Uma visão dos nossos históricos anos sessenta e um pouco antes

Voltar  para  Página Inicial

Ir  para  "Lendas e histórias"

Aguinaldo de Goes Aldo Costa Alfredo Santilli Amauri Mesquita Antonio Carlos
Aguiar
Arlindo Aguiar Aroldo Louzada Bica Votnamis
Bird Clemente Bob Sharp Breno Fornari Caetano Damiani Camillo Christofaro Celso Lara Barberis Christian Bino Heins Ciro Cayres
Domingos Papaleo Eduardo Celidonio Emerson Fittipaldi Emilio Zambello Ênio Garcia Eugênio Martins Francisco Lameirão Fritz D'Orey
Graziela Fernandes Jan Balder Jayme Pistili Jayme Silva Jorge Lettry José Tôco Martins Luiz Americo
Margarido
Luiz Carlos Valente
Luiz Pereira Bueno Luiz Valente Marinho Miguel Crispim Nelson Brizzi Nicola Papaleo Nilo de Barros
Vinhaes
Norman Casari
Orlando Menegaz Paschoal
Nastromagario
Pedro Carneiro
Pereira
Piero Gancia Raphael Gargiulo Ricardo Rodrigues
de Moraes
Roberto Gallucci Roberto Gomez
Salvador Cianciaruso Toni Bianco Toninho Martins Victor Losacco Victorio Azzalin Vitório Andreatta Waldemar Santilli Zoroastro Avon
Pioneiros:
Benedicto Lopes Chico Landi Chico Marques Gino Bianco Hermano da Silva Ramos Irineu Correa Manuel de Teffé Nascimento Junior
Norberto Jung Villafranca            

Página acrescentada em 22 de outubro de 2005.

Alfredo Santilli 
por Paulo Roberto Peralta

Clique aqui e veja uma entrevista com esse ex-piloto, em 1958

Alfredo, Landi e Fangio/57

Nasceu em 21 de setembro de 1921 em São Paulo em São Paulo, filho de imigrantes italianos, no bairro da Barra Funda, foi o caçula entre 18 irmãos. Seu pai tinha uma oficina mecânica e por onde passaram todos os irmãos homens, a mecânica era uma vocação da família. 

Carro de Benedicto Lopes

Ele era irmão de Antonio, pai de Waldemar Santilli, seu sobrinho (cinco anos de diferença na idade) que também correu de automóveis. Um cliente famoso da oficina de seu pai foi Benedicto Lopes, piloto que comprou a Alfa Romeo 8C-2300 Monza com que a francesa Hélle-Nice se acidentou em 1936 no I Grande Premio Cidade de São Paulo disputado nas ruas do aristocrático, na época, bairro do Jardim América.


 

Primeiro contato, anos 40

Depois de aprender bastante com o pai e os irmãos, abriu sua própria oficina, isso com aproximadamente 19 anos, mesma idade com que teve contato com a pista de Interlagos, foi com um carro Alfa Romeu de fórmula. No início corria de forma eventual, isso até 1956 quando então passou a correr regularmente.
Nessa fase usou um carro esporte Ferrari 250 MM de 2490cc. ano 1951 que comprou de um político: Hugo Borghi. Depois de duas corridas vendeu para um colecionador, em 1957.

Derrapando na entrada do Esse

Casou-se em 1942 e teve um filho e duas filhas.
No ano de 1957, sagrou-se Campeão Paulista na categoria Turismo Força Livre (Carreteras) numa disputa acirrada com Luiz Américo Margarido.

Exercitando seu lado musical

Descendente de italianos era um músico nato, excelente tecladista, em todas as festas e confraternizações ou churrascadas com pilotos, mecânicos e dirigentes, lá estava ele com seu acordeom alegrando a festa.
Entusiasta de mecânica e do automobilismo, sempre construiu e preparou seus carros. Em sua oficina foi se especializando e passou a trabalhar com câmbios, mudando a razão social para Cambio-Técnico, que hoje é tocada por seu filho, ainda no Bairro da Barra Funda.

"Cavaleiro da Pista"

Disputando a II Mil Milhas Brasileiras em 1957 e ocupando a primeira posição atropelou um cavalo, perigo comum em Interlagos daqueles tempos, nessa mesma prova Djalma Pessolato perdeu a vida em um capotamento causado também por um cavalo.
Os amigos pilotos lhe deram um troféu extra-oficial: "Cavaleiro da Pista". 

Conserto da barra estabilizadora/60

No ano de 1960 disputou a V Mil Milhas Brasileiras com a intenção de parar de correr.  Correu em dois carros, um fazendo dupla com Waldemar Santilli (84), seu sobrinho, mas abandonam por problemas mecânicos, e em outro (88) com Ivo Rizzardi, com o qual chegou em segundo lugar naquela prova que ficou histórica por ter sido a primeira vitória de um carro nacional: o FNM/JK de Chico Landi e Christian Heins, mas poderia ter sido diferente, estavam disputando o primeiro lugar quando uma barra estabilizadora se soltou.
Abandonou o automobilismo, mas só por dez anos, retornando em 1970 em parceria com o também veterano Antonio Versa numa carretera Chevrolet, mas não foram bem, chegaram em 23º lugar na classificação geral e 15º lugar na categoria Divisão 4.

Estréia do Eclipse Especial Oldsmobile/56 Abertura do Campeonato Paulista 1957 Troféu Mil Milhas 1960

Aos 70 anos (1991) iniciou a construção de uma réplica da BMW M1, com motor Corvette V8 preparado, carro que consumiu dois anos de muito trabalho, e quando pronto pretendia inscrevê-lo nas Mil Milhas de 92, mas mudou de idéia: "- Depois de toda dedicação e dois anos de trabalho, não tive coragem de colocá-lo nas pistas". Mas apetite o carro tinha, "... chegava aos 260 Km/h" dizia Alfredo.
Faleceu em 12 de junho de 2002 aos 81 anos de idade.

Alfredo e a réplica da BMW M1

Alfredo durante a construção/1994

Detalhe da suspensão dianteira

Cockpit do carro


Participações em provas (com a colaboração de Napoleão Ribeiro)

08/04/1956 - Temporada do Automóvel Clube do Brasil - Interlagos/SP - Ferrari 250MM nº 10 - 2.490cc - 5º na geral e 3º na cat. SP+1.5
17/06/1956 - 2 Horas de Velocidade 7º Aniversário do Centauro - Interlagos/SP - Ferrari 250MM nº 10 - 2.49cc - 2º na eral e 2º na cat. SP+1.5
12/08/1956 - I Prêmio Benedicto Lopes - Interlagos/SP - Maserati -
2º na geral e 2º na cat. MN
29/09/1956 - Prova do 49° Aniversário do ACB - Interlagos/SP - Eclipse Especial Oldsmobile nº 90 - 4.000cc - MN 7º Lugar
24/11/1956 - I Mil Milhas Brasileiras
- Interlagos/SP - Com Waldemar Santilli - Cadillac nº 90 - 5.442cc - 11º Lugar
16/12/1956 - Prêmio Santos Dumont - Mec. Nac. - Interlagos
/SP - Eclipse Especial Ford nº 19 - 3.800cc - 5º Lugar
Participou em duas provas nesse dia.
16/12/1956 - Prêmio Santos Dumont - TFL - Interlagos
/SP - Cadillac nº 96 - 5.441cc - 1º Lugar
09/02/1957 - Abertura do Campeonato Paulista - MN - Interlagos
/SP - Eclipse Especial Oldsmobile nº 19 - 4.000cc - 5º Lugar
Participou em duas provas nesse dia.
09/02/1957 - Abertura do Campeonato Paulista - TFL  - Interlagos
/SP - Cadillac nº 96 - 5.442cc - 1º Lugar
06/04/1957 - II Prova Cinqüentenário do ACB - Interlagos/SP - Cadillac nº 96 - 5.200cc - TFL - 2º Lugar
23/06/1957 - III Prova Cinqüentenário do ACB - Mec. Nac.- Interlagos/SP - Eclipse Especial Cadillac nº 19 - 5.200cc -
5º Lugar
Participou de duas provas
23/06/1957 - III Prova Cinqüentenário do ACB - Turismo - Interlagos/SP - Cadillac nº 96 - 5.200cc - TFL 4º Luga
25/08/1957 - IV Prova Cinqüentenário do ACB - Turismo - Interlagos/SP - Cadillac nº 96 - 5.200cc -
TFL 3º Lugar
07/09/1957 - I 500 Quilômetros de Interlagos/SP - Com Ruggero Peruzzo - Eclipse Especial Cadillac nº 96 - 5.200cc - 17º Lugar
19/10/1957 - V Prova Cinqüentenário do ACB - Turismo - Interlagos/SP - Cadillac nº 96 - 5.200cc -
TFL 1º Lugar
23/11/1957 - II Mil Milhas Brasileiras
- Interlagos/SP - Com Waldemar Santilli - Cadillac nº 96 - 5.200cc - AB
22/11/1958 - III Mil Milhas Brasileiras
- Interlagos/SP - Com Waldemar Santilli - Cadillac nº 96 - 5.200cc - AB
23/04/1960 - I G. P. Juscelino Kubitschek - Eixo Rodoviário Sul - Brasília/DF - Eclipse Especial Cadillac nº 96 - 5.290cc
16º na geral e 9º na cat. Mec. Nac.  (corrida junto com a categoria esporte)
26/11/1960 - V Mil Milhas Brasileiras - Interlagos/SP - Com Ivo Rizzardi - Chevrolet nº 88 - 4.500cc -
2º Lugar
Participou em dois carros nessa prova.
26/11/1960 - V Mil Milhas Brasileiras - Interlagos/SP - Com Waldemar Santilli - Ford V-8 nº 84 - 4.200cc - AB
22/11/1970 - X Mil Milhas Brasileiras - Interlagos/SP - Com Antonio Versa - Chevrolet nº 78 - 4.999cc -
23º na geral e 15º na Div.4

Campeonatos:

1957 = Campeão Paulista na Categoria Turismo Força Livre (carreteras)


VOLTAR AO TOPO DA PÁGINA
ou
VOLTAR À PÁGINA INICIAL