corvette 4.343cc nº 27 - 16º na geral e 9º na MN
11/10/1964 - Prova John F. Kennedy - Interlagos/SP - Maserati Corvette 4.343cc nº 3 - 14º na geral e 6º na MN
27/03/1965 - II 1600 Quilômetros de Interlagos/SP - Carretera Ford V-8 3.917cc nº 82 - c/Zé Peixinho (José dos Santos Filho) - 30º na geral e 14º na TFL
25/07/1965 - Prova Aniversário da APVC - MN - Interlagos/SP - Maserati Corvette 4.343cc nº 1 - 6º na geral e 5º na MN
10/10/1965 - Festival Interclubes - MN - Interlagos/SP - Maserati Corvette 4.343cc nº 1 - MN - 5º Lugar
27/11/1965 - VII Mil Milhas Brasileiras - Interlagos/SP - Carretera Chevrolet Corvette 4.343cc nº 34- c/Caetano Damiani - TFL - 2º Lugar
19/12/1965 - 250 Milhas de Interlagos/SP - Carretera Chevrolet Corvette 4.343cc nº 34- c/Caetano Damiani - TFL - 2º Lugar
27/02/1966 - Camp. Paulista - MN - 1ª Etapa - Interlagos/SP - Maserati Corvette 4.343cc nº 1 - 3º Lugar
19/11/1966 - VIII Mil Milhas Brasileiras - Interlagos/SP - Carretera Chevrolet Corvette 4.343cc nº 34 - c/Caetano Damiani - TFL - AB
19/03/1967 - IV 12 Horas de Interlagos/SP - Carretera Chevrolet Corvette 4.343cc nº 34 - c/Caetano Damiani - 21º na geral e 7º na TFL
16/04/1967 - Premio Aniversário do Centauro - Interlagos/SP - Carretera Chevrolet Corvette 4.343cc nº 34 - 10º na geral e 7º na TFL
03/12/1967 - IX Mil Milhas Brasileiras - Interlagos/SP - Caçador de Estrelas (não homologado por falta de segurança)
                  
1968 e 1969  -  Interlagos fechado para reformas
11/02/1968 - XIII Prova Antoninho Burlamaque/RS - Corvette Chevrolet 4.343cc nº 34 - TFL - 4º Lugar
14/04/1968 - IV Mil Quilômetros de Brasília - Eixo Monumental/DF - Caçador II Corvette 6.997cc nº 34 - c/Roberto Gomez - PT - AB
23/03/1969 - Presidente Artur da Costa e Silva - Pinhais/PR - Caçador II Corvette 6.997cc nº 34 - 4º na geral e 1º na PT
06/07/1969 - Prova Namorados no Autódromo - Pinhais/PR - Caçador III Corvette 5.350cc nº 34 - 3º na geral e 2º na PT
06/07/1975 - II Etapa - Camp. Brasileiro Div. 4 - Tarumã/RS - Caçador III Corvette 4.093cc nº 34 - 8º na geral e 4º na D4+2.0

Agradecimentos: 
Dan Votnamis (SP): Gabi Votnamis (RS); Frederico Augusto Klarmann Flores (RS); Ricardo Cunha (SP) e Napoleão Ribeiro (DF).


VOLTAR AO TOPO DA PÁGINA
ou
VOLTAR À PÁGINA INICIAL