Um pouco das lendas e das histórias do automobilismo dos anos sessenta
 

VOLTAR PARA PÁGINA INICIAL

I Grande Prêmio Cidade de São Paulo
12 de julho de 1936
Circuito do Jardim América
 
 
 
Pesquisa personalizada


Organização

A grande preocupação da Comissão Organizadora era com a segurança, tanto dos pilotos como dos torcedores, medidas foram tomadas e o público foi insistentemente informado dos riscos e solicitado a colaborar com a Guarda Civil
Aviso publicado em todos os jornais nos dias que antecederam a prova:
"Deveres do público"
- Não atravessar a pista sob nenhum pretexto.
- Não estacionar na parte externa das curvas.
- Não estacionar a beira da calçada e não forçar as cordas da Av. Brasil.
- Não estacionar nos canteiros do centro da pista.
5º - Sob nenhum pretexto: - Não auxiliar os concorrentes para não prejudicá-los,
6º - Esperar o aviso de término da corrida para atravessar a pista.
7º - Não depredar as construções dos moradores do Jardim América.
8º - Acatar as ordens das autoridades policiais a as dos diretores da prova.
Sempre em seguida vinha publicado:
"Apelo dos corredores ao público paulistano" 
- Não arriscar as nossas e as vossas vidas atravessando a pista durante toda a corrida. 
- Não nos auxiliar para não sermos desclassificados, de acordo com o regulamento.
- Não jogar nada sobre a pista e, sobretudo terra nas curvas, para evitar perigosas derrapagens. 
- Os assistentes deverão atender ao apelo dos concorrentes, pois com isso somente contribuirão para o bom andamento da prova.
Os ingressos foram postos a venda em diversos lugares da cidade, havia ingressos de 3$000 (3 mil réis, ou merréis na gíria), entrada simples ao lado da pista; 20$000 arquibancadas comuns; 25$000 arquibancadas não numeradas e 50$000 arquibancadas numeradas.
No dia 9 foi oferecido pelo industrial Sr. Sabbado D’Angelo na sua chácara em Itaquera um churrasco para todos os participantes, à Comissão Organizadora e à diretoria do Automóvel Clube do Brasil, ao cônsul geral da Itália, Sr. José Castrucci e família e mais diversas pessoas de destaque na colônia italiana, além de jornalistas cariocas e paulistas. Após, a noite, na Radio Kosmos, uma recepção, onde compareceram os pilotos, representantes do Automóvel Clube do Brasil e de São Paulo, autoridades, grande numero de pessoas, além de famílias da sociedade.
A lista dos prêmios em dinheiro foi a seguinte:
1º lugar - 50:000$000 (50 contos de réis)
2º lugar - 25:000$000 (25 contos de réis)
3º lugar - 15:000$000 (15 contos de réis)
4º lugar -   5:000$000   (5 contos de réis)
5º lugar -   5:000$000   (5 contos de réis)

Saiba mais sobre essa moeda 
clicando aqui  e/ou  aqui



Além desses houve muitos outros prêmios oferecidos por empresas, como taças, objetos de arte, medalhas de ouro e até em dinheiro para os mais variados critérios.
A Associação dos Corredores Automobilísticos (ACA), do Rio de Janeiro, descontente com a não inclusão de alguns pilotos cariocas pediu que Manuel de Teffé, corredor carioca, em protesto não participasse da prova, reclamava também que os pilotos estrangeiros estavam recebendo para participar e os brasileiros não. Pintacuda e Marinoni, 50 contos; Coppoli, 10 contos; os outros argentinos, 5 contos cada um, o mesmo que Helle Nice recebeu.
Manuel de Teffé declarou a respeito do pedido da A.C.A.:
“- Desde o dia 7 que não pertenço à Associação dos Corredores. No momento em que me pediram para não tomar parte na corrida de São Paulo, declarei que, em vista de não poder attender aquelle appello, nada mais tinha a fazer senão pedir demissão da A.C.A. Não pertencendo à Associação não sei como poderá ella punir-me.” 
(O Estado de São Paulo - 10/7/36)
No dia 7, a comissão organizadora lançou o seguinte comunicado:
A commissão organizadora, tendo recebido algumas reclamações de concorrentes que, por não terem preenchido os seus respectivos cartéis com todos os seus pormenores, foram por esse facto prejudicados na votação final, avisa que acceitará até hoje, das 16 às 19 horas, as suas justificativas, para restabelecer a escala com toda a exactidão. Outrosim, tendo recebido avisos de que alguns concorrentes deixaram de mencionar acontecimentos a elles desfavoráveis, resolveram reconsiderar o exame do cartel desses concorrentes, fazendo as devidas rectificações.”
Dia 10, conhecidos os resultados dos exames médicos e das vistorias técnicas nos carros, saiu a lista definitiva dos participantes: Ernesto Gattai desistiu de participar, Angelo Villafranca e Henrique Casini foram desclassificados na inspeção técnica, Casini por não apresentar outro carro. Durante a manhã foram realizados treinos, já com os carros de competição, e a noite o sorteio do numero dos concorrentes que indicava sua posição na largada. O sorteio foi realizado pelo Capitão Amadeu Saraiva, presidente da Comissão Técnica e diretor da prova.
No sorteio, o nº 32 ficou com Nascimento Junior, mas em homenagem ao corredor petropolitano, Irineu Correa, que usava esse número quando venceu o Circuito da Gávea em 1934 e também quando faleceu num acidente na prova de 1935, foi substituído pelo nº 42, sem alterar no entanto a posição de largada de Nascimento Junior.
A principio o nº 12 coube à Pintacuda, que num gesto esportivo preferiu trocar com o nº 38 de Irahy Correa, visto que tinha o melhor carro da prova, e ficou na última fila ao lado de seu companheiro de equipe, Marinoni.
Luiz Mastrogiacomo, co-piloto assumiu no lugar do piloto Valentim Passatore nº 18.
Pelo sorteio ficou assim formado o grid de largada:
 
1º pelotão:
"Teffé, junto ao posto de abastecimento, prepara-se para sair em direção ao lugar de partida"
Reprodução: Tribuna de Santos - 13/7/36



Mac Carthy (2) - Lourenço Ferrão (4) - Vittorio Coppoli (6)  
Chrysler Adaptado          Ford V8 Adaptado          Bugatti T37A                 
2º pelotão:
Manuel de Teffé (8) Armando Sartorelli (10)  
Alfa Romeo 8C 2300 Sacre
3º pelotão:
Irahy Correa (12) - Alfredo Braga (14) - Seraphim Almeida (16)  
Bugatti T37A         Studebaker Adaptado         Ford V8 Adaptado       
4º pelotão:
Luiz Mastrogiacomo (18) Francisco Landi (20)  
Ford V8 Adaptado Fiat
5º pelotão: "O carro santista encostado ao box, segundos antes de partir para o lugar da "largada"
Reprodução: Tribuna de Santos - 13/7/36



Oliveira Junior (22) - Antonio Lage (24) - Victorio Rosa (26) 
Ford V8 Adaptado            Hispano Suiza            Hispano Suiza        
6º pelotão:
Virgilio Lopes Castilho (28) Luis Tavares de Moraes (30)
Ford V8 Adaptado Plymouth Adaptado
7º pelotão:
Nascimento Junior (42) - Hellé Nice (34) - Domingos Lopes (36)
Ford V8 Adaptado       Alfa Romeo 8C 2300       Bugatti T37A      
8º pelotão:
Carlo Pintacuda (38) Attilio Marinoni (40)
 Alfa Romeo 2900A Alfa Romeo 2900A

Em função, principalmente, da participação do piloto santista Virgilio Lopes Castilho, o “arranca poste”, milhares de pessoas subiram a Serra do Mar, já na véspera os últimos trens da “Inglesa” (São Paulo Railway) tiveram suas composições aumentadas devido às muitas caravanas de torcedores.
Representando o Automóvel Club do Uruguay veio à São Paulo o Sr. Arthur P. Viscal que foi acolhido pela Comissão Organizadora como convidado de honra.
O Automóvel Club do Brasil organizou uma numerosa caravana de automobilistas do Rio de Janeiro que chegaram no fim da tarde do dia 11, véspera da corrida.
O Automóvel Club do Rio Grande do Sul veio representado pelo Sr. Attilio D’Avanzo, uma pessoa de bastante destaque no automobilismo gaúcho.
(voltar ao topo da página)
 
A prova

Não havia amanhecido ainda e uma multidão estimada em 150 mil pessoas se espalhava por todo o percurso, forçando os cordões de isolamento que os Guarda Civis, a custo, sustentavam. Cerca de 8 horas a massa de espectadores havia tomado um aspecto formidável ao longo do percurso. Nas casas adjacentes, com frente para a pista, o numero de assistentes, e curiosos também era enorme, com espectadores nas varandas, nos muros, nos telhados e em escadas bem altas.
Se alguém, às 7 horas, pretendesse estacionar nas proximidades do local da prova não encontraria lugar, todas as ruas e alamedas transversais à Av. Brasil estavam tomadas.
Os corredores foram chegando espaçadamente, cada um que chegava era alvo da curiosidade de todos do publico e assédio dos repórteres e fotógrafos, profissionais e amadores.
Pintacuda e Marinoni foram os primeiros a chegar, entraram na pista e deram uma volta em velocidade reduzida, desviando das muitas pessoas que corriam de um lado para outro, e encostaram as suas Alfas nos boxes. Chegaram em seguida os três argentinos, Nascimento Junior também chegou e foi muito cumprimentado.
Irahy Correa, Chico Landi e Sartorelli chegaram logo depois e foram direto aos seus boxes. Castilho, acompanhado de seu co-piloto Soeiro, deu uma volta vagarosa pela pista, logo depois chegou Teffé, muito aplaudido por todos, deu uma lenta volta na pista e foi para o box.
Helle Nice já estava no box, trajando macacão de seda azul ¨natiê”, sendo alvo de assédio de repórteres e fotógrafos, pois todos queriam sua atenção, mas ela se esquivava sempre, atenta que estava aos preparativos de seu carro, o “Passaro Azul”.
 
"Um aspecto do pavilhão central, onde foi recebido o mundo official"
Reprodução: Tribuna de Santos - 14/7/36

 
"Carros de concorrentes e motocycletas de batedores antes de feito o desembaraço da pista, para sahida geral dos concorrentes"
Reprodução: O Estado de São Paulo - 14/7/36
  
"Um grupo de guardas civis com as suas motocycletas e que prestaram optimos serviços como "batedores de pista", antes de iniciar-se a corrida"
Reprodução: Tribuna de Santos - 13/7/36
"Nicolau Tuma, "speacker" da Radio Diffusora, em plena pista, antes da partida, cede o microphone a Nascimento Junior"
Reprodução: Tribuna de Santos - 13/7/36


  
"Minutos antes da prova, o mechanico de Helle Nice dá os últimos retoques no carro, sob a fiscalização da arrojada automobilista. Vê-se também Domingos Lopes, prompto para partir para o lugar da partida"
Reprodução: Tribuna de Santos - 14/7/36
"Uma das últimas photographias de Helle Nice na corrida de hontem"
Reprodução: Tribuna de Santos - 13/7/36


 
  

A comissão organizadora esperando a chegada do Governador Armando de Salles Oliveira resolveu retardar em meia hora o início da competição. Nove horas, os carros ainda continuavam em seus boxes, Teffé e Castilho sairam para mais uma volta, ouviu-se, após, instruções e recomendações dos organizadores da corrida às pessoas que se encontravam na pista, pois a preocupação com a segurança era uma constante.
A pista foi sendo evacuada e os carros foram se postando nas posições de saída, Coppoli (6) se colocou à frente, pouco adiante do Pavilhão da Imprensa, Alfredo Braga (14) não alinhou, desistiu em virtude de problemas mecânicos durante as voltas de aquecimento, Sartorelli (10), que trocou de carro com Ernesto Gattai, queixava-se do freio que ficava do seu lado esquerdo, quando estava acostumado com ele no lado direito.
Minutos antes, conforme previsto, uma coluna de batedores da Guarda Civil em motocicletas, seguidos do carro da Direção de Prova, percorreram lentamente todo o circuito e por alto-falantes pediam insistentemente aos assistentes o máximo de cuidado e prudência.
 
"Flagrante apanhado por occasião da partida"
Reprodução: Diário Popular - 14/7/36
 
"Um "pega" logo à saida, vendo-se os carros de Mac Carthy, Coppoli e Ferrão"
Reprodução: Tribuna de Santos - 13/7/36
 
"O cliche acima focaliza o instante em que o carro de Marinoni foi ajudado pelo de Pintacuda, ..."
Reprodução: Diário Popular - 15/7/36
Retornando o carro da Direção da Prova à tribuna, houve um instante de silêncio. No céu, três aviões realizavam evoluções, os carros já alinhados começaram a funcionar com um barulho ensurdecedor. Logo em seguida ouviu-se o toque alto de clarim, eram 9:35h, e imediatamente a largada foi dada pelo Prefeito Fabio da Silva Prado.
"A volante francesa, numa curva fechada, em grande velocidade"
Reprodução: Tribuna de Santos - 13/7/36
 
"A brilhante automobilista francesa Helle Nice, no Alfa Romeo com que disputou a prova"
Reprodução: O Estado de São Paulo - 14/7/36
 
"Marinoni em plena corrida, a 110 kilometros por hora"
Reprodução: Tribuna de Santos - 13/7/36

  
"O quadro de marcação geral quando faltava apenas uma volta para o vencedor completar o percurso"
Reprodução: O Estado de São Paulo - 14/7/36

Os 19 carros saíram e a primeira volta foi percorrida em pouco mais de 3 minutos, Landi com o Fiat nº 20 que largara no 10º lugar, passou em primeiro, os outros vieram embolados disputando posições: Coppoli (6), Helle Nice (34), Manuel de Teffé (8), Mac Carthy (2), Lourenço Ferrão (4), Luis Tavares de Moraes (30), Pintacuda (38) que largou na última fila já estava no meio do pelotão, Nascimento Junior (42), Victorio Rosa (26), Domingos Lopes (36), Armando Sartorelli (10) e os demais.
Na segunda volta Landi (20) ainda liderava, seguido de Coppoli (6), Teffé (8), Pintacuda (38), Helle Nice (34), Mac Carthy (2), Nascimento Junior (42) e os demais. Nessa volta desistiu Luiz Tavares de Moraes (30), a segunda baixa da corrida. Continuaram na pista 18 concorrentes.
Na terceira volta Pintacuda (38) passou em primeiro, Landi (20), Coppoli (6), Helle Nice (34), Teffé (8), Marinoni (40), Mac Carthy (2) e Nascimento Junior (42) o os demais. Nessa volta aconteceu mais uma desistência, Armando Sartorelli (10) próximo à Av. Atlântica derrapou e bateu no meio-fio danificando seu carro e sofrendo um ferimento no nariz, mas sem gravidade. Continuaram 17 concorrentes.
Na quarta volta Marinoni (40) já passou em segundo, caindo Landi (20) e Coppoli (6) para 5º e 6º respectivamente, sendo superados também por Helle Nice (34) e Teffé (8).
Na quinta volta aconteceu um fato que gerou muita discussão, o motor do carro de Marinoni (40) “morreu”, próximo da esquina da Rua Canadá com a Rua Chile, e foi empurrado pelo carro de Pintacuda (38) até “pegar” novamente, com isso ele cruzou essa volta em oitavo lugar e aí começou a luta para recuperar a posição perdida, Pintacuda (38) começava a se distanciar devido a superioridade de seu carro, enquanto Helle Nice (34) e Teffé (8) travavam uma interessante disputa.
Na sexta volta a única alteração nos primeiros colocados foi a ascensão de Marinoni (40) ao 6º lugar, situação que se modificou na décima volta quando ele ultrapassou Coppoli (6) e Landi(20) e passou a ocupar o 4º lugar. Na oitava volta, Antonio Lage (24) desistiu por problemas no motor, na décima volta foi a vez de Irahy Correa (12), seu Ford V8 fundiu uma biela logo ao completar a volta e ele aproveitou para entrar direto no box, Vittorio Coppoli (6), o volante argentino, teve problemas e desistiu logo após ter completado a 12ª volta, e assim 14 carros continuavam na pista.
Depois de acirrada disputa com Teffé (8) e Helle Nice (34) Marinoni (40) conseguiu novamente ocupar o 2º lugar, na décima-quarta volta.
Ao completar a volta 19, Lourenço Ferrão (4) desistiu por problemas no freio.
Na vigésima sexta volta Landi (20) cai do 5º para o 7º lugar, Victorio Rosa (26), outro argentino, que estava em 7º passou para o 5º lugar, Nascimento Junior (42) que na volta 14 estava em 6º, caiu para 8º na décima-sexta, subiu para 7º nas voltas 20 e 21 quando então caiu de novo para o 8º lugar até a volta 25 e 10º na volta 26. E na volta 28 Seraphim Almeida (16) que já não estava bem colocado na prova abandonou por problemas na roda traseira, a essa altura restavam 12 competidores na prova.
Na volta 29 Marinoni (40) parou para reabastecer e caiu para o 4º lugar, ai começou a dar show de pilotagem, tendo inclusive batido o recorde de volta sucessivas vezes, 2’18’’ na volta 34, 2’17’’ na volta 39 e finalmente o recorde da prova, 2’12’’ na volta 40.
Na volta 34, Pintacuda (38) já bastante na frente, fez uma parada para acender um cigarro! Fato considerado deselegante por todos os presentes. Marinoni (40) consegue, depois de renhida disputa com Teffé (8) ultrapassá-lo na volta 37 e também numa forte disputa com Helle Nice (34) consegue ultrapassá-la na volta 41, chegando novamente ao 2º lugar, onde se manteve até o final, mas já com uma volta de desvantagem para Pintacuda.
Na volta 46 Domingos Lopes (36) abandonou, e logo após, ao iniciar a volta 48 foi a vez de Landi (20) abandonar, depois de diversas paradas para colocar água no radiador. Na volta 50 era essa a classificação: Pintacuda (38), Marinoni (40) a 1 volta, Helle Nice (34) e Teffé (8) a 2 voltas, Victorio Rosa (26), Nascimento Junior (42), Virgilio Lopes Castilho (28) e Mac Carthy (2)
Na volta 50, Helle Nice (34) efetuou sua única parada para reabastecer, perdendo com isso o 3º lugar para Teffé (8), que não mais o perdeu até o final. Até então a prova havia transcorrido sem incidentes, mas após Pintacuda (38) cruzar a linha de chegada, completando as 60 voltas, assim como Marinoni (40) também cruzar, mas atrasado uma volta. Teffé (8) e Helle Nice (34) (atrasados duas voltas) vinham disputando o 3º lugar quando aconteceu o trágico acidente que ofuscou o sucesso que a prova certamente teve.
(voltar ao topo da página)

Conheçam o livro "Glamour e tragédia na origem de Interlagos" onde tem toda a história dessa prova com muito mais fotos e também o projeto, construção e inauguração do Autódromo de Interlagos em 1940. (Clique aqui, ou clique aqui) ou ainda no site da Livraria Cultura.

Acrescentada dia 23 de março de 2009
 
 


VOLTAR AO TOPO DA PÁGINA
ou
VOLTAR À PÁGINA INICIAL