Uma visão dos nossos históricos anos sessenta e um pouco antes

Voltar  para  Página Inicial

Ir  para  "Lendas e histórias"

Pilotos:
Agnaldo de Goes Aldo Costa Alfredo Santilli Amauri Mesquita Antonio C. Aguiar Arlindo Aguiar Aroldo Louzada Bica Votnamis
Bird Clemente Bob Sharp Breno Fornari Caetano Damian Camillo Christofaro Carlos Sgarbi Catharino Andreatta Celso L. Barberis
Christian Bino Heins Ciro Cayres Domingos Papaleo Eduardo Celidonio Emerson Fittipaldi Emilio Zambelo Ênio Garcia Eugênio Martins
Francisco Lameirão Fritz D'Orey Graziela Fernandes Haroldo Vaz Lobo Henrique Casini Jan Balder Jaime Pistili Jayme Silva
José Tôco Martins Júlio Andreatta Luiz A. Margarido Luiz Carlos Valente Luiz Pereira Bueno Luiz Valente Marinho Nicola Papaleo
Nilo de Barros Vinhaes Norman Casari Orlando Menegaz Nastromagario Pedro C. Pereira Piero Gancia Raphael Gargiulo Ricardo Rodrigues de Moraes
Roberto Gallucci Roberto Gomez Salvador Cianciaruso Toninho Martins Victorio Azzalin Vitório Andreatta Waldemar Santilli Zoroastro Avon
Preparadores e/ou construtores:
Anísio Campos Jorge Lettry Miguel Crispim Nelson Brizzi Toni Bianco Victor Losacco    
Pioneiros:
Ângelo Juliano Benedicto Lopes Chico Landi Chico Marques Gino Bianco Hermano da Silva Ramos Irineu Correa João R. Parkinson
Manuel de Teffé Nascimento Junior Norberto Jung Sylvio A. Penteado Villafranca      

 

Página acrescentada em 01 de maio de 2008
 

Camillo Christofaro
(Camillo João Christofaro)
por Paulo Roberto Peralta

Clique aqui e veja uma entrevista com esse ex-piloto, em 1968

Camillo com motor Ferrari

Nasceu em São Paulo (SP) no dia 27 de abril de 1928, mais precisamente na Rua das Olarias no Bairro do Canindé, e foi lá que passou a infância, a juventude, enfim, a vida toda. Seu avô tinha uma olaria no bairro e um automóvel Reo 1928 em que Camillo já aos 4 ou 5 anos adorava passear.

Sua mãe, Dna. Esperança, era irmã de Chico Landi, na época mecânico e posteriormente se consagrou como corredor de automóveis. Aos 12 anos estava presente na inauguração do Autódromo de Interlagos (12/05/1940) e assistiu ao tio chegar em 2º lugar na prova “Grande Premio de São Paulo” que nessa edição contou com pilotos estrangeiros. Seu outro tio, Quirino Landi, também participou.

Fez o curso primário e o secundário no próprio bairro e depois foi estudar no SENAI no Bairro do Brás (torno, fresa e plaina). Aos 14 anos começou a trabalhar, inicialmente de ajudante numa oficina mecânica na rua onde morava, aos 15 anos a família mudou-se para a Rua Itaqui, mesmo bairro, aos 18 anos foi prestar serviço militar (Exercito) e ao dar baixa tirou carteira de habilitação, apesar de já guiar, esporadicamente, desde os 16 anos o caminhão de seu tio Paschoal Landi. Com a habilitação passou a trabalhar com o tio nas estradas, ficou guiando caminhão até os 23 anos (1951). Mantinha colado no pára-brisa do caminhão uma foto de um carro de corrida Alfa Romeo da década de 30 do tipo “Grand-Prix”.
No tempo ocioso entre uma viagem e outra guiava um táxi, e com essa renda economizou e comprou seu 1º carro, um Chevrolet 1937, que viria a se transformar na famosa carretera 18.

1956 - O primeiro carro

Aos 24 anos, (1952), montou oficina própria e também se casou com Dna. Wilma. Pouco depois começou a construir o seu carro de corrida, um monoposto Mecânica Nacional usando a estrutura do chassi de um Alfa Romeo, com motor Ford e o resto montado a partir de peças de diversas origens, além de uma carroceria feita por ele mesmo. Levou quase 3 anos para construir o carro que recebeu o nº 18 em homenagem à esposa, era a data de seu aniversário (18/06), e seu filho gostava de ver gibis e adorava as histórias dos lobinhos, Camillo então mandou pintar um lobinho no carro, que ganhou o apelido de “Lobinho”, com o tempo a figura foi sendo modificada e ganhou até mesmo um capacete e a equipe foi ficando conhecida como “Escuderia Lobo”, e ele mesmo com o tempo passou a ser chamado de o “Lobo do Canindé”

Na primeira corrida em 1956 o carro quebrou, depois transformou o carro em biposto, rebaixou, trocou a grade e reestreou o carro no “Prêmio Benedicto Lopes”, depois fez mais 3 corridas, todas com bons resultados.

1956 - Premio Santos Dumont
Ao lado Alfredo Santilli

1957 - I Prova do Cinquentenário do ACB - 2º lugar Raphael Gargiulo

1957 - Carretera de Djalma Pessotato
Inspeção Mil Milhas - Pça. Charles Miller

1957 - VI Prova do Cinquentenário do ACB

Já na prova inicial de 1957 obteve sua primeira vitória: “I Prova do Cinquentenário do ACB”. No ano de 57 teve também seu primeiro acidente sério, na “IV Prova do Cinqüentenário do ACB” vinha em segundo perseguindo o líder, Celso Lara Barberis, quando a manga de eixo se partiu e o carro sem a roda dianteira esquerda foi de encontro ao barranco, Camillo por sorte nada sofreu.
Na primeira edição da prova “500 Quilômetros de Interlagos” participou em dois carros, fez dupla com Djalma L. Pessolato em seu “Camillo Especial”, agora equipado com motor Corvette e também fez dupla com o tio, Chico Landi, no Perfect Cicle Especial. Mas ambos os carro abandonam logo no inicio da prova: com 7 voltas (junta de cabeçote) e 4 voltas (incêndio devido à um curto-circuito). respectivamente.

Em seguida, Djalma o convidou para correr a “II Mil Milhas Brasileiras” em dupla na sua carretera, foi sua primeira corrida em carretera, mas durante a corrida um cavalo atravessou a pista e Djalma numa manobra brusca para desviar acabou capotando e caindo do barranco entra as curvas 1 e 2, vindo a falecer.
”- Eu estava liderando quando entreguei o carro ao Djalma Pessolato, meu parceiro de pilotagem nessa prova, e grande amigo. Ele completou umas três voltas quando apareceu um cavalo entre as curvas 1 e 2. Para desviar, Djalma acabou batendo, morreu. Senti demais essa perda.
Camillo comprou a carretera acidentada e em 1958 a recuperou e participou com ela de uma prova em Petrópolis (RJ) com vitória e outra em Porto Alegre (RS), que não concluiu.
“- Esse carro que o Pessolato morreu era um Chevrolet 39. Era dele, de uso, uma Chevrolet linda, super-nova, ele, o Djalma, fez a carretera, ele tinha loja na Rua Piratininga nº 200. Aí ele capotou e morreu, uma tragédia.” Relembra hoje o amigo Caetano Damiani.

1957 - II Prova Cinqüentenário do ACB
Ao lado Alfredo Santilli
1958 - Imigração Japones
Ao lado Pachoal Nastromagario

1959 - Prova Presidente do ACB
Vitória com a Alfa Romeo/Corvette

1960 - Camillo em Piracicaba
Alfa/Corvette

1958 - Legenda da foto no jornal
"Posição em que ficou o carro de corrida"

Na “III Mil Milhas Brasileiras” em 1958 Camilo ia correr em dupla com Jair de Melo Vianna na carretera dele, comprada de Irani Iervolino, mas a caminho de um treino (as carreteras tinham placa, iam andando até a pista), bateram com um Buick e Jair morreu, três mecânicos se feriram, um com gravidade, uma passageira do outro carro também faleceu, e Camillo teve escoriações.
Essa carretera foi vendida para os irmãos Romano que após recuperá-la correram com ela a “IV Mil Milhas Brasileiras” em 1959 e Lauro Romano capotou no mesmo lugar do acidente de Djalma (coincidencia), mas felizmente só com prejuízos materiais dessa vez.

Em 1958 para o “II 500 Quilômetros” Camillo (30 anos) estreou um novo Mecânica Nacional, um Alfa Romeo/Corvette e correu em dupla com “Dinho” Bonotti e cedeu o “Camillo Especial” para “Dinho” também correr em dupla com Caetano Damiani.

Começou o ano de 1959 com uma vitória na prova "Presidente do ACB" em Interlagos com a Alfa Romeo/Corvette, Já na “IV Mil Milhas Brasileiras” em 1959 (31 anos) fez dupla na carretera nº 84 de José Gimenez Lopes em substituição ao tio Chico que nesse ano correu em dupla com Jean Louis Lacerda. Ele e Gimenez Lopes chegaram em 2º lugar, seu tio abandonou a prova por problemas mecânicos.

1960 - GP Juscelino Kubitschek - Brasília
Passando ao lado: Alfredo Santilli

Em 1960 depois de participar de 3 provas, com uma vitória, participou do "GP Juscelino Kubitschek" disputado no Eixo Rodoviário Sul de Brasília. Essa prova fazia parte dos festejos da inauguração da nova capital do Brasil. Eram duas retas com dois retornos e os carros iam e vinham. Venceu Jean Louis Lacerda, Camillo ficou em 9º lugar.

1960 - V Mil Milhas Brasileiras
Com Celso Lara Barberis

E naquele ano fez novamente dupla com o tio Chico em julho, agora ao volante de um FNM/JK na prova “I 24 Horas de Interlagos” (só carros nacionais), em setembro comprou a carretera de Gimenez Lopes e correu a “V Mil Milhas Brasileiras” ao lado de Celso Lara Barberis, e a poucas voltas do final (192 de 201) estando na liderança, a carretera parou pouco antes dos boxes, foi empurrada até seu box, mas não houve jeito de fazê-la funcionar novamente, então a equipe toda empurrou a carretera para cruzar a linha de chegada e garantir o 4º lugar.
Na revista 4 Rodas tem um relato do episódio:
“O Chevrolet vinha na altura da Curva do Lago... soltando a correia do dínamo que vira a bomba d’água; as bronzinas dos mancais de dentro não resistiram, querendo mesmo entrar uma por dentro da outra. O motor sofreu um aquecimento muito mais forte, absolutamente inesperado. A custo, Camillo conseguiu atingir o boxe. Quando lá chegou o motor parou bruscamente. Camillo sentiu que ele “engripara” e que não havia mais possibilidade de continuar.
Era o desfecho. Os mecânicos não se conformando empurravam o carro para frente e para trás na vã tentativa de que ele pegasse. Celso não admitia o fim, incentivava a turma de mecânicos a prosseguir empurrando o carro para frente e para trás. Houve quem chorasse em meio a esta situação. Levar o carro do boxe até a linha de chegada era questão de dez metros. Foi o que fizeram, com Celso ao volante, para conseguir uma 4ª colocação.”

No ano seguinte (1961) estreou seu novo Mecânica Nacional, uma Maserati/Corvette com vitória no “Circuito de Piracicaba” (SP), o carro anterior, Alfa Romeo/Corvette, vendeu para Justino de Maio.

No ano de 1961 faz algumas modificações na carretera, a mais visível foi rebaixar o teto, e na “VI Mil Milhas Brasileiras” correu novamente em dupla com Celso Lara Barberis, depois em julho de 1962 vendeu a carretera para Catharino Andreatta, do Rio Grande do Sul, correu mais duas vezes ao lado de Chico Landi com carro FNM/JK, uma delas foi vitória na prova “ I12 Horas de Interlagos”. Nesse ano comprou uma Ferrari/Corvette que alugava/cedia para pilotos que traziam patrocínio.

1962_05_20_Premio Aniversario ACESP

Em 1962 correu a primeira edição da "12 Horas de Interlagos" em dupla com o tio Chico Landi, com um FNM/JK e venceram a prova, ai quando em abril antes da realização de uma prova do ACESP, essa passou a exigir o uso de “Santo Antônio” nos carros de competição, em especial as carreteras, Camillo se rebelou e liderou um movimento contra, na verdade não contra o acessório mas contra o exíguo tempo para providenciar, sendo seguido por alguns pilotos, o "quiproquó" foi grande e a competição foi suspensa, recebeu suspensão por um ano, mas em nível internacional, o que não afetou em nada a carreira dele.
No final de abril participou de outra prova em dupla com Chico Landi, o "I Mil Quilômetros de Brasília", mas não venceram. Em maio usou pela primeira vez um carro Porsche, era um modelo 356C, no "Festival Automobilístico ACESP" e conquistou um 2º lugar, nesse mesmo dia participou com sua Maserati/Corvette de Mecânica Nacional e venceu.
Ultima prova do ano foi o "V 500 Quilômetros de Interlagos", com um 2º lugar.

1963 - II 12 Horas de Interlagos
Bi-campeão da prova
1964 - 1000 Quilômetros de Interlagos Porsche 356C

Em 1963 venceu novamente a “12 Horas de Interlagos”, dessa vez ao lado de Antonio Carlos Aguiar e Décio D’Agostino, tornando-se bicampeão da prova, aí pegou seu Chevrolet 1937 e começou a construir a sua própria carretera, a famosa 18, que o consagraria definitivamente, fez a estréia na prova “1600 Quilômetros de Interlagos” (63) ao lado de Antonio Carlos Aguiar, 6º lugar.

1964 - 250 Milhas - Atras vem Antonio Carlos Aguiar

Em 1964 começou com três vitórias: "GP Rogê Ferreira", "Prova Constantino Cury" e "GP Vitória da Democracia", todas com Mecânica Nacional, ai em agosto, no "I Mil Quilômetros de Interlagos" em dupla com Antonio Carlos Aguiar usou novamente o carro Porsche 356C, mas não foram muito bem, 14º lugar.

Até então sua prioridade eram as corridas de Mecânica Nacional, mas com a diminuição das corridas, afinal já estavam ficando obsoletas, passou a correr com mais freqüência com sua carretera e a foi aperfeiçoando cada vez mais, até que para a “VII Mil Milhas Brasileiras” em 1965 usou a suspensão traseira da Ferrari de Aguinaldo de Goes Filho, com que o piloto “Rio Negro” (Fernando Antonio Mafra Moreira) sofreu um acidente fatal na saída da Curva 1 durante o “Festival Automobilístico ACESP” em 1962, prova em que também participava.

Começou 1965 com a participação no "II 1600 Quilômetros de Interlagos" em dupla com Aguinaldo de Goes Filho na carretera, ele o convidou para mostrar como havia ficado a adaptação da suspensão da Ferrari na carretera, chegaram em primeiro na categoria. Fez mais duas provas em Interlagos e em julho foi ao Rio de Janeiro participar do "GP IV Centenário do Rio de Janeiro" pilotando uma Ferrari 250 GTO Drago, o que causou polemica, seu tio Chico Landi então chefe de equipe Simca que correu com os 2 Simca/Abarth, o protótipo Tempestade (Perereca), o protótipo Abarth/Tufão e mais 2 sedans, entrou com recurso alegando que a Ferrari originalmente era um GT, mas que havia sido enviada para a Itália e transformada, então seria agora um protótipo, após muita discussão o ACB acabou considerando o carro como GT e manteve o resultado.
Correu em seguida o "Festival Interclubes" em outubro, se inscrevendo em duas categoria, Mecânica Nacional e TFL (Carreteras), venceu as duas. Próxima prova foi em novembro, a "VII Mil Milhas Brasileiras" em dupla com Antonio Carlos Aguias,  não foram bem, ai veio a ultima prova do ano, a “250 Milhas de Interlagos” realizada no sentido inverso (horário) ao normalmente usado (anti-horário) outra vez  com a carretera e em parceria com Antonio Carlos Aguiar, venceram a prova.

1965 - GP IV Centenário do Rio de Janeiro
Ferrari 250 GTO Drogo
1965 - VII Mil Milhas Brasileiras
Com Antonio Carlos Aguiar
1965 - 250 Milhas de Interlagos
Corrida no sentido inverso
1965 - 250 Milhas de Interlagos
Carretera rebaixada

Em 1966 começou o ano vencendo 2 provas do Campeonato Paulista, nas duas categorias, em junho  participou das 2 provas do “GP IV Aniversário APVC”, nas duas categorias: TFL (carretera) e MN (Maserati/Corvette), prova que acabou sendo a última da categoria Mecânica Nacional, a partir de então passou a correr só com a carretera. No "Premio Aniversário do ACESP" correu com a carretera e foi 2º lugar.
 
1966 - Mil Milhas Brasileiras
Celidonio cruza a chegada e Camillo vibra
Pódio da Mil Milhas, Camilo consola Emerson
Ai em novembro venceu, em dupla com Eduardo Celidonio, a “VIII Mil Milhas Brasileiras” numa corrida épica, Emerson Fittipaldi e Jan Balder iam vencer, mas a poucas voltas do final o motor do DKW/Malzoni engripou.
“- O Camillo era o máximo na época, fiquei “passado” quando me convidou para correr com ele. Ele refez a carretera inteira, queria muito ganhar uma “Mil Milhas”, ele encurtou o chassi em uns 18cm., adaptou a parte traseira da Ferrari que tinha suspensão independente tipo De Dion, rebaixou a carroceria, usou muito alumínio, só que ficou pronta um pouco antes da classificação, mesmo assim só com 3 voltas ele fez o 3º melhor tempo. Recorda Eduardo Celidonio.
 
No pódio, Camillo consolava Emerson Fittipaldi, 20 anos, garoto ainda, que liderou a prova junto com Jan Balder até poucas voltas antes do final, dizendo:
"- Não fique assim, você é novo, ainda vai ganhar muitas corridas". Recorda Celidonio.
1966 - II GP Rodovia do Café Acidente grave
Da glória da vitória à quase uma tragédia, um mês depois, na corrida seguinte: “GP Rodovia do Café” (PR) Camillo sofreu um sério acidente, capotou numa depressão cheia de lama na rodovia molhada por uma chuva torrencial, acabou com o tornozelo esquerdo trincado, dois cortes no rosto e escoriações pelo corpo e a carretera destroçada. “- Eu estava a mais de 200 Km/h quando aconteceu, o carro foi todo destruído, eu quebrei a perna e o maxilar, tive sorte.”

Em 1967 fez 5 provas, inclusive a “IX Mil Milhas Brasileiras”, novamente em dupla com Eduardo Celidonio, não terminaram a prova. Nesse ano também nasceu sua filha Vilma.

Em 1968 com Interlagos fechado para reformas, fez provas no Paraná, Rio de Janeiro e Brasília, esta com um BMW em parceria com Ubaldo César Lolli.

1969 - Prova Namorados no Autódromo - Realizada em Pinhais

1969 - Com Interlagos ainda em reformas, fechado, participou de apenas uma corrida no Paraná: "Prova Namorados no Autódromo".

1970, com a reabertura de Interlagos voltaram as corridas, mas Camillo também correu no Paraná e na inauguração do Autódromo de Tarumã (RS), onde, apesar de ter largado em ultimo, pois chegou na véspera e não treinou, terminou atrás apenas do Fúria de Jayme Silva e do Bino Mark II de Luiz Pereira Bueno, dois carros construídos por Toni Bianco.

“- ... com esse mesmo carro ganhei a prova de velocidade na Avenida Marginal, em São Paulo, quando atingi 237 Km/h no quilômetro lançado. A prova foi um festival de recordes, em linha reta, na Marginal do Rio Pinheiros em São Paulo, e Camillo marcou 236.74 km/h.

1970 - IV Etapa Copa Brasil 1970 - 500 Quilômetros de Interlagos 1971 - Ultimo ano da carretera 1971 - Torneio Sul Americano

Camillo correu com a carretera até 1971, sempre introduzindo melhoramentos, a categoria TFL já não existia mais, seu carro enquadrava-se na Divisão 4 (protótipo nacional com motor estrangeiro).
“- Corri de carretera até 1971... De qualquer forma a carretera deixou de ser competitiva, tive que abandona-la”.

1972 - Furia com motor Chrysler

Sua última corrida com a carretera foi a 1ª etapa da Copa Brasil de 1971 (11/12), aí a partir da 2ª etapa (18/12) estreou o protótipo Fúria/Ferrari que havia encomendado ao carrozieri Toni Bianco, fez apenas 2 corridas com esse motor, para se adaptar ao regulamento trocou por um motor Dodge Chrysler nacional, correu com ele os anos de 1972 e 73.

1973 - Campeonato Brasileiro Div.3
6ª Etapa

A partir da “XI Mil Milhas Brasileiras” em 1973 passou a usar um Maverick Ford V8, até que em 1975, aos 47 anos, realizou um de seus sonhos, correr em dupla com o filho Camilinho, então com 22 anos, na prova ”6 Horas de Interlagos” correram com o Maverick da “Escuderia Lobo” e estavam na liderança quando faltando menos de 1 hora para terminar Camillo recebeu placa para pit-stop na próxima volta, só que na Curva do Sol perdeu o traçado e colocou uma roda na grama ainda molhada da chuva, o Maverick escapou e bateu no guard-rail externo e devido à velocidade foi parar sobre o guard-rail interno, o carro ficou dobrado ao meio, chegou ao box falando que era um “salame”, que corria a mais de 20 anos e cometera uma besteira. Diz a lenda que ele contou depois que emocionado por estar correndo com o filho e liderando ao passar por um piloto amigo, “Toco”, acenou como nos “velhos” e bons tempos quando o adversário também era um amigo, foi uma pequena distração, mas o suficiente para perder o traçado e escapar da pista.

1975 - 6ª Etapa do Brasileiro de Div.3
Ford Maverick

Continuou correndo de Maverick o Campeonato de 1975 e fez 3 provas do Campeonato de 1976, aí parou de correr, mas não de preparar carros, continuou com a oficina, com a equipe e passou a  se dedicar à carreira do filho que competia no Brasileiro de Marcas e na Stock Car.

1989 - XIX Mil Milhas Brasileiras
Correndo com o filho

13 anos depois, em 1989, já com 61 anos, Camilinho (36 anos) o convenceu a correr mais uma, a “XIX Mil Milhas Brasileiras”, correram em trio: Camillo, Camilinho e Americo Beertini com um Chevrolet Opala equipado com cambio Corvette e um motor de aproximadamente 300 cavalos.
“- Meu pai deu as coordenadas de como deveríamos disputar, estabelecido um ritmo os 3 viravam bem próximos. Meu pai com 61 anos, fez duas tocadas. Relembra Camilinho.
Foram 197 voltas, pouco mais de 11h34min. resultando num 3º lugar na geral e 1º na categoria Força Livre Nacional.

Chevrolet 1937
A origem da carretera nº 18

Foi esta então sua última corrida e que por coincidência também foi a última “Mil Milhas” realizada no circuito antigo, no final daquele ano Interlagos foi fechado e a pista reformada e reduzida (mutilada) de 7.873,8 para 4.309 metros.

No início de 1994 uma revista de automobilismo levou Camillo, Fritz D’Orey e Eugenio Martins para realizarem testes em carro de rua em Interlagos, foi talvez a última vez que Camillo guiou no Autódromo, em 28 de agosto daquele mesmo ano Camillo faleceu, aos 66 anos de idade.

“- Mais importante ainda que o troféu é o prêmio em dinheiro. Não entro para perder em nenhuma corrida.” Costumava dizer quando questionado sobre os troféus”.

(“falas” do Camillo foram copiadas de uma reportagem/entrevista realizada por Roberto Negraes em set/86)
 

Participações em provas

08/04/1956 - Abertura da Temporada do ACB - Interlagos/SP - Camillo Especial/Ford 3.917cc nº 20 - MN - AB
12/08/1956 - Prêmio Benedicto Lopes - Interlagos/SP - Camillo Especial/Ford 3.917cc nº 18 - MN - 4º Lugar
16/09/1956 - Prova 49° Aniversário do ACB - Interlagos/SP - Camillo Especial/Ford 3.917cc nº 18 - MN - 3º Lugar
16/12/1956 - Prêmio Santos Dumont - Interlagos/SP - Camillo Especial/Ford 3.917cc nº 18 - MN - 3º Lugar
10/02/1957 - I Prova Cinqüentenário do ACB - Interlagos/SP - Camillo Especial/Ford 3.917cc nº 18 - MN - 1º Lugar
07/04/1957 - II Prova Cinqüentenário do ACB - Interlagos/SP - Camillo Especial/Ford 3.917cc nº 18 - MN - 2º Lugar
23/06/1957 - III Prova Cinqüentenário do ACB - Interlagos/SP - Camillo Especial/Ford 3.917cc nº 18 - MN - 2º Lugar
25/08/1957 - IV Prova Cinqüentenário do ACB - Interlagos/SP - Camillo Especial/Ford 3.917cc nº 18 - MN - 11º Lugar
07/09/1957 - I 500 Quilômetros de Interlagos/SP - Camillo Especial/Corvette 4.343cc nº 18 - c/Djalma L. Pessolato - 23º Lugar
07/09/1957 - I 500 Quilômetros de Interlagos/SP - Ferrari/Corvette 4.343cc nº 2 - c/Chico Landi - 24º Lugar
23/11/1957 - II Mil Milhas Brasileiras - Interlagos/SP - Carretera Chevrolet/Corvette 4.343cc nº 68 - c/Djalma L. Pessolato - 32º Lugar (acidente fatal c/Pessolato)
01/12/1957 - VI Prova Cinqüentenário do ACB - Interlagos/SP - Camillo Especial/Corvette 4.343cc nº 18 - MN - 2º Lugar
23/02/1958 - Prova Crônica Esportiva Paulista - Interlagos/SP - Camillo Especial/Corvette  4.343cc nº 18 - 6º na geral e 2º na MN
16/03/1958 - VI Circuito de Petrópolis - MN - Petrópolis/RJ - Camillo Especial/Corvette 4.343cc nº 18 - 1º Lugar
16/03/1958 - VI Circuito de Petrópolis - TFL - Petrópolis/RJ - Carretera Chevrolet/Corvette 4.343cc 68 - 1º Lugar
20/05/1958 - I Torneio Sul-Americano - Interlagos/SP:- Camillo Especial/Corvette 4.343cc nº 18 - MN - 2º Lugar
15/06/1958 - I 500 Quilômetros de Porto Alegre/RS - Carretera Chevrolet/Corvette 4.343cc - TFL - ND
22/06/1958 - GP Cinqüentenário da Imigração Japonesa - Interlagos/SP - Camillo Especial/Corvette 4.343cc nº 18 - MN - 3º Lugar
07/09/1958 - II 500 Quilômetros de Interlagos/SP - Alfa Romeo/Corvette 4.343cc nº 18 - c/Piloto H (Dinho Bonotti) - 2º Lugar
17/05/1958 - III Circuito de Pirajuí/SP - Alfa Romeo/Corvette 4.343cc nº 18 - 7º na geral e 4º na MN
31/05/1958 - Prêmio Santa Lúcia - Interlagos/SP - Alfa Romeo/Corvette 4.343cc nº 18 - 6º na geral e 2º na MN
05/07/1959 - Prova Presidente do ACB - Interlagos/SP - Alfa Romeo/Corvette 4.343cc nº 2 - MN - 1º Lugar
18/10/1959 - III Circuito de Poços de Caldas/MG - Alfa Romeo/Corvette 4.343cc nº 18 - MN - 6º Lugar
21/11/1959 - IV Mil Milhas Brasileiras - Interlagos/SP - Chevrolet/Corvette 4.343cc 84 - c/José Gimenez Lopes - TFL - 2º Lugar
10/01/1960 - II Torneio Triangular Sulamericano - Interlagos/SP - Alfa Romeo/Corvette 4.343cc nº 18 - 3º na geral e 2º na MC
17/01/1960 - GP Cidade do Rio de Janeiro - Barra da Tijuca/RJ - Alfa Romeo/Corvette 4.343cc nº 18 - MC - 4º Lugar
13/03/1960 - II Circuito de Piracicaba/SP - Alfa Romeo/Corvette 4.343cc nº 18 - MN - 1º Lugar
23/04/1960 - GP Juscelino Kubitschek - Eixo Rodoviário Sul - Brasília/DF - Alfa Romeo/Corvette 4.343cc nº 18 - MN - 8º Lugar
12/06/1960 - Prêmio Presidente do ACB - Interlagos/SP - Alfa Romeo/Corvette 4.343cc nº 18 - MN - 1º Lugar
03/07/1960 - I 24 Horas de Interlagos (GEIA) - Interlagos/SP - FNM/JK 2000 1.975cc nº 2 - c/Chico Landi - T+2.0 - 2º Lugar
09/09/1960 - III 500 Quilômetros de Interlagos/SP - Alfa Romeo/Corvette 4.343cc nº 18 - 15º na geral e 8º na MN
26/11/1960 - V Mil Milhas Brasileiras - Interlagos/SP - Carretera Chevrolet/Corvette 4.343cc 82 - c/Celso Lara Barberis - TFL - 4º Lugar
15/01/1961 - III Torneio Triangular Sulamericano - Interlagos/SP - Alfa Romeo/Corvette 4.343cc nº 18 - 9º na geral e 7º na MN
14/05/1961 - III Circuito de Piracicaba/SP (MN) - Maserati/Corvette 4.343cc nº 18 - MN - 1º Lugar
03/06/1961 - II 24 Horas de Interlagos/SP - FNM/JK 2000 1.975cc nº 30 - c/Jean Louis Lacerda - T+2.0 - 3º Lugar
07/09/1961 - IV 500 Quilômetros de Interlagos/SP - Maserati/Corvette  4.343cc nº 18 - 11º na geral e  8º na MN
25/11/1961 - VI Mil Milhas Brasileiras - Interlagos/SP - Carretera Chevrolet/Corvette 4.343cc nº 4 - c/Celso Lara Barberis - TFL - 19º Lugar
25/01/1962 - I 12 Horas de Interlagos/SP - FNM/JK 2000 1.975cc nº 54 - c/Chico Landi - T+2.0 - 1º Lugar
29/04/1962 - I Mil Quilômetros de Brasília - Trampolim do Eixo/DF - FNM/JK 2000 1.975cc nº 54 - c/Chico Landi - 9º na geral e 5º na TC
20/05/1962 - Festival Automobilístico ACESP - SP - Interlagos/SP - Porsche 356C 1.582cc nº 18 - 2º Lugar
20/05/1962 - Festival Automobilístico ACESP - MN - Interlagos/SP - Maserati/Corvette 4.343cc nº 18 - 1º Lugar
07/09/1962 - V 500 Quilômetros de Interlagos/SP - Maserati/Corvette 4.343cc nº 18 - 2º Lugar
10/03/1963 - II 12 Horas de Interlagos/SP - FNM/JK 2000 1.975cc nº 18 - c/Antonio C. Aguiar/Décio D'Agostino - T+1.3 - 1º Lugar
28/04/1963 - I 12 Horas de Brasília - Trampolim do Eixo/DF - FNM/JK 2000 1.975cc nº 2 - c/Chico Landi/Décio D'Agostino - TC - ND
28/04/1963 - I 12 Horas de Brasília Trampolim do Eixo/DF - FNM/JK 2000 1.975cc nº 18 - c/Chico Landi/Décio D'Agostino - TC - ND
30/06/1963 - II Prêmio Aniversário ACESP - Interlagos/SP - Maserati/Corvette 4.343cc nº 18 - MN - 4º Lugar
07/09/1963 - VI 500 Quilômetros de Interlagos/SP - Maserati/Corvette 4.343cc nº 18 - MN - ND
24/11/1963 - I 1600 Quilômetros de Interlagos/SP - Carretera Chevrolet/Corvette 4.343cc nº 18 - c/Antonio C. Aguiar - 6º na geral e 5º na TFL
08/03/1964 - GP Rogê Ferreira - Interlagos/SP - Maserati/Corvette 4.343cc nº 18 - 2º na geral e 1º na MN
26/04/1964 - Prova Constantino Cury - Interlagos/SP - Maserati/Corvette 4.343cc nº 18 - MN - 1º Lugar
05/07/1964 - GP Vitória da Democracia - Interlagos/SP - Maserati/Corvette 4.343cc nº 18 - MN - 1º Lugar
15/08/1964 - 1000 Quilômetros de Interlagos/SP - Porsche 356C 1.582cc nº 18 - c/Antonio C. Aguiar - 14º na geral e 3º na GT
27/09/1964 - I 250 Milhas de Interlagos/SP - Maserati/Corvette 4.343cc nº 18 - 9º na geral e 5º na MN
11/10/1964 - Prova John F. Kennedy - Interlagos/SP - Maserati/Corvette 4.343cc nº 18 - 10º na geral e 5º na MN
27/03/1965 - II 1600 Quilômetros de Interlagos/SP - Carretera Chevrolet/Corvette 4.343cc nº 18 - c/Agnaldo de Goes Filho - 3º na geral e 1º na TFL
25/07/1965 - Prova Aniversário da APVC - MN - Interlagos/SP - Maserati/Corvette 4.343cc nº 18 - MN - 1º Lugar
25/07/1965 - Prova Aniversário da APVC - TFL - Interlagos/SP - Carretera Chevrolet/Corvette 4.343cc nº 18 - TFL - 4º Lugar
19/09/1965 - GP IV Centenário do Rio de Janeiro - Barra da Tijuca/RJ - Ferrari 250 GTO Drogo 2.953cc nº 18 - T/GT+1.3 - 1º Lugar
10/10/1965 - Festival Interclubes - MN - Interlagos/SP - Maserati/Corvette 4.343cc nº 18 - MN - 1º Lugar
10/10/1965 - Festival Interclubes - TFL - Interlagos/SP - Carretera Chevrolet/Corvette 4.343cc nº 18 - TFL - 1º Lugar
27/11/1965 - VII Mil Milhas Brasileiras - Interlagos/SP - Carretera Chevrolet/Corvette 4.343cc nº 18 - c/Antonio C. Aguiar - 33º na geral e 18º na TFL
19/12/1965 - 250 Milhas de Interlagos/SP - Carretera Chevrolet/Corvette 4.343cc nº 18 - c/Antonio C. Aguiar - TFL - 1º Lugar
27/02/1966 - Camp. Paulista - MN - 1ª Etapa - Interlagos/SP - Maserati/Corvette 4.343cc nº 18 - MN - 1º Lugar
27/02/1966 - Camp. Paulista - TFL - 1ª Etapa - Interlagos/SP - Carretera Chevrolet/Corvette 5.359cc nº 18 - TFL - 1º Lugar
20/03/1966 - Camp. Paulista - TFL - 2ª Etapa - Interlagos/SP - Carretera Chevrolet/Corvette 5.359cc nº 18 - TFL - 1º Lugar
17/04/1966 - Camp. Paulista - TFL - 3ª Etapa - Interlagos/SP - Carretera Chevrolet/Corvette 5.359cc nº 18 - TFL - 1º Lugar
12/06/1966 - GP IV Aniversário APVC - Interlagos/SP - Maserati/Corvette 5.359cc nº 18 - 5º na geral e 4º  na MN
12/06/1966 - GP IV Aniversário APVC - Interlagos/SP - Carretera Chevrolet/Corvette 5.359cc nº 18 - TFL - 1º Lugar
03/07/1966 - Prêmio Aniversário ACESP - Interlagos/SP - Carretera Chevrolet/Corvette 5.359cc nº 18 - TFL - 2º Lugar
27/11/1966 - VIII Mil Milhas Brasileiras - Interlagos/SP - Carretera Chevrolet/Corvette 5.359cc nº 18 - c/Eduardo Celidonio - TFL - 1º Lugar
18/12/1966 - II GP Rodovia do Café - Curitiba/Londrina/Curitiba/PR - Carretera Chevrolet/Corvette    5.359cc nº 19 - TFL - AB (acidente)
19/03/1967 - IV 12 Horas de Interlagos/SP - Carretera Chevrolet/Corvette 5.359cc nº 18 - c/Eduardo Celidonio - 2º na geral e 1º na TFL
16/04/1967 - Premio Aniversário do Centauro - Interlagos/SP - Carretera Chevrolet/Corvette 5.359cc nº 18 - 2º na geral e 1º na TFL
11/06/1967 - III 6 Horas de Interlagos/SP - Carretera Chevrolet/Corvette 5.359cc nº 18 - c/Eduardo Celidonio - 15º na geral e 12º na TFL
01/10/1967 - II 100 Milhas de Interlagos/SP - Carretera Chevrolet/Corvette 5.359cc nº 18 - TFL - 1º Lugar
03/12/1967 - IX Mil Milhas Brasileiras - Interlagos/SP - Carretera Chevrolet/Corvette 5.359cc nº 18 - c/Eduardo Celidonio - TFL - AB
 
                                Reformas em Interlagos - 1968/69
04/02/1968 - GP Rodovia do Xisto - Rodovia do Xisto/PR - Carretera Chevrolet/Corvette 5.359cc nº 18 - TFL - 4º Lugar
24/03/1968 - Prova Gov. Paulo Pimentel - Pinhais/PR - Carretera Chevrolet/Corvette 5.359cc nº 18 - TFL - 4º Lugar
13/04/1968 - IV Mil Quilômetros de Brasília - Eixo Monumental/DF - BMW 2002 TI 1.990cc nº 18 - c/Ubaldo Lolli - TFL - ND
04/08/1968 - III 500 Quilômetros da Guanabara - Jacarepagué/RJ - Carretera Chevrolet/Corvette 5.359cc nº 18 - c/Abelardo Aguiar - 4º na geral
06/07/1969 - Prova Namorados no Autódromo - Pinhais/PR - Carretera Chevrolet/Corvette 5.359cc nº 18 - 9º na geral e 5º na PT
08/03/1970 - II 1500 Quilômetros de Interlagos/SP - Carretera Chevrolet/Corvette 5.359cc nº 18 - c/Eduardo Celidonio - D4 - AB
15/03/1970 - Festival Brasileiro de Velocidade - Interlagos/SP - Carretera Chevrolet/Corvette 5.359cc nº 18 - 3º na geral e 2º na D4
22/03/1970 - Prêmio Tufic Scaff - Interlagos/SP - Carretera Chevrolet/Corvette 5.359cc nº 18 - D4 - 2º Lugar
14/06/1970 - V 12 Horas de Interlagos/SP - Carretera Chevrolet/Corvette 5.359cc nº 18 - c/Eduardo Celidonio - D4 - AB
09/08/1970 - 250 Milhas de Interlagos/SP - Carretera Chevrolet/Corvette 5.359cc nº 18 - D4 - ND
07/09/1970 - XI 500 Quilômetros de Interlagos/SP - Carretera Chevrolet/Corvette 5.359cc nº 18 - 13º na geral e 8º na D4
11/10/1970 - 2 Horas de Velocidade Pinhais/PR - Carretera Chevrolet/Corvette 5.359cc nº 18 - D4 - ND
25/10/1970 - GP Mackenzie - Interlagos/SP - Carretera Chevrolet/Corvette 5.359cc nº 18 - D4 - 3º Lugar
08/11/1970 - Inauguração do Autódromo - Tarumã/RS - Carretera Chevrolet/Corvette 5.359cc nº 18 - D4 - 3º Lugar
14/11/1970 - Festival de Recordes - Marginal Pinheiros/SP - Carretera Chevrolet/Corvette 5.359cc nº 18 - 1º Lugar (236,737km/h
06/12/1970 - Copa Brasil - 1º Etapa - Interlagos/SP - Carretera Chevrolet/Corvette 5.359cc nº 18 - D4 - 13º Lugar
13/12/1970 - Copa Brasil - 2ª Etapa - Interlagos/SP - Carretera Chevrolet/Corvette 5.359cc nº 18 - D4 - 8º Lugar
27/12/1970 - Copa Brasil - 4ª Etapa - Interlagos/SP - Carretera Chevrolet/Corvette 5.359cc nº 18 - D4 - ND
21/03/1971 - VI 12 Horas de Interlagos/SP - Carretera Chevrolet/Corvette 5.359cc nº 18 - c/Eduardo Celidonio - D5 - AB
23/05/1971 - Prova dos Campeões - Interlagos/SP - Carretera Chevrolet/Corvette 5.359cc nº 18 - D5 - ND
15/08/1971 - 250 Milhas de Interlagos/SP - Carretera Chevrolet/Corvette 5.359cc nº 18 - 23º na geral e 10º na D5
07/09/1971 - XII 500 Quilômetros de Interlagos/SP  - Furia/Chevrolet 4.100cc nº 69 - c/Olavo Pires - 27º na geral
11/12/1971 - 1ª Etapa da Copa Brasil - Interlagos/SP - Carretera Chevrolet/Corvette 5.359cc nº 18 - AB - 26º na geral e 6º na D5 
(Última corrida da carretera)
18/12/1971 - 2ª Etapa da Copa Brasil - Interlagos/SP - Furia/Ferrari 2.963cc nº 18 - D4 - 17º Lugar
20/08/1972 - 200 Quilômetros de Belo Horizonte/MG - Furia/Ferrari 2.953cc nº 18 - D4 - ND
15/10/1972 - Campeonato Brasileiro Div.4 - 3ª Etapa - Interlagos/SP - Furia/Chrysler 5.212cc nº 18 - 11º na geral e 3º na D4+2.0
12/11/1972 - Brasileiro Div.4 - 3ª Etapa  - Interlagos/SP - Furia/Chrysler 5.212cc nº 18 - D4+2.0 - 2º Lugar
09/12/1972 - Copa Brasil - 1ª Etapa - Interlagos/SP - Furia/Chrysler 5.212cc nº 18 - D4 - 4º Lugar
10/12/1972 - Copa Brasil - 2ª Etapa - Interlagos/SP - Furia/Chrysler 5.212cc nº 18 - D4 - 1º Lugar
17/12/1972 - Copa Brasil - 3ª Etapa - Interlagos/SP - Furia/Chrysler 5.212cc nº 18 - D4 - 3º Lugar
18/03/1973 - Brasileiro de Div.4 - 1ª Etapa  - Interlagos/SP - Furia/Chrysler 5.212cc nº 18 - D4+2.0 - 2º Lugar
15/04/1973 - Brasileiro de Div.4 - 2ª Etapa - Tarumã/RS - Furia/Chrysler 5.212cc nº 18 - D4+2.0 - ND
02/09/1973 - Brasileiro de Div 4 - 6ª Etapa - Interlagos/SP - Furia/Chrysler 5.212cc nº 18 - 7º na geral e 5º na D4+2.0
08/12/1973 - XI Mil Milhas Brasileiras - Interlagos/SP - Ford Maverick 4.950cc nº 18 - c/Eduardo Celidonio - T+3.0 - 2º Lugar
16/12/1973 - Campeonato Brasileiro Div.3 - 6ª Etapa - Interlagos/SP - Ford Maverick 4.950cc nº 18 - 11º na geral e 4º na T+3.0
28/04/1974 - 4ª Etapa do Paulista de Div.1 - Interlagos/SP - Ford Maverick 4.950cc nº 18 - T+3.0 - 10º Lugar
14/07/1974 - 8ª Etapa do Paulista de Div.1 - Interlagos/SP - Ford Maverick 4.950cc nº 18 - T+3.0 - 2º Lugar
01/09/1974 - XV 500 Quilômetros de Interlagos/SP - Ford Maverick 4.950cc nº 18 - 16º na geral e 9º na T+3.0
15/09/1974 - 11ª Etapa do Paulista de Div.1 - Interlagos/SP - Ford Maverick 4.950cc nº 18 - 3º na geral e 2º na T+3.0
29/09/1974 - 12ª Etapa do Paulista de Div.1 - Interlagos/SP - Ford Maverick 4.950cc nº 18 - 7º na geral e 4º na T+3.0
13/10/1974 - 14º Etapa do Paulista de Div.1 - Interlagos/SP - Ford Maverick 4.950cc nº 18 - T+3.0 - 1º Lugar
04/11/1974 - 14ª Etapa do Paulista de Div.3 - Interlagos/SP - Ford Maverick 4.950cc nº 18 -
7º na geral e 6º na T+3.0
02/03/1975 - 1ª Etapa do Brasileiro de Div.3 - Interlagos/SP - Ford Maverick 4.950cc nº 18 - T+3.0 - 4º Lugar
18/05/1975 - 6 Horas de Interlagos/SP (500 Milhas Itacolomy) - Ford Maverick 4.950cc nº 18 - c/Camillo Christofaro Jr. -
52º na geral e 22º na T+3.0 (acidente)
29/06/1975 - 2ª Etapa do Paulista de Div.3 - Interlagos/SP - Ford Maverick 4.950cc nº 18 - T+3.0 - 2º Lugar
03/08/1975 - 3ª Etapa do Paulista de Div.3 - Interlagos/SP - Ford Maverick 4.950cc nº 18 -
T+3.0 - 1º Lugar
24/08/1975 - 5ª Etapa do Paulista de Div.1 - Interlagos/SP - Ford Maverick 4.950cc nº 18 - T+3.0 - 3º Lugar
01/09/1975 - 6ª Etapa do Paulista de Div.1 - Interlagos/SP - Ford Maverick 4.950cc nº 18 -
T+3.0 - 2º Lugar
14/09/1975 - Torneio Sulamericano de Maverick - 1ª Etapa - Interlagos/SP - Ford Maverick (4 cil) 2.301cc nº 16 - Maverick - 14º Lugar
05/10/1975 - 4ª Etapa do Paulista de Div.3 - Interlagos/SP - Ford Maverick 4.950cc nº 18 -
T+3.0 - 2º Lugar
26/10/1975 - 6ª Etapa do Brasileiro de Div.3 - Interlagos/SP - Ford Maverick 4.950cc nº 2 - T+3.0 - 2º Lugar
04/04/1976 - 1ª Etapa do Paulista de Div.3 - Interlagos/SP - Ford Maverick 4.950cc nº 18 -
T+3.0 - 1º Lugar
29/05/1976 - 2ª Etapa do Paulista de Div.3 - Interlagos/SP - Ford Maverick 4.950cc nº 18 - T+3.0 - 1º Lugar
17/10/1976 - 5ª Etapa do Paulista de Div.3 - Interlagos/SP - Ford Maverick 4.950cc nº 18 -
25º na geral e 7º na T+3.0
22/01/1989 - XIX Mil Milhas Brasileiras - Interlagos/SP - Chevrolet Opala 4.093cc nº 18 - c/Camillo Christofaro Jr./Americo Bertini - 3º na geral e 1º na TA

VOLTAR AO TOPO DA PÁGINA
ou
VOLTAR À PÁGINA INICIAL